Category viajar de avião

Valor de passagens aéreas pode mudar a cada minuto

passagens aéreasPor incrível que pareça, o preço das passagens áreas pode variar de minuto a minuto, tornando a conquista pelos descontos ainda mais complicada. Especialistas afirmam que a velha manobra corriqueira de economizar nas passagens de avião, comprando-as com bastante antecedência nem sempre garante o melhor preço. O Núcleo de Estudos em Competição e Regulação do Transporte Aéreo (Nectar) explica que o preço final de cada assento é gerado através de uma combinação de critérios organizadamente avaliados de minuto a minuto por softwares de última geração. Eles funcionam como uma bolsa de valores, levando em consideração o preço praticado de acordo com a oferta e a demanda.

Se a companhia área é informada de que determinado voo tem muita procura, a tendência é reajustar o preço final da passagem. O contrário pode acontecer quando a oferta é maior e a procura menor, ai há possibilidade de baixar os preços para que o voo atinja a ocupação mínima estipulada. Mas não se anime, porque os dias da semana, horários do voo, número de escalas e até mesmo risco de atraso podem interferir diretamente no valor que você paga para embarcar em uma aeronave.

Qual é a ocupação mínima das companhias de avião?

Segundo site especializado no setor aéreo, as empresas estimam que todas as aeronaves devem voar com no mínimo 60% de sua capacidade – este é o parâmetro seguro para que as operadoras possam subsidiar seus custos durante a viagem. Uma curiosidade é que no modal rodoviário também há uma estimativa mínima de operação em linhas de longa distância, a diferença entre os serviços é de que no rodoviário o passageiro não paga mais pela demanda, já que as empresas remanejam seus próprios embarques para cobrir o mínimo de capacidade estipulado pela diretoria.

Cobrança de bagagem tornará preço de passagem mais cara

pagar pela bagagemA partir do dia 14 de março, quem for viajar de avião pelo Brasil terá de pagar pelo transporte de bagagens, além do valor já pago pela passagem. Esta é a cobrança que será aplicada assim que vigorar a nova norma imposta pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). A nova lei suspenderá a franquia de bagagem gratuita, que dava direito de transportar até 23 kg por passageiros em voos nacionais. Segundo a Anac, este atualização é uma forma de tornar os padrões das viagens áreas mais próximas do que é praticado fora do Brasil, já que a própria agência garante que apenas Venezuela, Rússia e México também permitem que o passageiro transporte pelo menos uma mala sem cobrar.

Com a mudança, somente as bagagens de mão, que são aquelas levadas junto com o passageiro dentro da aeronave, não terão custo adicional. Além disso, o limite de peso para esse tipo de mala passa para 10 quilos. Quando for preciso transportar malas e bagagens, o preço final da passagem aérea ficará mais caro. Essa é um dos pontos negativos que um dos presidentes de uma conhecida companhia área vê perante a mudança. Porém, ele torce para o consumidor não comparar o preço antes e depois da regra e sim confrontar os valores com o do concorrente no dia em que quiser viajar. Sem contar que o preço da passagem pode variar conforme procura, data da viagem e câmbio.

Enquanto a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas) acredita que a permissão da Anac para cobrança de bagagem pelas companhias aéreas irá deixar as passagens mais baratas, as próprias companhias áreas pensam diferentes. Para a Abear, o valor das malas as quais os passageiros têm direito de levar está embutido nos preços dos bilhetes, ou seja, a cobrança já existe e por tese, com a nova norma, deveria ser descontado. Porém, as companhias defendem que não haverá redução no preço das passagens.

Preço de passagens aéreas está 400% mais caro neste Natal

Passagens Aéreas estão 4 vezes mais caras.

Passagens Aéreas estão 4 vezes mais caras.

Quem ainda não reservou as passagens aéreas não irá gostar nem um pouco do que terá de desembolsar para garantir os voos da família, durante as vésperas do Natal e do Réveillon. Dependendo do destino nacional e internacional escolhido, o preço de passagens pode fica quatro vezes mais caro do que vem sendo comercializado pelas principais companhias de avião. Mineiros que pretendem sair da capital com destino a cidade maravilhosa, para aproveitar o calor nas praias cariocas, terão de pagar quase R$ 1 mil para garantir um bilhete de ida e volta. Com o mesmo custo, em março do ano que vem, já é possível garantir o embarque aéreo de mais quatro passageiros.

O pior é que, mesmo a mais de um mês das datas comemorativas deste final de ano, o valor das passagens de avião já decolou. Com a procura acentuada entre datas e feriados próximos, viajar de avião neste fim de ano, se torna algo bastante inviável financeiramente. A solução é fazer uma verdadeira varredura na internet em busca das melhores oportunidades, substituir o itinerário para amenizar o custo da viagem, ou quem sabe, trocar as aeronaves pelos ônibus, em linhas interestaduais de menor distância. Passar a virada do ano fora de casa também não é boa idade para o bolso dos passageiros aéreos.

Se os preços forem comparados com as mesmas linhas disponíveis no Natal, o prejuízo é ainda maior. Se o destino for Copacabana (Rio de Janeiro), prepare-se para arrombar o bolso. A cidade é uma das mais procuradas no Réveillon e por isso, hospeda um dos bilhetes mais caros nesta época do ano. Para se ter uma ideia, um voo de Florianópolis ao Rio está 167% mais barato, dias antes da última semana do ano. Engana-se quem pensa que viajar para fora do país, estará livre das porcentagens malucas impostas pelo setor. Para seguir rumo a Paris, é preciso desembolsar R$ 7.337, no Réveillon. Em dias normais, a passagem pode ser adquirida por menos da metade. A recomendação das companhias aéreas é reservar a viagem 90 dias antes do embarque acontecer.

Preço de passagens de ônibus faz 70% desistirem dos aviões

Preço de passagem atrai turistas para ônibus.

Preço de passagem atrai turistas para ônibus.

O preço de passagens de ônibus e a comodidade na hora de reservar as passagens sem sair de casa, tem sido um dos principais motivos daqueles que desistem de viajar de avião para chegar até o destino, andando de ônibus. Segundo um levantamento feito por uma empresa especializada na comercialização de passagens rodoviárias, pelo menos 70% dos que optam pelas companhias de ônibus, afirmam que o valor da passagem é o principal atrativo entre os dois serviços, regulamentações e outras facilidades durante o processo de contra dos bilhetes rodoviários é outro ponto positivo que rouba mais de 50% dos usuários das aeronaves para as rodoviárias brasileiras, que também são responsáveis por cativar cerca de 20% dos entrevistados.

Eles preferem as viagens de ônibus, porque dizem que a localização do terminal rodoviário é bem mais acessível. Os serviços de bordo e conforto oferecido por algumas auto viações, como internet sem fio e mantas, completam a lista das vantagens rodoviárias ocupando papel decisivo de 17,8% entre os que viajam e optam pelo transporte terrestre. Com exceção do atrativo competitivo que envolve os preços das passagens entre os dois serviços, quem disponibiliza a reserva antecipada dos embarques através da internet também tem importância significa nesse tipo de avaliação. É o caso de agências de turismo online que oferecem milhares de destinos rodoviários em seus sites e aceitam formas de pagamentos facilitadas, além da comodidade e das informações que ajudam esclarecer muitas dúvidas.

Segundo a pesquisa, 42% dos entrevistados veem a compra da passagem na internet com um facilitador e estímulo à reserva rodoviária entre outros serviços. Praticidade no momento do embarque e na retirada do voucher somam 18,8% dos motivos que levariam os passageiros a andarem mais de ônibus. A estrutura e os recursos oferecidos nas rodoviárias também tem participação importante na decisão de qual veículo contratar. Para 37,7% dos que participaram da pesquisa, preferem os ônibus quando o terminal rodoviário é seguro e bem organizado. Além de tudo, a pontualidade dos embarques rodoviários está satisfazendo 51,3% dos entrevistados, enquanto outros 42,4% acham o serviço regular.

Viagem de 20 minutos da Voeazul custa mais de R$ 1.500

Preço de passagem de avião é 100% mais caro do que rodoviário.

Preço de passagem de avião é 100% mais caro do que rodoviário.

Você já pensou em desembolsar mais de R$ 1.500 em apenas uma viagem aérea de 20 minutos? É isso que está acontecendo com passagens de avião pela voeazul para passageiros que querem deixar a capital baiana com destino a Feira de Santana. A simulação feita através do sistema de reserva online da companhia Azul Linhas Aéreas, apontou que o trajeto com duração de apenas 20 minutos, pode chegar a custar R$ 1.671,07 na tarifa flex, para passageiros que precisam viajar até o dia 14 de outubro. Com as taxas de embarque inclusas, a tarifa promocional para o mesmo trajeto sai em torno de R$ 110 mais barata.

Um dos responsáveis pelas relações institucionais da Azul garantiu que os valores podem mudar e ainda não foram atualizados porque a da Anac – Agência Nacional de Aviação Civil não autorizou. A linha entre os dois municípios baianos foi recentemente integrada pela empresa aérea que já possui outros oito voos regulares no Estado, que são: Valença, Porto Seguro, Ilhéus, Vitória da Conquista, Lençóis, Barreiras, Paulo Afonso e Salvador. Os embarques aéreos com destino a Feira de Santana acontecem regularmente todas as terças e quintas. A Bahia é o terceiro estado do Brasil que mais recebe voos da empresa Azul e está na mira da empresa para receber mais serviços nos próximos anos.

Apesar do tempo de viagem ser bem mais demorado, quem prefere economizar e ir de ônibus, deve se deparar com uma diferença no preço da passagem, simplesmente absurda. Só pra se ter uma ideia, a viação Santana, uma das companhias rodoviárias que realizam o percurso de Salvador a Feira de Santana, cobra o preço médio de R$ 27,30 para cada embarque, sem a necessidade de reservas com muitos dias de antecedência ou preços em promoções. A viagem seguida pela companhia de ônibus está disponível todos os dias e tem duração de 1h30. Quem ainda acha que o serviço rodoviário está caro e prefere pesquisar, pode encontrar preços ainda mais acessíveis, que circulam entre R$ 20,80 a R$ 21,10 em viagens mais curtas, com duração de 1h50 em ônibus de categoria comercial.

Comprar passagem rodoviária x passagem aérea: o que é melhor?

Passagens aéreas devem ser pesquisas com antecedência.

Passagens aéreas devem ser pesquisas com antecedência.

Quem já sabe pra onde ir, mas ainda não se decidiu se sairá de casa de ônibus ou comprará a passagem aérea para embarcar, poderá confrontar as principais vantagens de cada serviço, para poder tomar a melhor opção. Desde a diferença no valor dos bilhetes, até o tempo das viagens, comprar passagem rodoviária ou de avião tem tornando a concorrência das empresas cada vez mais franca. Os que têm pouco tempo para encontrar promoções e reservar as passagens em dias de pouco movimento, com a intenção de pagar menos pelo embarque, deve preferir as passagens de ônibus. Diferente do que acontece no setor aéreo, adquirir a passagem de dia ou de noite, seja na segunda ou no final de semana, pouco influenciará no valor tarifário.

Apesar disso, quem se programa e reserva as passagens com antecedência pode conseguir boas vantagens, independente do transporte escolhido. Se o trajeto é muito longo, e a contratação dos serviços de uma auto viação está fora de cogitação, é preciso se informar com a aviação desejada sobre os melhores itinerários para garantir viagens baratas. Cada companhia aérea oferece ofertas e promoções exclusivas para baratear os voos. A internet de fato é uma importante aliada do consumidor e é por isso, que aproveita-lá antes de sair de casa, pode aliviar seu bolso. A dica para quem está em dúvida sobre preços e horários e ainda não se decidiu por qual empresa deverá viajar, é pesquisar e comparar valores através de sites especializados em turismo online.

Eles ajudam você a comparar preços com o tipo de serviço oferecido, e ainda disponibilizam a opção de compra sem ter que se deslocar até guichês de atendimento, seja nos terminais rodoviários ou nos aeroportos. Mesmo sendo evitados antes do embarque, parar nas plataformas das estações é um mal necessário, e é por essa razão que escolher as companhias de ônibus pode ser a melhor saída quando não se conhece nada da cidade onde será feito o desembarque. No geral, as rodoviárias são mais bem localizadas e mais acessíveis do que os aeroportos, entretanto, poucas tem estrutura física adequada para receber deficientes e são seguras.

Combustível é o principal vilão do preço de passagens 2014

Preço de passagens aéreas subiu no último ano.

Preço de passagens aéreas subiu no último ano.

Quem viaja de avião no Brasil nem imagina que praticamente metade do valor da passagem pago para embarcar é destinado apenas para cobrir o combustível gasto em cada operação. Essa pelo menos é a justificativa dada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que viu o preço de passagens 2014 decolar depois de mais de 10 anos. Segundo dados da própria organização, há 11 anos, os clientes do setor aéreo não sabem o que é pagar por um aumento inflacionário, já que só no período de 2002 a 2013, as passagens aéreas chegaram a ficar 44% mais baratas. Em contrapartida, só este ano, viajar com as companhias aéreas ficou 4% mais caro em relação ao ano passado. Parece pouco, mas faz muita diferença quando se paga para ir e voltar em longas malhas viárias.

O custo do querosene que move as aeronaves também revela outro dado interessante. Segundo a Abear, geralmente é mais lucrativo viajar de avião para outros países do que circular dentro do próprio país, onde o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre o querosene de aviação varia de 12% a 25%, de acordo com a localidade. Além do combustível, o câmbio e a oferta também fazem o valor das passagens de avião subirem. Quando a demanda por determinada linha aérea, em um período específico do mês é relativamente maior, o preço também fica sujeito a ter elevações, caso que aconteceu no mês passado, durante a Copa do Mundo.

Diante da realidade desfavorável para empresas de aviação, o mercado rodoviário voltou a ser uma boa opção para os que precisam realizar viagens interestaduais. Além do preço mais acessível, os serviços de bordo são variados e a tecnologia na hora de reservar as passagens também agrada a maioria dos consumidores. No setor rodoviário, o serviço que mais sofre com o aumento no preço dos combustíveis, são as frotas rodoviárias, aquelas de ônibus coletivos que realizam viagens intermunicipais e urbanas. No aéreo, os combustíveis representam 42% do preço das passagens no Brasil, e pelo menos 33% no mundo todo.

Valor da passagem decola enquanto faturamento das aviações cai

Procura por passagens rodoviárias sobe, mas faturamento cai.

Procura por passagens rodoviárias sobe, mas faturamento cai.

A preferência pelas viagens aéreas na hora de desembarcar em outro Estado ou simplesmente viajar em longas distâncias, não tem garantido bons negócios ao setor de aviação brasileiro. Segundo pesquisa da Anac – Agência Nacional de Aviação Civil, a maioria das grandes empresas de avião, com atuação no país está operando no vermelho e apesar da boa quantidade de vendas de passagens aéreas, não tem muito que comemorar. Dos últimos anos pra cá, o ônibus que até então era considerado o serviço de transporte mais popular, passou a ser apenas uma opção boa e barata. Serviço deixado de lado pelo paraibano Renato Alvez que percorre cerca de 2 mil km até o Rio de Janeiro para visitar a família. Para ele o tempo de viagem neste tipo de trajeto é o que mais conta na hora de reservar as passagens. O valor da passagem de ônibus também pode não compensar dependendo do dia e das promoções oferecidas por companhias aéreas. É o caso do eletricista Marcos, que economizou alguns trocados e reduziu a duração da viagem em mais de 40 horas.

Foi desde 2004 que o setor aéreo passou a se popularizar e roubar boa parte do número de passageiros rodoviários, chegando a subtrair 15% das compras rodoviárias para viagens de longa distância. Mesmo com a baixa, as companhias de ônibus ainda são responsáveis por transportar mais de 56,8 milhões de passageiros em linhas interestaduais. Por outro lado, só no ano passado, mais de 50 milhões de brasileiros migraram dos ônibus para dentro das aeronaves, um aumento de mais de 150% no fluxo das viagens aéreas. O problema é que o crescimento nos aeroportos não está favorecendo as empresas de aviação, já que as receitas não são capazes de cobrirem os custos operacionais, e por isso, o preço das passagens deve ser o primeiro item a sentir a discrepância entre as realidades que cercam o setor. Segundo especialistas, a tendência daqui pra frente é pagar mais caro pelos embarques em linhas de longa distância, uma situação que pode reverter este quadro nos próximos anos.

Argentinos foram os que mais compraram passagens rodoviárias

Argentinos preferiram andar de ônibus.

Argentinos preferiram andar de ônibus.

Apesar de terem ficado com um simbólico segundo lugar na disputa da Copa do Mundo do Brasil, os argentinos foram os campeões em viagens realizadas dentro do país durante o torneio da FIFA. Seguido pelos americanos, que nos últimos anos começaram a dar mais valor para o futebol, nossos “hermanos” foram os turistas estrangeiros que mais compareceram nos estádios e preferiram os serviços rodoviários na hora de se locomover. Estudos realizados por agências de turismo na internet comprovam que a invasão dos vizinhos sul-americanos acompanhada pela TV também se fez presente nos principais terminais rodoviários das cidades-sede da Copa. Devido à crise econômica nacional e a proximidade entre os países, muitos vieram prestigiar a seleção argentina, de ônibus fretado ou veículo particular. Por isso, quando foi preciso chegar até os estádios de futebol, as reservas de passagens rodoviárias foram inevitáveis.

Mesmo aqueles que se deram o luxo de voar pelos ares brasileiros, tiveram que se render as companhias de ônibus do Brasil para poder concluir o trajeto, já que muitas linhas aéreas beneficiam a venda de passagens de ônibus nas capitais. Segundo o levantamento, os argentinos foram os que mais fizeram viagens de ônibus, somando 25% do total de bilhetes rodoviários vendidos neste período. Os turistas de fora do país que mais procuraram pelos ônibus rodoviários, depois dos argentinos, foram os americanos, que contabilizam 18% das viagens em sites como o Quero Passagem.

A startup lançada no final do ano passado, foi a primeira do setor a implantar versões em inglês e espanhol e oferecer formas de pagamento com cartões internacionais, sem a necessidade de informar o número do CPF. Segundo a agência online que vende mais de três mil destinos rodoviários, uruguaios, colombianos, franceses, mexicanos, chilenos e alemães somaram pouco mais de 20% das vendas estrangeiras do site. Por causa do bom chaveamento dos jogos e das duas partidas disputadas pela seleção brasileira no estádio Mineirão, Minas Gerais foi o Estado que mais registrou embarques de viagens interestaduais durante o Mundial. No Nordeste do Brasil, Salvador, Recife, Natal e Fortaleza foram os destinos mais acessados nos últimos 30 dias.

Venda aumenta, mas preço de passagens de ônibus fica intacto

Preço de passagem de ônibus não aumenta.

Preço de passagem de ônibus não aumenta.

Apesar dos portais de venda de passagens rodoviárias e das próprias companhias de ônibus registarem aumento na venda de seus serviços durante os últimos 30 dias, o preço para embarcar em veículos rodoviários até as cidades-sede da Copa do Mundo continuou sem elevação.
O congelamento tarifário nos bilhetes rodoviários que já era esperado antes da bola rolar no Mundial, cativou mais turistas durante todo o mês de junho. Sem contar com a grande procura de torcedores estrangeiros, principalmente de argentinos, que pouco utilizaram as viagens aéreas para se deslocar.
Só o site Quero Passagem, o primeiro do setor rodoviário a implantar pagamentos das passagens com cartão de crédito internacional, viu suas vendas decolarem em pelo menos 30% do que é comercializado todo mês.

Por causa da visibilidade do evento internacional, a startup lançada no final do ano passado se preparou para atender o maior número de estrangeiros, e além de extinguir a apresentação do CPF e oferecer moedas internacionais para reservar passagens, disponibilizou duas novas versões do portal traduzidas para o inglês e espanhol.
A demanda por viagens de ônibus até capitais menos badaladas, mas que receberam os jogos da Copa, também aumentou significantemente.
Os trajetos de ônibus foram uma opção mais lucrativa e prática para quem apenas queria sair do terminal rodoviário até os estádios de futebol.
Para o CEO da Quero Passagem, Lukasz Gieranczyk a regularização do governo que proíbe o aumento no preço de passagens de ônibus colaborou com o crescimento do interesse nas viagens feitas por companhias rodoviárias.

O setor tem pelo menos 40% a mais do fluxo de passageiros aéreos, os mesmos que tiveram que pagar um reajuste de 21,95% no valor das passagens durante a Copa do Mundo, segundo IBGE.
Apesar de muitos estrangeiros terem entrado nas fronteiras brasileiras através de carros e ônibus fretados, como mostrou uma pesquisa realizada pelo Departamento de Pesquisa do Ministério, o aumento no interesse pelas passagens de ônibus foi de no mínimo 30%, como previa o Ministério do Turismo.
As empresas de transporte rodoviário do Brasil chegam a transportar juntas, entre linhas interestaduais e internacionais, mais de 140 milhões de pessoas, todos os anos.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress