Tag viajar de ônibus

Companhias promovem reajuste anual de linhas interestaduais

linhas interestaduaisPassageiros que viajam de ônibus pelo interior dos Estados Brasileiros já estão pagando mais caro pelo serviço rodoviário em diversas regiões do Brasil. O reajuste anual que promove aumento no preço dos serviços oferecidos em linhas interurbanas de ônibus vem sendo publico pelos órgãos estatais desde o começo de outubro. Em Fortaleza, as empresas de ônibus da capital com linhas para cidades do interior passaram a elevar o preço de suas passagens em 2,421%, desde o dia 1º de outubro. O valor foi calculado pelo Detran e homologado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce).

A boa notícia é que os municípios que compõem a região metropolitana do Estado com ligação a capital não estão incluídos no reajuste das linhas. Por outro lado, o preço mais salgado já é praticado em rotas nas Regiões Norte, Cariri, Centro-Sul, Inhamuns, Sertão Central, Litoral Oeste, Maciço de Baturité, Jaguaribana e Litoral Leste, operadas pelas auto viações Expresso Guanabara, Via Metro, Princesa dos Inhamuns, Fretcar e São Benedito. De acordo com o Departamento Estadual de Trânsto do Ceará (Detran-CE), os contratos firmados pelo Governo com as concessionárias preveem aumento anual das passagens de ônibus. Até agora a mudança nunca baixou o valor dos bilhetes, levando em consideração uma revisão técnica dos custos que envolvem a operação.

Outras Regiões também sofrem com o aumento do valor

O impacto no preço das passagens rodoviárias para o interior dos Estados também foi sentido em outras regiões. No Rio Grande do Sul, o aumento chegou a aproximadamente 8% para o serviço de linhas interestaduais – um dos maiores reajustes do país. Em Alagoas e na região metropolitana de Maceió o aumento foi de pouco menos de 5%.

Campinas tem a 2ª passagem rodoviária mais cara do Brasil

passagem rodoviária caraA cidade de Campinas, no interior de São Paulo tem atualmente o segundo maior valor de passagens rodoviárias para o transporte público do Brasil, perdendo apenas para Brasília, no Distrito Federal. Atualmente, quem viaja de ônibus dentro da cidade de Campinas tem que pegar R$ 4,50 por cada embarque. A tarifa ficou 18% mais cara neste mês, aumentando o serviço de antes era vendido por R$ 3,80. No Distrito Federal, a passagem é vendida a R$ 5,00 em algumas linhas urbanas da cidade, além do metrô. No pálio, ocupando o segundo lugar das cidades mais caras em viagens de ônibus estão as cidades de Guarulhos e Joinville, em Santa Catarina – ambas também cobram de seus bilhetes rodoviários R$ 4,50.

Na capital de São Paulo, a Justiça conseguiu suspender o aumento no último dia do ano passado. A alta que chegava a quase 20% sob o valor atual, passou a ser aplicada um dia após o anúncio oficial. O preço da passagem de R$ 4,50 também é o mesmo em Pouso Alegre, município de Minas Gerais, porém só voltado a linhas que atendem trajetos rurais. No setor urbano da localidade, os passageiros pagam R$ 3,30. Durante os seis primeiros meses deste ano, pelo menos 30 municípios brasileiros já anunciaram reajustes no preço das passagens rodoviárias.

Ônibus de Campinas

Segundo a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), os usuários do Bilhete Único geram desconto de R$ 0,30 sob o valor da passagem atual, isso quer dizer que um embarque reservado com o bilhete comum não deve sair por mais de R$ 4,20. O Bilhete Único Vale Transporte custa R$ 4,50, enquanto que o Cartão Especial vale R$ 4,50. Os preços praticados com o novo reajuste também geraram alteração para o Bilhete Único Escolar no valor R$ 1,68 e o Bilhete Único Universitário por R$ 2,10. As integrações também sofreram mudanças. Agora, após o passageiro subir no terceiro ônibus (ou seja, a segunda integração) em um período de até duas horas, pagará uma taxa de R$ 0,30. Antes o serviço era gratuito.

Preço dos pacotes de viagem cai e procura só aumenta

pacote de viagemOs dados apontados pela Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) têm agradado várias agências de viagens do Brasil, especialmente aquelas que decidiram adaptar seus roteiros, para superar a crise financeira. E deu certo! Em São Carlos, uma agência especializa em pacotes nacionais, já registou aumento de 30% nas negociações. Só foi baratear os roteiros para que os interessados nas viagens aparecessem na agência. Segundo levantamento da Abav, o preço dos pacotes praticados na cidade chegou a cair em até 40%, economia que fez Fábio não pensar duas vezes e reservar a viagem dos seus sonhos.

O destino escolhido foi Fortaleza, não era a primeira opção do técnico em informática, mas o preço e a economia que ele iria fazer deixando a ideia de ir para Natal, fez ele “bater o martelo”. Essa é a explicação para tanta procura por pacotes que já incluem o transporte, hospedagem e parte da alimentação, em plena alta temporada – quando os preços costumam disparar e chegam até a ficarem o dobro de mais caro. Para o proprietário de uma das empresas que trabalha com viagens rodoviárias no interior de São Paulo, o trupe é ajustar o pacote para o perfil de cada cliente. “Aqui nós vendemos vários tipos de serviços, temos opções para todos os perfis de cliente”. Se o cliente não tem condições ou não está disposto a pagar a mordomia de um resort ou um hotel de luxo, porque não ir a uma boa pousada?

O mesmo pode se fazer na hora de escolher o tipo de veículo. Se a passagem aérea pra for e voltar está muito cara, ir de ônibus com algumas regalias pode ser uma opção atrativa e economia. Outro detalhe importante é a forma de pagamento, principalmente nos parcelamentos e juros que a empresa tem capacidade de oferecer. Nos dias atuais, quanto maior for a taxa de parcelamento e menor o comissionamento dos juros, melhor!

Aumento de 9% deixa as passagens de ônibus mais caras

Preço de passagem de ônibusO reajuste nas passagens de ônibus que passaram a vigorar desde o primeiro dia de Julho deixou muitos passageiros insatisfeitos. Com a aprovação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) o aumento já está em vigor, principalmente nas cidades paranaenses. Com a mudança, passageiros da região noroeste do Paraná precisarão desembolsar mais dinheiro para viajar para outros estados. As passagens de ônibus interestaduais e internacionais para trajetos a partir de 75 km sofrerão reajuste de 9,042%. As passagens de ônibus que fazem o trajeto de Cianorte, Umuarama e Paranavaí para São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina ou Distrito Federal tiveram reajuste considerável.

O usuário que pretende viajar, por exemplo, de Paranavaí para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, terá que desembolsar R$ 112,32, antes a passagem custava R$ 103,20. A tarifa do trajeto de Umuarama para Presidente Prudente, no interior de São Paulo, passou de R$ 84 para R$ 86. Já a passagem de ônibus de Cianorte para Uberlândia, em Minas Gerais, a passagem foi de R$ 143,15 para R$ 156,10. O reajuste se deve a recomposição do poder aquisitivo da moeda em razão de variações inflacionárias que trazem impactos aos custos das prestações de serviços. O reajuste, diz a ANTT, é calculado de acordo com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e do preço do óleo diesel.

Quem viaja costumeiramente se assustou ao passar no guichê e receber o anúncio do reajuste, mesmo sabendo que o momento é complicado e o país passa por uma crise econômica e política, e a maior reclamação dos usuários, na maioria das vezes é que esse reajuste não é repassado em melhorias, mas segundo a ANTT esse reajuste é anual e consta em Diário Oficial, por isso nem todas as agências informam aos passageiros e acabam os pegando de surpresa. Outros fatores para o reajuste são: concessões feitas em negociações coletivas de trabalho, como a que proveu 10% de aumento salarial e 25% de aumento no vale-refeição aos motoristas e cobradores trouxeram “aumento de custos” aos empresários. O aumento da passagem procede, e ainda assim ele ficou um pouco abaixo da inflação.

ANTT autoriza reajuste tarifário para linhas interestaduais

Passagem mais cara

Passagem mais cara

Agora é oficial: chegou a hora de pagar mais caro para viajar de ônibus pelo Brasil. Com a nova resolução da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT) as linhas interestaduais e internacionais com mais de 75 km de distância sofreram reajuste de aproximadamente 10%, desde o dia 1 de julho. Apesar de fazer diferença na hora da compra, o aumento praticado no ano passado foi ainda maior. O escriturário Emerson Lagoano, que reside no interior de São Paulo explica que o aumento inesperado poderia ser gasto com alimentação e hospedagem, durante as viagens de ônibus. Ele e o irmão mais novo enfrentam a maratona de ir para São Paulo, uma vez por semana, em busca de trabalho.

Em Mogi das Cruzes, no único terminal rodoviário da cidade, as linhas que vão até Belo Horizonte e Rio de Janeiro também estão mais caras. Tanto na compra direto do guichê da rodoviária, quanto na internet, o preço da passagens de ônibus são automaticamente aplicado. Quem reservar o bilhete pelo site Quero Passagem, por exemplo, vai ter de pagar cerca de R$ 10 a mais, em viagens de Mogi das Cruzes até Belo Horizonte. O trajeto custa em média R$ 110 para viagem de ida. Já para linhas até o Rio de Janeiro, a passagem é um pouco mais barata, podendo ser reservada por menos de R$ 100.

Belém do Pará
O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (DIEESE-PA) calculou que em média os passageiros gastam R$ 540 para sair de Belém até o Rio de Janeiro, e agora com o novo reajuste tarifário, irão gastar cerca de R$ 600. Para se deslocar até São Luiz, o preço da passagem já calculado com o aumento é de R$ 110. As distâncias percorridas inferiores a 75 km também devem ficar mais caras em breve. A expectativa é de que a mesma porcentagem do aumento seja cobrada em linhas intermunicipais até a segunda semana de Julho começar.

Rodoviária de Belém vê preço de passagem subir em feriado

preço de passagensSe você pretende viajar de ônibus durante o próximo feriado em Belém, é melhor preparar o bolso.  No último feriado prolongado (27), as passagens rodoviárias e de barco do município paraense ficaram mais de 15% mais caras. Medido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), o valor é praticado em passagens que dão direito a embarques entre bairros e municípios vizinhos da capital. Quem viajou rumo aos balneários de Outeiro e Mosqueiro, em Belém teve de pagar uma diferença de até 45 centavos. As passagens de ônibus passaram de R$ 3,90 para R$ 4,35, registrando um aumento bem significativo em relação ao mesmo período do ano passado.

Além de tudo, não foi só o transporte rodoviário que ficou mais caro nesta época do ano. O combustível também encareceu em 20%, na comparação dos últimos 12 meses. É um aumento que pode fazer muita diferença na hora de calcular e atualizar o valor das passagens. Com tanta inflação, o movimento ficou mais discreto durante o último feriado. Para se ter uma ideia, no Terminal Hidroviário de Belém, uma embarcação com capacidade para até 800 passageiros viajou com menos da metade de sua capacidade, rumo ao Marajó. O mesmo aconteceu no terminal rodoviário da capital, que não teve grande aglomeração de pessoas durante a sexta-feira santa. Os dias de maior movimento se concentraram na véspera do feriado e durante o final de semana.

Apesar da queda no movimento, a administração da rodoviária de Belém reforçou a frota municipal com 50 veículos extras para linhas com destino a Mosqueiro e mais 30 ônibus partindo para Outeiro. Quem depende do transporte rodoviário de Belém para se deslocar deve guardar uns trocados a mais para embarcar neste próximo feriado, do dia 21 de Abril. Mas vale ressaltar que o aumento não interfere no preço das passagens de ônibus interestaduais, com saída do terminal rodoviário de Belém. Já que os reajustes das passagens acontecem apenas uma vez por ano e por lei é proibido o aumento no preço dos embarques sem autorização da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Passagem de ônibus de Tatuí é vendida a R$ 3

Reajuste da passagem é inesperado.

Reajuste da passagem é inesperado.

A passagem de ônibus de Tatuí está valendo R$ 3 desde o dia 1 de outubro. No mês passado, o valor gasto para embarcar nos coletivos da cidade paulista era R$ 0,50 mais barato. O reajuste pegou muita gente de surpresa, já que não houve anúncio oficial do aumento, dias antes das catracas alterarem o valor. Para a secretaria de Finanças e Planejamento de Tatuí, o aumento tarifário foi necessário para manter o serviço rodoviário em funcionamento. Sem o reajuste no valor pago por cada bilhete rodoviário, a companhia de ônibus não teria capacidade de continuar operando, e o contrato poderia ser rompido a qualquer momento.

Segundo a prefeitura, o reajuste que representa 20% do valor pago para utilizar o serviço já esteva previsto em contrato com a viação Rosa, empresa responsável pela operação das linhas municipais de Tatuí, desde 2011. Como acontece com a maior dos municípios brasileiros, o pedido de aumento foi maior do que o aceito pela prefeitura. Para a concessionária, R$ 3,36 seria o valor ideal a ser cobrado para população viajar de ônibus pela cidade, sem sobrecarregar as finanças da transportadora. Mesmo assim, com a passagem rodoviária R$ 0,50 mais cara, a maioria dos trabalhadores da cidade sentiram o aumento, e reclamaram da falta de aviso, dias antes do novo valor vigorar.

Muitos afirmam que pagar por R$ 6 para ir e voltar do trabalho, todos os dias, vai prejudicar no orçamento final do mês, enquanto que alguns não gostaram nem um pouco do fato de não terem visto nenhum aviso sobre o aumento, através de cartazes e panfletos no interior dos ônibus, com pelo menos alguns dias de antecedência. A despesa de quem vai e vem com os ônibus será de R$ 1 a mais por dia. A diferença somada em outubro, que tem 21 dias úteis, passa de R$ 20 – uma quantia suficiente para comprar uma dúzia de ovos, um quilo de cebola, um quilo de tomate, entre outros itens de uma cesta básica.

Preço de passagens intermunicipais dispara no segundo semestre

Preço de passagens subiu no segundo semestre.

Preço de passagens subiu no segundo semestre.

Quem depende do transporte rodoviário intermunicipal para se locomover não tem muito que comemorar no segundo semestre de 2015. A maioria das rotas rodoviárias subsidiadas por parte das prefeituras sofreu reajuste nos últimos três meses. Com a alta do dólar, o desnível inflacionário e a desaceleração econômica vivida pelo país, o setor rodoviário se viu obrigado a praticar um reajuste generalizado no preço das passagens rodoviárias que correspondem a trajetos intermunicipais.

Cubatão
A tarifa dos ônibus de Cubatão sofrerá reajuste a partir da semana que vem. O preço da passagem custará R$ 3,20 para a população. O pedido de reajuste na passagem solicitado pela viação Trans Lider, e vigora há dois anos, mas somente agora foi autorizado pela Prefeitura. Apesar do aumento, o transporte coletivo recebeu algumas melhorias. Além da renovação da frota, todos os ônibus deverão oferecer internet grátis e sistema de bilhetagem eletrônica aos seus passageiros.

Santa Catarina
A partir da semana que vem, viajar de ônibus em municípios metropolitanos de Florianópolis vai custar mais caro. O reajuste foi anunciado pelo Departamento de Transportes e Terminais (Deter) e corresponderá as linhas intermunicipais urbanas e rodoviárias em todo o Estado de Santa Catarina. O intuito é recuperar o déficit financeiro e restabelecer o caixa das auto viações, para evitar mais demissões. Nas viagens urbanas, entre municípios de longa distância como os da Grande Florianópolis, o valor da passagem fica 6,4% mais caro. Nas linhas rodoviárias, que são aquelas entre cidades mais distantes, em regiões diferentes, como Joinville e Criciúma, o aumento é ainda maior, de 7,42%.

Porto Alegre
A Agergs – Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul foi favorável ao pedido de reajuste da tarifa rodoviária para linhas de transporte de longo curso e rotas suburbanas. O aumento de mais de 10% passa a vigorar no mês de setembro.

Ceará
A passagem de ônibus intermunicipal de municípios cearenses está 8,24% mais cara, desde a semana passada. O reajuste foi aprovado em agosto pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce) e o Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (DETRAN-CE).

Preço de passagens intermunicipais não sobe em feriado

Valor da passagem não aumenta.

Valor da passagem não aumenta.

O último feriado de junho aliviou o bolso de quem aproveitou a folga para visitar parentes na região metropolitana do Pará, de ônibus. O valor das passagens de ônibus intermunicipais não subiu, segundo análise do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA). Quem viajou de ônibus durante o feriado de Corpus Christi, pagou cerca de 5% mais caro pelas passagens rodoviárias, em outros estados do Brasil.

Exceção: O distrito de Mosqueiro foi à última exceção do Pará. Por lá, o houve aumento no preço das passagens, com elevação de mais de 10%. O aumento foi promovido pela prefeitura de Belém, que teve aval para aplicar o reajuste em maio deste ano. O aumento deixou a passagem comercializada por R$3,90 mais salgada, no valor de R$ 4,35.

Viagem cara: Para o Diesse do Pará, ocupantes de veículos próprios vão sentir no bolso o aumento de várias tarifas, em comparação com o custo gerado no mesmo período do ano passado. A gasolina e o diesel são os maiores vilãs de quem não abre mão de viajar de carro. A maioria dos postos de combustível de Belém está vendendo o litro da gasolina a R$ 3,37 na média, com variações que vão de R$ 3,25 a R$ 3,69. O litro do etanol é um pouco mais barato, com média de R$ 2,87, enquanto que o tanque de óleo diesel sai em média R$3,03 o litro.

Linhas Intermunicipais :Das linhas intermunicipais mais movimentadas com saída de Belém, Marudá é o destino mais caro, com valor das passagens em R$ 21,50. O trajeto mais barato custa apenas R$ 10 e leva interessados da capital até a cidade de Castanhal. Segundo o Diesse, a rota mais procurada durante o feriado religioso é completada por Vigia (R$ 14,10), Bragança (R$ 24), São Caetano de Odivelas (R$ 17,20), Cametá (R$ 43), Curuçá (R$ 19,50), Abaetetuba (R$ 17,80), Barcarena (R$ 15) e Capanema (R$ 20).

Rodoviária de Rio Branco mantém preço de passagem extra

Preço de passagens extras é o mesmo.

Preço de passagens extras é o mesmo.

Novos itinerários oferecidos pela rodoviária de Rio Branco deverão aparecer novamente em vários guichês das principais companhias de ônibus que operam com embarques e desembarques na capital. Depois da Páscoa chegou a vez do feriado de Tiradentes deixar as plataformas do terminal mais movimentadas. Com o demanda, quem não tiver tempo de reservar as passagens antes da hora, poderá contar com as linhas extras, sem pagar mais por isso. O preço de passagem imposta nos pontos de atendimento da Rodoviária Internacional de Rio Branco deve ser o mesmo para quem garantiu o assento nos ônibus de circulação convencional. A única baixa é com relação ao acesso e a forma de adquirir o produto, já que as passagens de ônibus extras não podem ser compradas pela internet e por isso, precisam ser retiradas direto do terminal.

Para quem está acostumado com as compras na internet e já viajou outras vezes com o bilhete reservado pelo computador, estranha todas as vezes que precisa se dirigir ao balcão de atendimento da empresa rodoviária só para escolher o horário de ônibus e a poltrona preferida. Além do conforto e da comodidade, o risco de ter de optar por outros embarques em horários indesejados, é grande. Segundo a Agência Estadual Reguladora de Serviços Públicos do Acre (Ageac), só na Semana Santa foi disponibilizado mais um turno de viagens. Em dias normais, o terminal da capital do Acre atende as linhas interestaduais no período de dia e de tarde. Quando há necessidade de mais veículos operando por causa da movimentação de passageiros, os itinerários abertos também são reforçados, aumentando o número de linhas em todos os períodos.

Boa parte das viagens rodoviárias realizadas pelos acreanos não ultrapassa as divisas do Estado. A maioria dos bilhetes rodoviários é comprada para trajetos de ida e volta até cidades turísticas da região. O lema por lá é economizar. Fato comprovado na grande procura pelo serviço rodoviário, que traz preços bem acessíveis para quem não tem carro ou prefere viajar de ônibus. Um dos destinos mais procurados nos feriados é a cidade de Cruzeiro do Sul, que fica a uma distância de 648 km de Rio Branco.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress