Category Valores de passagens de ônibus

Auto viações querem aumentar preços de passagens de ônibus

Pedido de aumento do Setap levanta suspeitas.

Pedido de aumento do Setap levanta suspeitas.

Os embarques rodoviários de Macapá, no Amapá, podem ter os preços de passagens de ônibus mais caros do Brasil, se a prefeitura da cidade perder ação judicial movida pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Amapá (Setap). Segundo o órgão que representa as auto viações em circulação no município, o valor das passagens deve ficar 30% mais caro. Isso porque o setor está passado por dificuldades financeiras e não está conseguindo arcar com os custos de operação do sistema. Se a reajuste vigorar, o bilhete rodoviário comercializado por R$ 2,10 vai para R$ 2,75. A queixa feita pelo Setap diz que essa já é a quinta vez em que as empresas se reúnem para brigar pelo aumento. Segundo o sindicado, faz mais de 10 anos que a prefeitura não aprova um reajuste gradual no preço das passagens, levando em consideração o que está sendo gasto pelas companhias rodoviárias. Além de tudo, também está sendo feito o pedido da redução de tributos para a aquisição de óleo diesel, à Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac).

Enquanto o valor tarifário não é decidido, a sugestão da Setap é aumentar a passagem para R$ 2,50 na tentativa de minimizar os custos gerados com funcionários e com o combustível. A CTMac já se mostrou desfavorável ao pedido de aumento dos bilhetes. Segundo a diretora da instituição, o valor cobrado atualmente nas catracas já é compatível com a quantidade de ônibus e a qualidade oferecida pelo serviço. A frota que transporta a população atualmente é composta por 190 veículos. Ainda segundo a direção da CTMac, só no último ano, o setor registrou aumento de 1 milhão de passageiros e viu os impostos federais, estaduais e municipais caírem. Em contrapartida, o Ministério Público está investigando um esquema envolvendo diretores do sindicato e uma perita da Justiça que teriam fraudado em 2007 as planilhas de custos repassadas para a prefeitura de Macapá. As investigações apontam um acordo entre a perita e a direção do sindicato, a fim de aprovar todos os pedidos, sendo que o parecer autorizando o aumento foi elaborado pelo próprio Setap, com a inclusão de gastos inexistentes.

Justiça garante preço de passagens 2014 de São Luís

Decreto em Belo Horizonte garante o mesmo preço de passagens de ônibus por três meses.

Justiça pede anulação do aumento no preço das passagens.

O preço de passagens 2014 para passageiros de São Luís, no Maranhão, está sendo garantido pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos da cidade. Segundo o juiz Clésio Coelho Cunha, a prefeitura do município maranhense deve reviver o reajuste aplicado nas passagens de ônibus, no dia 8 de junho, já que está desproporcional aos limites do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado nos últimos 12 meses. O pedido acatado pela justiça veio do Ministério Público, que por forma legal, alegou que o aumento das passagens havia sido superior ao dobro dos índices permitidos pela inflação, sem ainda comprovar melhorias no serviço prestado para população que depende do transporte rodoviário.

As apurações do Ministério Público revelaram que as empresas rodoviárias estavam reservando passagens com reajustes de 14,2% a 23%. Segundo o titular da Vara, as auto viações assinaram um compromisso em novembro de 2011 em um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, que prevê melhorias nos serviços prestados durante as viagens de ônibus. Se a prefeitura de São Luís demorar a acatar o pedido da justiça e baixar os preços dos bilhetes rodoviários, vai ter que pagar multa diária de R$ 10 mil, que serão direcionados ao Fundo de Direitos Difusos. Apesar da falta de compromisso com quem compra passagens, o aumento tarifário desproporcional promovido no final do mês passado tem uma explicação. O acordo foi fechado com a prefeitura depois que funcionários do terminal rodoviário da cidade e das empresas de ônibus cruzaram os braços por durante 16 dias, pedindo aumento salarial.

Para custear um novo acordo salarial que garantia aumento de 7,8%, além do vale-alimentação, em 9,6%, as companhias rodoviárias se viram obrigadas a elevar o preço das passagens em R$ 0,30. A diferença deixou as passagens de ônibus baratas 23% mais caras e as mais caras 14,2% ainda mais salgadas. Mesmo assim, o compromisso é de que 250 ônibus novos seriam entregues a frota, o quanto antes e mais outros 250 entre janeiro e fevereiro do ano que vem, como meio de justificar o aumento das tarifas. Em qualquer situação, a “Domingueira”, que promove desconto na metade do valor das passagens aos domingos, não terá mais validade.

Procura por passagens rodoviárias clandestinas cresce em feriado

O preço de passagens rodoviárias para linhas interestaduais está mais caro em Belém do Pará, durante o feriado de Carnaval.

Carro é a terceira opção de transporte dos baianos.

Apesar da maioria dos embarques em Salvador acontecerem dentro do terminal rodoviário da cidade, muitos baianos estão procurando pelas passagens rodoviárias clandestinas para chegar até seu destino mais rápido.
O transporte rodoviário alternativo e sem regulamentação registrou aumento significativo no último feriado de Corpus Christi, comemorado na quinta (19).
Muitas vans sem documentação e alguns ônibus particulares saíram do município de São João até cidades do interior do Estado.
A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia, Agerba, e policiais rodoviários federais e estaduais são os responsáveis pela fiscalização da prática que é considerada ilegal perante a justiça.

Mesmo pagando mais caro pelo serviço e não tendo as mesmas garantias oferecidas por companhias de ônibus legalizadas, muitos passageiros optam pelas viagens clandestinas por falta de opção no sistema tradicional. No norte do Brasil é comum esgotar a venda de passagens de ônibus em feriados prolongados, como o da última quinta. A maior concentração de vans e Kombis que organizaram as viagens, estava na Brasil gás, em um dos trechos da BR-324.
Quem prefere o serviço ilegal não tem seus direitos de consumidor assegurados, e o pior, fica a mercê do próprio motorista que define as paradas e até mesmo o trajeto a ser seguindo, já que na maioria das vezes são escolhidos caminhos alternativos para driblar a fiscalização e os pedágios.

Durante o feriado na capital da Bahia, cerca de 30 fiscais trabalham na rodoviária de Salvador e nas principais rodovias que ligam a cidade para coibir o transporte rodoviário clandestino. Os municípios de São Antônio de Jesus, Cruz Das Almas e Amargosa foram os destinos mais procurados pelos clientes dos motoristas de vans e ônibus ilegais que rondaram a cidade.
O preço pago para chegar até essas cidades variou de R$ 40 a 60, valor da passagem mais caro do que foi vendido nos guichês das rodoviárias.
Em Candeias, na Região Metropolitana de Salvador, a prefeitura da cidade proibiu a circulação de veículos clandestinos através de uma liminar. Apesar disso, a administração acabou cedendo depois que houve protesto. Agora os veículos podem rodar até o final do desse ano.

Preço de passagens de ônibus está 4 vezes mais barato do aéreo

Viação Itapemirim passagens cobra o mesmo preço das concorrentes para viagens do Rio de Janeiro até São Paulo.

Passagens de ônibus é 400% mais barato que aéreo.

Segundo levantamento feito por um site especializado na comercialização de passagens rodoviárias, é possível comprar até quatro vezes a mesma passagem de ônibus com o preço pago para embarcar em uma viagem aérea do mesmo destino.
Na pesquisa que levou em consideração os preços praticados entre as quatro maiores companhias aéreas do Brasil e outras 35 empresas de ônibus que atuam em 90% do território nacional, os dados são válidos durante o período em que o Brasil estará sediando a Copa do Mundo.
O que chama atenção é que mesmo anunciando a redução na tarifa dos aviões, empresas como a TAM, GOL e a Azul, continuam sendo as campeãs do preço mais caro para viagens interestaduais.

Em trajetos considerados os mais econômicos, foi constatado uma diferença de mais de 400% em dias antecedentes aos jogos da Copa do Mundo.
Entre os dias 4 e 11 de junho, funcionários do startup relacionado ao mercado rodoviário confrontou vários preços das passagens aéreas até capitais como Rio de Janeiro e São Paulo, em apenas valores já reduzidos.
Apesar de a pesquisa apresentar oscilação no valor cobrado de viagens de avião conforme o local de embarque e desembarque, o dia e até mesmo o horário, a regularização do governo que obriga as auto viações congelarem suas tarifas durante o Mundial, garante boas vantagens para aqueles que optam pelas viagens de ônibus.

Em alguns trajetos, a diferença chega ser de 462% entre os dois serviços, e o pior, o preço para reservar a poltrona dentro de um avião não para de decolar.
Só na linha Rio de Janeiro – Curitiba, em que o valor mais em conta estava sendo praticado em R$ 202, o preço subiu mais do dobro em apenas uma semana. Para a mesma viagem, uma passagem de ônibus custa apenas R$ 156,70, com garantias de não ter aumento até o final do Mundial.
Algumas empresas aéreas classificam o aumento no preço das passagens apenas em trajetos com venda de poltronas extras e justificam o reajuste na medidas em que a procura pelo serviço aumenta. A dica para quem quer voar é reservar a passagem com antecedência.

Protestos contra o valor da passagem toma conta de Goiânia

Motoristas querem aumento salarial.

Motoristas querem aumento salarial.

Além de cobradores e motoristas de ônibus cruzarem os braços até que aprovem aumentos salariais superiores a 10%, passageiros e usuários do serviço rodoviário decidiram protestar contra o valor da passagem na capital de Goiás.
Pelo menos 100 pessoas manifestaram revolta contra o reajuste das tarifas de ônibus durante protesto pelas principais avenidas do centro de Goiânia, ontem à tarde (21).
O grupo exigia a revogação do preço das passagens e cobrava melhorias no serviço de transporte público.
Segundo a Polícia Militar, o manifesto foi acompanhado por funcionários de empresas de ônibus que estão descontentes com sua situação salarial.

Os manifestantes se reuniram a frente ao Teatro Goiânia por volta das 13 horas e percorreram pela Avenida Anhanguera com destino a sede do Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo de Passageiros de Goiânia (Setransp). É de lá que partem mais da metade das decisões sobre os preços dos serviços e o valor pago para cada categoria.
O grupo formado por jovens e estudantes chamou atenção de quem estava no sindicato com gritos e palavras de ordem desqualificando a frota dos ônibus que atende a cidade e toda Região Metropolitana.
A Praça do Bandeirante que fica na região central de Goiânia também foi ponto para as manifestações. A praça foi o último local a receber os ativistas até todos se dispersarem. De acordo com informações da PM, a ação durou pouco mais de 1 hora e não houve necessidade de intervenção policial.

Considerada pacífica, a marcha foi acompanha pelos policiais do Estado desde o início.
Por causa da localização, quem voltava ao trabalho pelas imediações de ônibus ou com veículo próprio teve de ter um pouco de paciência.
O trânsito voltou a funcionar normalmente antes das 15h, assim que o protesto terminou.
Homologado desde sábado (17), o preço das passagens de ônibus para a Região Metropolitana de Belém (RMB) saltou de R$2,20 para R$2,40, a partir de segunda-feira, dia 19.
Muita gente foi pega de surpresa e embarcou nos veículos rodoviários sem saber do aumento. Indignados, teve passageiro que precisou voltar porque levava o dinheiro contato para pagar as passagens.

Justiça barra aumento nos preços de passagens de ônibus em MG

Justiça proíbe aumento nas passagens rodoviárias em BH.

Justiça proíbe aumento nas passagens rodoviárias em BH.

O recurso apresentado pelo departamento de trânsito e mobilidade urbana da capital de Minas Gerais para aumentar os preços de passagens de ônibus em linhas rodoviárias não foi acatado pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJMG).
Segundo o desembargador Kildare Carvalho, da 3ª Câmara Cível, o pedido foi negado e com isso o reajuste na hora de embarcar deve ficar para mais tarde.
A determinação passa a ser da 4ª Vara de Feitos da Fazenda Pública Municipal e já está em vigor desde o começo desse mês. Apesar disso, a justiça de Belo Horizonte não garante suspender o aumento em mais de trinta dias.

Se não fosse a intervenção da justiça, o preço praticado nas passagens rodoviárias da cidade já deveria estar mais salgado desde o dia 6 de abril. Depois que o Ministério Público do Estado mineiro pediu a suspenção do aumento, o valor que iria chegar a R$ 2,85 ficou sendo comercializado em 20 centavos mais barato.
Sem saber da determinação do TJMG, muitos passageiros compraram as passagens com valores alterados, depois que companhias de ônibus descumpriram a ordem judicial e venderam mais caro.
Para a prefeitura de BH as tarifas rodoviárias precisam ser reajustadas de acordo com o índice inflacionário do município. Segundo o agravo, só de 2009 até o começo desse ano, a inflação gerada medida pelo INPC ficou em 34,35%, enquanto o aumento das passagens acumulado foi de 23,91%.

Os dados apurados que propõem elevação de 7,5% para recompor o equilibro econômico e financeiro do setor, foram apurados pela empresa Ernest & Young. É justamente esse parecer que está sendo apurado e questionado pelo Ministério Público de Minas Gerais. O órgão já abriu uma perícia para apurar os dados.
Várias empresas de ônibus que trabalham na cidade fizeram questão de recorrer da decisão. Em contrapartida, a desembargadora da 3ª Câmara Cível Ana Paula Caixeta também foi contra o aumento das tarifas.
Se o recurso for realmente julgado improcedente, as auto viações terão que se contentar com o preço praticado recentemente.
A prefeitura de BH não quis se pronunciar sobre a decisão do desembargador Kildare Carvalho.

Preço de passagens rodoviárias vive pior fase dos últimos 4 anos

O preço das passagens rodoviários é o mais baixo durante os últimos quatro anos.

Preço de passagens é o pior dos últimos quatro anos.

O preço cobrado pelas companhias de ônibus para embarcar em todo o Brasil vive a pior queda dos últimos quatro anos.
Os protestos e as manifestações generalizadas contra o aumento das tarifas para as passagens rodoviárias, durante junho do ano passado, contribuíram para que os passageiros desse tipo de serviço sofressem menos com os reajustes anuais promovidos pelas concessionárias.
Mesmo com a retomada do valor que era cobrado no início de 2013, os bilhetes para viagens de ônibus se mantem acessíveis para a maioria.
Entre o período anual de 2011 e 2012, aumentos consideráveis foram detectados por uma pesquisa encomendada pelo Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o estado, junto com o Rio Grande do Sul é uma das regiões mais caras para se andar de ônibus.

Na época, a instituição avaliou os preços rodoviários fornecidos por 11 auto viações, em 89 viagens com destinos para 18 estados brasileiros, sempre com embarques feitos na capital mineira.
A pesquisa constatou elevações abusivas na tarifa para trechos até Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, deixando as passagens 45,7% mais caras, em Congonhas com 22,2% a cima do valor cobrado anteriormente e em Bom Sucesso, em Minas Gerais, com a mesma porcentagem.
Além de comprovar aumento gradativo nos preços dessas passagens, o Procon pôde comprovar muitas variações nos valores entre as companhia de ônibus.
Dados divulgados comprovaram que na época havia alterações de mais de 30% entre empresas concorrentes do mesmo trajeto. Comprar uma passagem para Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, por exemplo, poderia variar de R$99,87 a R$75,62 dependendo da companhia.

O mesmo aconteceu com um bilhete para Aparecida do Norte, (SP). A passagem apresentou variação significativa, de 16,75%, sendo comercializa por R$97,43 e R$83,45 a bordo do mesmo tipo de veículo.
Para evitar esse tipo de desperdício, a busca por bilhetes nas centrais de passagens rodoviárias online está facilitando a vida do consumidor.
Enquanto as companhias de transporte rodoviário sofrem para subsidiar gastos e remanejar receitas menores, o usuário é quem comemora. Pesquisas realizadas recentemente comprovam que a procura por viagens de ônibus aumento nos últimos 12 meses.

Preço de passagens de ônibus em 2014 volta a subir

Preço de passagens de ônibus nas principais capitais do Brasil volta a subir no começo de 2014. Prefeituras não tem como subsidiar os descontos.

Preço das passagens volta a subir

O resultado das reivindicações contra o aumento das passagens rodoviárias e as manifestações populares que tomaram conta do país a mais de seis meses, realmente parecem estar chegando ao fim.
O discurso que impede que companhias de transporte rodoviário elevem suas tarifas de operação voltou à tona no começo deste ano.
Apesar de o preço de passagens de ônibus ser mantido sem aumentos, depois dos protestos, a Confederação Nacional de Municípios, a CNM, apoia um novo reajuste imediato para aliviar as cobranças das empresas de transporte e pede aos governos estaduais e federal, a ampliação de subsídios para que parte desses serviços e a manutenção da frota possa ser financiada.

Segundo a direção da CNM, as cidades não possuem recurso próprio para compensar a receita das auto viações, e por isso, esperam novas intervenções do governo federal para que os bilhetes rodoviários não fiquem mais caros. “Ou o governo federal dá subsídio, ou os prefeitos não vão ter como fugir do aumento”, explicou Paulo Ziulkoski.
A Frente Nacional de Prefeitos, a FNP, também vê o aumento das passagens como algo inevitável. Para o órgão, as tarifas cobradas no setor não competem apenas para um determinado município e por essa razão sonha com aprovação do Reitup – Regime Especial de Incentivos para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros, que prevê novas desonerações na área.

Em junho do ano passado, a presidente Dilma Rousseff isentou as empresas de ônibus de pagarem o PIS e Cofins sobre o faturamento geral, atrasando o reajustes das passagens.
Agora, é pouco provável que ela amplie esses recursos para continuar mantendo o mesmo valor. Mesmo assim, por causa da eleição presidencial que acontecerá este ano, muitos esperam que isso possa acontecer.
O Rio de Janeiro foi um dos primeiros estados a aplicarem o aumento. Desde o dia 8 de fevereiro, as passagens de ônibus que antes eram compradas por R$ 2,75 agora custam R$ 3,00.
Em Porto Alegre, na capital do Rio Grande do Sul, a prefeitura também já promoveu o reajuste. O valor atual cobrado pelos bilhetes rodoviários era de R$ 2,80.

Valor da passagem de ônibus rodoviário é maior desde quinta

homem rico homem pobreHá cerca de uma semana o valor da passagem para ônibus rodoviários que circulam entre os estados e fora do país passou a ficar 6,9% mais caro através de uma resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicada no Diário Oficial. O reajuste é praticamente duas vezes maior do que já havia sido concedido em 2012, com aumentos de 2,77%. Vale destacar que a decisão só é aplicada para as viagens com mais de 75 quilômetros de duração e por tanto não devem interferir no preço de passagens de ônibus municipais.

Apesar de o aumento contrariar as opiniões de quem vive com o pé na estrada, o anúncio já era aguardado e deveria ter sido praticado meses antes, segundo ordem do Ministério dos Transportes.

A mudança estava prevista para o dia 1º de julho, mas foi temporariamente cancelada por causa da série de protestos e manifestações contra o aumento das passagens que aconteceu por todo o Brasil. Agora mais de duas mil linhas de ônibus com trajetos de longa distância deverão sofrer o reajuste.

A justificativa para tornar o preço de passagens rodoviárias mais caro está no equilíbrio econômico-financeiro entre as companhias de transporte rodoviário interestadual e internacional que trabalham por permissão ou concessão. Para chegar até o valor divulgado, a ANTT analisou os coeficientes tarifários, calculando-os com base no índice de reajuste do óleo diesel, no Índice Nacional de Preços ao Consumidor, o INPC e no Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA.

Quem também depende do transporte coletivo para trabalhar e se deslocar durante o dia, deve ficar atento a um novo índice específico para viagens com distâncias mais curtas. Para aqueles que se programaram e pretender embarcar em uma longa viagem com a família, a dica é pesquisar preços e escolher as melhores ofertas promovidas pelas companhias de ônibus através de sites especializados na comercialização de reservas rodoviárias, como o portal Quero Passagem. As compras podem ser feitas em menos de cinco minutos e o internauta tem a opção de selecionar as viagens mais acessíveis. Para comprar e pesquisar basta acessar o site www.queropassagem.com.br. Compras e viagens com antecedência também podem garantir bons descontos.

Baixos valores de passagens de onibus ainda não são tudo

Baixos preços de passagens insuficientes

Apesar dos passageiros conquistarem valores de passagens de onibus nas grandes capitais e várias cidades do Brasil o descontentamento e as reivindicações ainda estão presentes por parte daqueles que utilizam o serviço público diariamente. Em Poços de Caldas, Minais Gerais, por exemplo, a tarifa que era cobrada no valor de R$ 2,80 agora está valendo R$ 2,60 e mesmo assim não é motivo suficiente para ter a unanimidade das pessoas. Alguns ainda cobram mais qualidade no atendimento e o maior número de ônibus e linhas operantes. Segundo a manicure, Edna Maria Rodrigues, o motivo pelo pedido de mais linhas são os atrasos e a grande demanda nas viagens. “Está faltando ônibus para tanta gente que precisa trabalhar”, explica.

De qualquer maneira, ela e os companheiros de viagem também comemoram a redução no preço de passagens de ônibus. Para aqueles que dependem de mais de um ônibus ou condução por dia para chegar até o destino desejado lucra ainda mais com a mudança. Camila Amaral faz viagens longas e com a diminuição das tarifas vai poder economizar cerca de R$ 30 reais por dia. Empresários e cooperativas que oferecem vale transporte para seus funcionários também se incluem neste grupo. Dependendo do número de empregados, os descontos podem passar de R$ 1 mil reais por mês.

Como em todos os outros locais, a redução da tarifa em Minais Gerais foi anunciada na cidade depois de uma série de manifestações. No total, até então, foram registrados seis protestos contra o preço de passagens. Em uma das organizações de maior movimentação, 10 mil manifestantes estiveram presentes nas ruas de Poços de Caldas. A decisão veio após uma reunião entre o prefeito Eloísio do Carmo Lourenço e a Comissão de Tarifas da cidade formada por representantes de várias entidades de classe. A comissão é ordenada pelo Secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Rodrigo Reis, encarregado de analisar as condições cabíveis para diminuir preço de passagens rodoviárias. Ele como a maioria encontrou recursos para o feito através de desonerações de impostos como o PIS, Confins, IPI e carga de tributos na folha de pagamento das empresas de ônibus.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress