Tag transporte coletivo

Novos ônibus de Porto Alegre podem encarecer preço da passagem

Porto Alegre ganhará nova frota de veículos.

Porto Alegre ganhará nova frota de veículos.

As passagens rodoviárias de Porto Alegre podem ficar mais caras com a renovação da frota que comandará o transporte público da capital do Rio Grande do Sul. Os novos veículos fazem parte de uma das recomendações previstas em contrato, que deverá ser assinado até o final do ano. O documento é válido para operações rodoviárias durante os seis primeiros meses de 2016. Neste período, a companhia de ônibus que integrar o novo serviço de transporte coletivo na capital, terá direito a reajustar o preço da passagem de ônibus em até duas oportunidades, durante o ano que vem. O que tudo indica é que em fevereiro, a tarifa rodoviária sofre seu primeiro aumento.

A correção da inflação prevista no segundo semestre em diante, também colocará o valor das passagens em vulnerabilidade. As empresas vencedoras da licitação são velhas conhecidas da cidade e agora passarão a operam em seis regiões de Porto Alegre. A Mob Mobilidade (atual Conorte) irá operar na Zona Norte e o Consórcio Sul (atual STS) atuará na Zona Sul. A Zona Leste será dividida entre os consórcios Via Leste e Sudeste Mais (ambos integravam o consórcio Unibus). A Carris, que tem aval para transportar passageiros em 22% das linhas que cruzam a capital, perderá seis rotas a partir do ano que vem. A renovação dos veículos é uma das grandes vantagens asseguradas no contrato. No total, mais de 370 ônibus que circularem pelas ruas da cidade, serão renovados. Desse montante, mais de 70 unidades devem ser novas. O número também representa aumento na quantidade de embarques, como meio de reduzir a superlotação das viagens.

Ar Condicionado
O sistema de climatização dentro dos veículos ainda é um sonho um pouco mais distante. Para os consórcios, a exigência é de que apenas 25% da frota seja equipada com ar-condicionado, desde o início das operações. A população deverá perceber um aumento de 10% a cada ano. Com a decisão, o projeto de lei que obrigava o uso do aparelho em todos os ônibus vai ficar para depois. O projeto foi aprovado pela câmara, mas vetado pela prefeitura de Porto Alegre.

Passagem de ônibus de Itajaí sofre reajuste pela segunda vez

O jeito vai ser recorrer as bicicletas.

O jeito vai ser recorrer as bicicletas.

Esta é a segunda vez no ano em que o passageiro de ônibus de Itajaí, Santa Catarina, terá de pagar mais caro para embarcar nos ônibus rodoviários da cidade. Há seis meses, o sistema de transporte público sofreu reajuste, elevando a tarifa rodoviária para R$ 3,00 para reservas antecipadas e R$ 3,30 para compras na hora de embarcar. Com o aumento praticado no mês passado, equivalente a 9%, o preço do serviço varia de R$ 3,27 a R$ 3,60. O custo para recarregar o cartão do transporte vai ficar R$8,10 mais caro.

Reposição é necessária

Para a prefeitura de Itajaí, o aumento no preço das passagens rodoviárias se dá as taxas inflacionárias que vêm desequilibrando as finanças das auto viações, comprometendo a qualidade na prestação do serviço. Segundo o departamento de Urbanismo da cidade, o preço do combustível, do óleo e das peças de reposição ajudou a prefeitura a recalcular, junto às empresas rodoviárias, o reajuste tarifário. Segundo dados do IBGE, o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo e o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, ficaram acumulados na casa dos 8%. Se o aumento fosse fechado a critério e gosto das empresas, o preço do bilhete rodoviário seria ainda maior. As auto viações vem cobrando do poder executivo, um aumento de R$ 3,70 desde abril deste ano.

O jeito é apelar para as bicicletas

O segundo aumento no valor das passagens vai impactar e muito, no bolso de vários moradores de Itajaí. Por conta disso, alguns moradores vão recorrer às bicicletas. A expectativa e que o aumento da prática das “pedaladas” e dos trajetos a pé sejam feitos por passageiros que utilizam o transporte coletivo em até duas ocasiões durante a semana. A iniciativa agrada o meio ambiente, mas pode preocupar a manutenção do sistema rodoviário da cidade, já que se a demanda faltar, as empresas de ônibus serão obrigadas a se reunirem em busca de um novo aumento.

Valor da Passagem de ônibus em Santos vai subir

Sobe preço de passagens.

Sobe preço de passagens.

Os moradores da cidade que representa o último time campeão do Campeonato Paulista de Futebol não terá a mesma sorte na hora de pagar pelas passagens rodoviárias. Em breve, o valor da passagem de R$ 2,90 deverá passar para R$ 3,25, contabilizando um aumento tarifário de 12%. A mudança prevista pela Comissão Especial de Licitação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) entrara em vigor depois que a prefeitura de Santos definir a auto viação vencedora da licitação do transporte público que atenderá a baixada santista. A viação Piracicabana foi a única a se classificar para a última parte do processo licitatório e só deixará de ser declarada vencedora se não apresentar todos os documentos necessários. Apesar do aumento no preço da passagem desagradar, o reajuste poderia ter sido maior se a empresa Mobibrasil Transporte São Paulo Ltda não fosse desclassificada. Ela não apresentou a planilha dos encargos sociais previstos e ofereceu bilhetes rodoviários no valor de fixo imposto pela CET, que é ainda 5 centavos mais caro.

Passagem rodoviária em Londrina
O transporte coletivo de Londrina, no norte do Paraná também acaba de sofrer o mesmo reajuste tarifário de Santos. Por lá, a passagem de ônibus que custava R$ 2,95 passou a ser vendida por R$ 3,25. Os 12% de aumento foi concedido através de decisão judicial, que obrigou a prefeitura incluir na planilha de custos, uma taxa de lucro pelo serviço prestado. Contrário a decisão da prefeitura, o percentual de lucratividade prescrito em contrato é 4,5% a menos do que o exigido pela justiça, que está impondo multa diária de R$ 30 mil, caso a prefeitura se nega a cumprir a medida. Em contrapartida, a Procuradoria-Geral de Londrina entrará com um recurso para tentar reverter a decisão. “Nós temos a expectativa de que outras estratégias jurídicas possam reverter esse cenário. Estamos planejando que seja em um prazo relativamente curto”, afirma Kireeff. Este é o segundo aumento da tarifa em quatro meses. Em janeiro preço da passagem subiu, passando de R$ 2,65 para os atuais R$ 2,95 , em um aumento de quase 12%.

Valor da passagem de Curitiba sobe em fevereiro

É hora de pegar o calendário e fazer as contas.

É hora de pegar o calendário e fazer as contas.

O valor da passagem rodoviária no sistema de transporte coletivo de Curitiba vai sumir a partir do primeiro final de semana de fevereiro. O aumento calculado em mais de 10% elevará a tarifa antes praticada por R$ 2,85 para R$ 3,30. Para minimizar o prejuízo com o reajuste, a dica é garantir o embarque através do cartão-transporte. Com ele, é possível economizar 15 centavos em cada viagem de ônibus. Quem já utiliza o recurso só começará a pagar mais caro pelos bilhetes rodoviários, daqui 30 dias. Já fazem dois anos que a prefeitura da cidade não aumenta o preço das passagens. O último reajuste praticado em 2013 elevou as tarifas em 12%. Segundo a prefeitura, com o que estava sendo cobrado não era possível subsidiar os salários dos funcionários e dos insumos que correspondem 50% e 20% respectivamente.

Para operar sobre o preço calculado pelos índices da tarifa técnica, somando os custos operacionais do sistema, era preciso desembolsar mais 30 centavos em cada embarque realizado. O valor é baseado nos percentuais de reajuste dos itens que compõem a planilha de custos do sistema, projetando uma variação salarial dos trabalhadores próxima do INPC dos últimos 12 meses. A prefeitura de Curitiba deve assumir os custos de operação da Rede Integrada de Transporte (RIT), na ordem de R$ 2 milhões, para atuação de linhas urbanas da cidade.

Caso o governado Beto Richa não concorde com o preço repassado ao Estado para atender a região metropolita do Paraná, o valor não deverá ser passado pelos cofres do Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), garantindo a transparência dos investimentos no setor de transportes do estado paranaense, mesmo que o transporte intermunicipal seja de responsabilidade dos Estados. Aproveitando a onda dos reajustes, funcionários das empresas rodoviárias formados por motoristas e cobradores já se organizam para realizar uma breve em busca de aumento salarial e outros benefícios. A negociação será intermediada entre representantes patronais, em defesa de um reajuste de 17% no salário. Apesar disso, o que se sabe é que a prefeitura está disposta a pagar apenas 7% dessa diferença.

Valor da Passagem rodoviária sobe no interior de São Paulo

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens rodoviária de Rio Claro.

O valor da passagem rodoviária do ano que vem vai ficar R$ 0,40 mais caro, para moradores de Rio Claro, no interior de São Paulo. O reajuste já aprovado pela prefeitura da cidade está propondo aumento de 13% nas catracas. Com a diferença, centenas de usuários do serviço deverão pagar R$ 3,30 para cada bilhete de ônibus, que antes era comercializado por R$ 2,90. Segundo a prefeitura, o preço da passagem está fora do índice inflacionário há pelo menos dois anos. No ano passado, as auto viações chegaram a vender passagens por R$ 3, porém, cinco meses depois do reajuste, a prefeitura recuou e diminui o valor da passagem para R$ 2,90. Para propor o aumento, a Secretaria de Mobilidade Urbana e Sistema Viário realizou um estudo técnico com avaliação dos impactos causados pelos preços de insumos, pneus, óleo diesel, lubrificantes e mão de obra.

Quem depende do transporte coletivo diariamente para trabalhar, poderá ter uma despesa adicional de mais de R$ 20. É o caso da costureira Vanda, de 35 anos. Ela utiliza o ônibus todo o dia para ir e voltar do trabalho e se assustou quando fez as contas calculando o novo valor. O preço praticado em Rio Claro é um dos mais caros, comparado com o valor cobrado pelas companhias de ônibus das cidades vizinhas. Em Bauru, distante a 182 km de Rio Claro, a passagem de ônibus pode ser reservada pelo valor de R$ 3,00.

Além da reclamação, a maioria dos usuários pouco acredita que a qualidade do serviço prestado irá melhorar. Muitos dizem estar insatisfeito com o conforto e a pontualidade das transportadoras, e cobram serviços compatíveis com o que está sendo praticado nas catracas. Empresários do setor e representantes do Conselho Municipal de Transportes de Rio Branco afirmam que o aumento da tarifa dos ônibus, deve ser realizado com base na inflação de 23%, acumulada nos últimos dois anos, levando em consideração a valorização do salário mínimo dos últimos quatro anos e o reajuste do diesel que saltou de R$ 2,52 em 2011 para R$ 3,08 neste ano.

 

Preços de passagens de ônibus estão defasados de capitais

Óleo diesel soma 25% dos gastos das auto viações.

Óleo diesel soma 25% dos gastos das auto viações.

De acordo com a conta da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU), habitantes das capitais brasileiras estão pagando menos do que deveriam para embarcar em ônibus rodoviários. Segundo a entidade, os preços de passagens de ônibus estão pelo menos 12,8% abaixo do valor praticado nas demais catracas do país. Mesmo sabendo da dificuldade de subsidiar o serviço, muitos prefeitos preferem não atualizar o valor da passagem com medo de abrir caminho para novas manifestações, como aconteceu no ano passado. Por causas dessas ameaças, ficou 5% mais barato andar de ônibus nas capitais do país. Valor barateado, graças às desonerações e reduções, em contrapartida com o aumento de 17,8% no preço das passagens para suportar as gratuidades e outros benefícios propostos pelo setor.

Para a NTU, o governo não quer colaborar com o transporte coletivo, criando políticas de incentivo que só privilegiam o transporte individual. Um desses exemplos é o óleo diesel, que em menos de dois anos, subiu 38%, cerca de 20% a mais do reajuste praticado no preço da gasolina. Nos últimos 15 anos, o combustível ficou 202% mais caro para as companhias de ônibus, enquanto que o os motoristas não tiveram que pagar mais de 100% para encher o tanque. A associação assegura que o óleo diesel representa 23% do custo total dos serviços de transportes e barateá-lo é uma ótima alternativa. Se depender da NTU, parte dos repasses destinados aos municípios brasileiros deveriam ser suficientes para cobrir, ao menos, metade do que as auto viações gastam para estar em circulação.

A NTU pretende estimular a criação de mutirão nacional em favor dos planos de mobilidade urbana, além de dar apoio a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 307/13, que destina 70% dos recursos da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) aos municípios, 20% aos estados, e 10% ao governo federal. Entre tantas alternativas, também está a elaboração de um programa emergencial de qualificação do transporte público urbano por ônibus. Além de cobrir os gastos operacionais, os projetos da associação do setor rodoviário garante que o preço da passagem rodoviária cairia pela metade.

Preço de passagens 2014 trará boas recordações aos cariocas

Passagens rodoviários do Rio de Janeiro devem ficar mais caras.

Passagens rodoviários do Rio de Janeiro devem ficar mais caras.

O aumento já esperado de 5% no valor do diesel poderá elevar o preço das passagens rodoviárias, logo no começo do ano novo, para quem mora no Rio de Janeiro. Se a previsão da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU) estiver certa, o preço de passagens 2014 praticado desde o último reajuste em março deixará saudades. A estimativa é de que os insumos gerem um aumento na tarifa rodoviária de pelo nos R$ 0,10. Para a NTU, o valor do combustível pode prejudicar o orçamento das companhias rodoviárias em até 30%. Uma porcentagem elevada e desleal quando é comparada com os custos para automóveis, que apenas terão de pagar aumento de 3% sobre a gasolina.

O repasse desprivilegiando o transporte coletivo deve impactar no valor das passagens, e ainda inviabilizar investimentos na melhoria e renovação de frotas rodoviárias que atendem os municípios cariocas. Especialistas em inflação acreditam que o reajuste tarifário é inevitável, no entanto, não deve salgar o bolso do consumidor, porque o valor estabelecido nas catracas, ainda está abaixo do limite proposto pelas capitais brasileiras. Para a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio (Fetranspor), as passagem de ônibus do Rio já estavam defasadas antes do aumento do diesel, por causa do recuo causado pelas manifestações, no meio do ano. De lá pra cá, as auto viações também reajustaram os salários dos funcionários em 10%.

Quatro consórcios que administram os ônibus rodoviários estão livres para realizar o reajuste anual ainda em janeiro, segundo fórmula paramétrica, com base nos índices calculados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os dados medem o aumento de custos, como combustível, mão de obra, veículos e peças, e estão assegurados nos contratos de concessão. No restante do Brasil, os reajustes já começaram a ser praticados. Em Curitiba, por exemplo, a passagem de ônibus saltou de R$ 2,70 para R$ 2,85, e Recife deve definir os novos valores ainda neste mês. Já em São Paulo, o bilhete rodoviário não será reajustado, permanecendo em R$ 3, graças aos subsídios milagrosos da prefeitura.

Preço de passagens de ônibus intermunicipal sobe na Paraíba

Preço de passagem rodoviária sobe 7%.

Preço de passagem rodoviária sobe 7%.

O preço de passagens de ônibus intermunicipais para viagens no estado de Paraíba ficou 7% mais caro, desde o último domingo (9). Além do reajuste tarifário para o transporte rodoviário de passageiros, o valor para comprar uma passagem de balsa entre a travessia de Cabedelo a Costinha, também ficou mais caro. O aumento segue avaliação dos percentuais elevados pelo preço inflacionário nos últimos 12 meses. Apesar do descontentamento com o reajuste elevado já ser esperado por boa parte dos passageiros, a mudança aprovada pelo Conselho Executivo do Departamento de Estradas de Rodagem da Paraíba (DER) não correspondeu as expectativas das empresas rodoviárias responsáveis pelas viagens de ônibus entre linhas intermunicipais de Paraíba.

Para elas o valor ficou abaixo do pretendido para subsidiar reajustes salariais de funcionários, custos de operação como peças de reposição e insumos, e até os gastos com combustível. Quem depende do transporte coletivo para se deslocar até linhas urbanas e rodoviárias vai ter que pagar mais caro para continuar viajando. A linha Cabedelo/Costinha feita por transporte fluvial também está mais salgada para o bolso do usuário. As rotas rodoviárias mais movimentadas que passaram a reconhecer o aumento, partem da capital João Pessoa com destino a Cajazeiras, Conceição, Patos, Campina Grande, Guarabira, Itabaiana e Mamanguape. A linha rodoviária que mais subiu ficou cerca de R$ 6,00 mais cara. Confira o preço atualizado das passagens rodoviárias para ônibus urbanos de Paraíba:

João Pessoa/Alhandra – de R$ 6,25 para R$ 6,70
João Pessoa/Santa Rita  – de R$ 2,60 para R$ 2,85
João Pessoa/Santa Rita/Várzea Nova – de R$ 1,85 para R$ 2,00
João Pessoa/Cabedelo – de R$ 2,40 para R$ 2,55
João Pessoa/Renascer – de R$ 2,20 para R$ 2,35
João Pessoa/Conde – de R$ 3,90 para R$ 4,20
João Pessoa/Jacumã  – de R$ 6,25 para R$ 6,70
João Pessoa/Jacumã (via PB-008)  – de R$ 2,90 para R$ 3,10
João Pessoa/Bayeux  – de R$ 1,85 para R$ 2,00
João Pessoa/Bayeux/Sesi  – de R$ 1,20 para R$ 1,30
Campina Grande/Lagoa Seca  – de R$ 2,10  para R$ 2,25
Campina Grande/ Alagoa Nova – de R$ 4,10 para R$ 4,40
Campina Grande/Fagundes  – de R$ 3,85 para R$ 4,10
Campina Grande/ Serra Redonda – de R$ 4,10 para R$ 4,40
Campina Grande/Massaranduba  – de R$ 3,15 para R$ 3,35
Campina Grande/Queimadas – de R$ 3,15 para R$ 3,35
Mamanguape/Rio Tinto  – de R$ 1,60 para R$ 1,70

Subsídio aumenta para compensar valor da passagem de Sorocaba

Subsídio de gratuidades no transporte rodoviário.

Subsídio de gratuidades no transporte rodoviário.

No ano que vem, cerca de R$ 36 milhões deverão ser gastos para subsidiar o transporte público de Sorocaba. A estimativa que prevê aumento de 25% no orçamento comparado com o que foi gasto este ano, faz parte do montante não arrecadado nas viagens de ônibus grátis para idosos, ou em tarifas reduzidas, concedidas em programas realizados pelas companhias rodoviárias. Pelos números da Urbes – Trânsito e Transportes, a cidade paulista tem um custo anual de R$ 200 milhões para fixar o valor da passagem de ônibus. Para garantir as gratuidades embutidas neste valor, é preciso que a própria autarquia desembolse R$ 29,5 milhões do seu orçamento, com o repasse municipal de R$ 6,5 milhões, para completar a diferença.

Com este investimento é possível garantir o transporte coletivo de pelo menos 4,9 milhões de passageiros, todo o mês. É esse número que determina quanto as concessionárias irão faturar no final do mês, mesmo quando elas liberam a passagem de idosos e outros grupos favorecidos. Segundo a Urbes, até setembro deste ano, R$ 26 milhões já foram gastos em subsídios para as empresas de ônibus de Sorocaba. Deste total, cerca de R$ 2,8 milhões foram financiados para cobrir as despesas de operação das companhias. O subsídio ao sistema de transporte coletivo é gerado através dos custos não cobertos pela tarifa pública, como a Integração Temporal, a Redução Tarifária (programa Domingão); Serviço de Transporte Especial e as gratuidades que no município paulista, prevê o embarque gratuito de passageiros entre 60 e 64 anos.

Nos últimos anos, a procura pelas passagens de ônibus coletivo da cidade vem registrando aumentos de 2% a 3% anuais. Apesar de o número ser pequeno, está entusiasmando responsáveis por órgãos que controlam o setor rodoviário de Sorocaba. De qualquer maneira, é preciso acompanhar a situação em que o brasileiro enfrenta no seu cotidiano. É importante estar sempre em observação para avaliar qual é a situação real da economia e da parte social do país, já que desempregos e alta dos impostos podem reduzir significativamente o número de interessando no transporte público de médias e grandes cidades.

Sobe preço da passagem de ônibus de União da Vitória no Paraná

Preço de passagens de ônibus nas principais capitais do Brasil volta a subir no começo de 2014. Prefeituras não tem como subsidiar os descontos.

Valor da passagem rodoviária sobe 10%.

Autoridades políticas da cidade de União da Vitória, na região Sul do estado do Paraná entraram em um acordo com empresas rodoviárias e representantes públicos para poder elevar o preço da passagem de ônibus na cidade. A partir da segunda-feira que vem (15), todos os passageiros de ônibus do município paranaense terão que desembolsar 10% a mais do que já estavam habituados para embarques rodoviários, desde abril de 2012 – data que segundo o prefeito Pedro Ivo Ilkiv, está defasando o valor real da tarifa. Aprovado na primeira sexta-feira de setembro (5), em uma audiência pública promovida na Casa de Leis de União da Vitória, o aumento é válido para o transporte público e especial que faz integração com áreas rurais pertencentes ao município.

Com o reajuste, a passagem rodoviária salta de R$ 2,35 para R$ 2,60 – o que equivale a um aumento de 25 centavos, valor considerado caro para a diarista Eugênia Alerioralde, que embarca em um dos veículos coletivos todos os dias para trabalhar. O preço dos bilhetes rodoviários para quem mora em propriedades rurais ficou ainda mais caro, passando de R$ 5,50 para R$ 6,00. A diferença de 50 centavos também vai começar a vigorar do dia 15 de setembro em diante. A auto viação Nossa Senhora da Piedade, principal empresa que realiza o transporte urbano da cidade, admite que os programas de gratuidades para idosos e a inflação sobre os preços dos combustíveis tem prejudicado as operações durante o ano todo.

Se dependesse da companhia de ônibus, o aumento já teria sido praticado desde maio deste ano, quando a prefeitura recebeu o pedido de reajuste no preço da passagem. “Precisamos do reajuste para continuar garantindo aos nossos clientes, a segurança e qualidade adequada em todas as viagens de ônibus”, impõe Rodrigo Hoelzl, um dos responsáveis pela empresa que segundo ele, vem arcando com os próprios custos do sistema. Apesar de contrariar a maioria da população, essa foi a primeira audiência pública do ano realizada pela prefeitura de União da Vitória para debater temas a respeito do transporte coletivo da cidade.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress