Tag preco de passagem

Preço da passagem de Cuiabá não sofrerá aumento neste ano

2017 passagemAté o ano acabar, o preço da passagem de ônibus de Cuiabá não vai subir. Essa é uma das promessas do prefeito eleito, Emanuel Pinheiro, para o setor rodoviário. O serviço rodoviário atende de 3,1 milhões de passageiros ao mês, entre pagantes e não pagantes, e não opinião do prefeito deve melhorar. Custando atualmente R$ 3,60, a passagem de ônibus do Mato Grosso é considerada uma das mais caras do Brasil. O sistema de transporte público da capital conta, atualmente, com 398 ônibus. Para o prefeito, o preço cobrado atualmente não é compatível com a qualidade do serviço prestado.

A frota deveria estar equipada com ar-condicionado, elevadores para cadeirantes e outros itens, mas a maior parte dela precisa de várias adequações. Já a Associação Mato-grossense dos Transportes Urbanos (MTU) anunciou no início do ano, um pedido de reajuste de mais de R$ 0,40. O que deixaria a passagem ainda mais cara. As empresas que atuam no transporte rodoviária da cidade estão operando sob contrato emergencial, através de um licitação que venceu em 2012. A última licitação foi realizada há mais de 10 anos. Atualmente, as empresas Pantanal, Norte Sul e Integração Transportes circulam pelos bairros de Cuiabá.

Elas têm contrato com validade até 2019 e podem se arruinar os planos do atual prefeito de modernizar os serviços e melhorar a qualidade do transporte, sem aumentar o valor da tarifa rodoviária. Além do respaldo da população, a prefeitura de Cuiabá conta com parecer do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), que já encaminhou relatório de uma auditoria realizada pelo órgão de controle, sugerindo e apontando a necessidade de se realizar melhorias em todo o sistema de transporte público da capital.

Aumento de 9% deixa as passagens de ônibus mais caras

Preço de passagem de ônibusO reajuste nas passagens de ônibus que passaram a vigorar desde o primeiro dia de Julho deixou muitos passageiros insatisfeitos. Com a aprovação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) o aumento já está em vigor, principalmente nas cidades paranaenses. Com a mudança, passageiros da região noroeste do Paraná precisarão desembolsar mais dinheiro para viajar para outros estados. As passagens de ônibus interestaduais e internacionais para trajetos a partir de 75 km sofrerão reajuste de 9,042%. As passagens de ônibus que fazem o trajeto de Cianorte, Umuarama e Paranavaí para São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina ou Distrito Federal tiveram reajuste considerável.

O usuário que pretende viajar, por exemplo, de Paranavaí para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, terá que desembolsar R$ 112,32, antes a passagem custava R$ 103,20. A tarifa do trajeto de Umuarama para Presidente Prudente, no interior de São Paulo, passou de R$ 84 para R$ 86. Já a passagem de ônibus de Cianorte para Uberlândia, em Minas Gerais, a passagem foi de R$ 143,15 para R$ 156,10. O reajuste se deve a recomposição do poder aquisitivo da moeda em razão de variações inflacionárias que trazem impactos aos custos das prestações de serviços. O reajuste, diz a ANTT, é calculado de acordo com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e do preço do óleo diesel.

Quem viaja costumeiramente se assustou ao passar no guichê e receber o anúncio do reajuste, mesmo sabendo que o momento é complicado e o país passa por uma crise econômica e política, e a maior reclamação dos usuários, na maioria das vezes é que esse reajuste não é repassado em melhorias, mas segundo a ANTT esse reajuste é anual e consta em Diário Oficial, por isso nem todas as agências informam aos passageiros e acabam os pegando de surpresa. Outros fatores para o reajuste são: concessões feitas em negociações coletivas de trabalho, como a que proveu 10% de aumento salarial e 25% de aumento no vale-refeição aos motoristas e cobradores trouxeram “aumento de custos” aos empresários. O aumento da passagem procede, e ainda assim ele ficou um pouco abaixo da inflação.

Diminui preço de passagem de José de Freitas a Teresina

preço de passagemO trajeto rodoviário que liga os municípios vizinhos de José de Feitas com Teresina, no Piau está mais barato para quem vai de ônibus. Depois de promover uma reunião no início deste mês, a ATEUTC – Associação dos Trabalhadores e Estudantes Usuários dos Transportes Coletivos da cidade anunciou que o aumento de 50 centavos no preço das passagens de ônibus havia sido suspenso. A passagem rodoviária que dá direito a viagem intermunicipal até a capital do Piauí chegou a custar R$ 4,00 no começo deste ano. Mas com pressão da associação e de possíveis manifestações populares, a viação São Joaquim, responsável pelo transporte urbano da cidade, decidiu retornar o valor da passagem antigo. Com a mudança o preço para embarcar em um dos ônibus da linha José de Freitas x Teresina passou para R$ 3,50.  O desconto também é válido para trabalhadores e estudantes da cidade.  A ATEUTC pretendia concentrar o maior número de pessoas no teatro municipal de José de Freitas para discutir sobre o aumento no preço das passagens de ônibus e posteriormente gerar pressão popular contra a operadora, através de manifestações.

Preço da passagem de ônibus de Altos
Em Altos, município a cerca de 40 km de Teresina, o preço da viagem rodoviária até a capital também está mais barato. O valor acordado entre a prefeita Patricia Leal, o secretário estadual de Transporte, Avelino Neiva e representantes do Conselho de Transporte Intermunicipal garantiu a passagem de Altos até Teresina por apenas R$ 2,50 para quem ainda estiver na escola. Os trabalhadores devem pegar R$ 3,30, ou seja, um desconto de 70 centavos com relação ao valor cobrado para os demais passageiros. Apesar de ter sido aprovado pela população, o preço dos bilhetes rodoviários pode subir depois do processo de licitação ser finalizado. O documento deve regularizar o transporte intermunicipal entre as duas cidades até o primeiro semestre deste ano. Sem os descontos, o preço da passagem para estudantes de Altos estava em R$ 2,80 e para os trabalhadores era vendido a R$ 3,60.

Passagem de ônibus de Tatuí é vendida a R$ 3

Reajuste da passagem é inesperado.

Reajuste da passagem é inesperado.

A passagem de ônibus de Tatuí está valendo R$ 3 desde o dia 1 de outubro. No mês passado, o valor gasto para embarcar nos coletivos da cidade paulista era R$ 0,50 mais barato. O reajuste pegou muita gente de surpresa, já que não houve anúncio oficial do aumento, dias antes das catracas alterarem o valor. Para a secretaria de Finanças e Planejamento de Tatuí, o aumento tarifário foi necessário para manter o serviço rodoviário em funcionamento. Sem o reajuste no valor pago por cada bilhete rodoviário, a companhia de ônibus não teria capacidade de continuar operando, e o contrato poderia ser rompido a qualquer momento.

Segundo a prefeitura, o reajuste que representa 20% do valor pago para utilizar o serviço já esteva previsto em contrato com a viação Rosa, empresa responsável pela operação das linhas municipais de Tatuí, desde 2011. Como acontece com a maior dos municípios brasileiros, o pedido de aumento foi maior do que o aceito pela prefeitura. Para a concessionária, R$ 3,36 seria o valor ideal a ser cobrado para população viajar de ônibus pela cidade, sem sobrecarregar as finanças da transportadora. Mesmo assim, com a passagem rodoviária R$ 0,50 mais cara, a maioria dos trabalhadores da cidade sentiram o aumento, e reclamaram da falta de aviso, dias antes do novo valor vigorar.

Muitos afirmam que pagar por R$ 6 para ir e voltar do trabalho, todos os dias, vai prejudicar no orçamento final do mês, enquanto que alguns não gostaram nem um pouco do fato de não terem visto nenhum aviso sobre o aumento, através de cartazes e panfletos no interior dos ônibus, com pelo menos alguns dias de antecedência. A despesa de quem vai e vem com os ônibus será de R$ 1 a mais por dia. A diferença somada em outubro, que tem 21 dias úteis, passa de R$ 20 – uma quantia suficiente para comprar uma dúzia de ovos, um quilo de cebola, um quilo de tomate, entre outros itens de uma cesta básica.

Passagem de ônibus e metrô sobe 40% em Brasília

Brasilia (DF)

Brasilia (DF)

A passagem de ônibus e do metrô do Distrito Federal está 40% mais cara, desde o dia 20 de setembro. O aumento equivalente ao transporte público de Brasília foi anunciado pela prefeitura. Segundo publicação, o preço da passagem rodoviária não sobe desde 2006. Com o reajuste, as tarifas que custavam R$ 1,50 passaram para R$ 2,25; as de R$ 2, para R$ 3; as de R$ 2,50, para R$ 3; e as de R$ 3, para R$ 4. O metrô está cobrando R$ 1 a mais pela viagem, e o pior é que nos finais de semana e feriados não haverá mais descontos. Boa parte da população garante que o aumento vai prejudicar o orçamento mensal dentro de casa.

O impacto pode ser maior para aqueles que usam mais de um coletivo para chegar ao trabalho. Além do preço, a falta de horários de ônibus é outra queixa dos brasilienses. Por outro lado, o aumento vai assegurar ao governo do Distrito Federal um repasse de pelo menos R$ 50 milhões, até o final do ano. O valor economizado deve dobrar até o final de 2016, já que a prefeitura subsidia parte da passagem rodoviária na cidade. A secretaria de Mobilidade do Distrito Federal apenas garantiu que as linhas de ônibus podem ser reorganizadas, para o que o tráfego de passageiros nos coletivos seja mais bem distribuído, durante os horários de pico.

O Movimento Passe Livre e outros grupos de manifestantes formados por civis protestaram o aumento, assim que o Governo anunciou o preço das novas tarifas para o metrô e ônibus. Para os manifestantes, é impossível pagar o preço que estão praticando. O Distrito Federal amarga um déficit de R$ 5,2 bilhões no orçamento e por isso, vem aplicando alguns cortes desde o primeiro semestre deste ano. Além do reajuste tarifário, o Governo anunciou novos aumentos de impostos, e o repasse no aumento salarial dos servidores públicos foi vetado. Também não há previsão para novos concursos.

Paranavaí e Cianorte sobem preço da passagem de ônibus

Bandeira do Estado do Paraná.

Bandeira do Estado do Paraná.

Dois municípios localizados no noroeste do Paraná estão com o preço da passagem rodoviária mais cara, deste o mês passado. Em Paranavaí, a 504 km da capital, a passagem de ônibus do transporte coletivo subiu de R$ 2,75 para R$ 2,95. O aumento corresponde ao reajuste tarifário de mais de 9%, com relação ao que era cobrado atualmente. A porcentagem é bem similar ao Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), segundo verificação entre agosto de 2014 e junho de 2015. A soma das despesas com o preço do combustível, o valor gasto para modernizar a frota e o reajuste salarial dos motoristas das empresas rodoviárias, fez parte do paralelo calculado pela prefeitura de Paranavaí, durante discussão do novo decreto. Essa é a primeira vez nos últimos oito anos em que o setor rodoviário consegue subsídio na casa do mesmo percentual inflacionário. Segundo a prefeitura, um dos motivos que mais colaborou com o aumento no valor da passagem foi o reajuste salarial de 34% promovido pela categoria, em 2013.

Passagem de ônibus em Cianorte
Em Cianorte, no noroeste do estado paranaense, as passagens rodoviárias também estão mais caras. Desde o último ajuste, o bilhete rodoviário ficou 20 centavos mais caro. As catracas dos ônibus rodoviários da cidade ficaram dois anos sem registrar aumento. Responsável pelo serviço rodoviário de Cianorte, a viação Cianorte pediu o aumento a prefeitura e repasse para custear a passagem no valor de R$ 3,16. Depois de negociações, a prefeitura conseguiu chegar com o valor em R$ 2,92. Desta diferencia, a cidade deve cobrir R$ 0,72 de cada tarifa, ou seja, um custo de R$ 71 mil por mês. A companhia Cianorte recebe subsídio da prefeitura desde 2013. Na época, a administração pública arcada com 30 centavos da passagem que valia R$ 2,00 para a população. Apesar de o aumento vir de uma reivindicação da transportadora, a prefeitura admite que o reajuste para julho estava previsto em contrato.

Passagens aéreas ficam mais caras durante as férias

Disputa entre preços de passagens.

Disputa entre preços de passagens.

As férias de julho não foram um bom período para descolar passagens aéreas promocionais, na bagagem daqueles que deixaram as reservas em cima da hora. Quem não aproveitou o início do mês para reservar o serviço está tendo que pagar mais caro para sair de Macapá, voando. O percurso com destino até Belém – um dos mais procurados na região está absurdamente caro. Dependendo da data, os bilhetes custam mais de R$ 3 mil, em uma viagem com duração de 30 minutos entre as capitais. Apesar de considerar abusivo, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não tem privilégios para limitar o preço cobrado pelas empresas aéreas, já que o mercado tem regime de liberdade tarifária para os voos domésticos. Na prática convencional, as passagens aéreas destinadas ao trecho chegam a valer pouco mais de R$ 600. Uma realidade bem diferente do que estão cobrando nos últimos dias, para uma linha de curta duração.

Apesar da duração, o trajeto tem muita importância para quem mora em Macapá, já que é de Belém que o restante dos voos nacionais e internacionais acontece. Para se ter uma noção, apenas uma das três companhias aéreas que atendem o Estado, oferecem uma linha sem parar em Belém. O voo com destino a Brasília também está com preço bem salgado neste mês. Outro fator curioso é que está bem mais barato comprar a passagem aérea saindo de Belém para outro destino, do que chegar até a capital do Pará. O trecho Macapá-Belém encarece o valor final da compra, é a lei da procura e demanda. A dica é garantir a passagem com destino final e esperar uma promoção no trecho até a capital de Belém. Também sai mais barato reservar as passagens de ida e volta, de uma vez só.

Anac e PROCON
Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não regulariza o valor das passagens aéreas. É por isso, que as companhias estabelecem os valores conforme as ofertas. Também não vale recorrer ao PROCON, já que o órgão não atende nenhuma das reclamações sobre aumento e valores das passagens.

Valor da Passagem rodoviária sobe no interior de São Paulo

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens rodoviária de Rio Claro.

O valor da passagem rodoviária do ano que vem vai ficar R$ 0,40 mais caro, para moradores de Rio Claro, no interior de São Paulo. O reajuste já aprovado pela prefeitura da cidade está propondo aumento de 13% nas catracas. Com a diferença, centenas de usuários do serviço deverão pagar R$ 3,30 para cada bilhete de ônibus, que antes era comercializado por R$ 2,90. Segundo a prefeitura, o preço da passagem está fora do índice inflacionário há pelo menos dois anos. No ano passado, as auto viações chegaram a vender passagens por R$ 3, porém, cinco meses depois do reajuste, a prefeitura recuou e diminui o valor da passagem para R$ 2,90. Para propor o aumento, a Secretaria de Mobilidade Urbana e Sistema Viário realizou um estudo técnico com avaliação dos impactos causados pelos preços de insumos, pneus, óleo diesel, lubrificantes e mão de obra.

Quem depende do transporte coletivo diariamente para trabalhar, poderá ter uma despesa adicional de mais de R$ 20. É o caso da costureira Vanda, de 35 anos. Ela utiliza o ônibus todo o dia para ir e voltar do trabalho e se assustou quando fez as contas calculando o novo valor. O preço praticado em Rio Claro é um dos mais caros, comparado com o valor cobrado pelas companhias de ônibus das cidades vizinhas. Em Bauru, distante a 182 km de Rio Claro, a passagem de ônibus pode ser reservada pelo valor de R$ 3,00.

Além da reclamação, a maioria dos usuários pouco acredita que a qualidade do serviço prestado irá melhorar. Muitos dizem estar insatisfeito com o conforto e a pontualidade das transportadoras, e cobram serviços compatíveis com o que está sendo praticado nas catracas. Empresários do setor e representantes do Conselho Municipal de Transportes de Rio Branco afirmam que o aumento da tarifa dos ônibus, deve ser realizado com base na inflação de 23%, acumulada nos últimos dois anos, levando em consideração a valorização do salário mínimo dos últimos quatro anos e o reajuste do diesel que saltou de R$ 2,52 em 2011 para R$ 3,08 neste ano.

 

Preço de passagens de ônibus intermunicipal sobe na Paraíba

Preço de passagem rodoviária sobe 7%.

Preço de passagem rodoviária sobe 7%.

O preço de passagens de ônibus intermunicipais para viagens no estado de Paraíba ficou 7% mais caro, desde o último domingo (9). Além do reajuste tarifário para o transporte rodoviário de passageiros, o valor para comprar uma passagem de balsa entre a travessia de Cabedelo a Costinha, também ficou mais caro. O aumento segue avaliação dos percentuais elevados pelo preço inflacionário nos últimos 12 meses. Apesar do descontentamento com o reajuste elevado já ser esperado por boa parte dos passageiros, a mudança aprovada pelo Conselho Executivo do Departamento de Estradas de Rodagem da Paraíba (DER) não correspondeu as expectativas das empresas rodoviárias responsáveis pelas viagens de ônibus entre linhas intermunicipais de Paraíba.

Para elas o valor ficou abaixo do pretendido para subsidiar reajustes salariais de funcionários, custos de operação como peças de reposição e insumos, e até os gastos com combustível. Quem depende do transporte coletivo para se deslocar até linhas urbanas e rodoviárias vai ter que pagar mais caro para continuar viajando. A linha Cabedelo/Costinha feita por transporte fluvial também está mais salgada para o bolso do usuário. As rotas rodoviárias mais movimentadas que passaram a reconhecer o aumento, partem da capital João Pessoa com destino a Cajazeiras, Conceição, Patos, Campina Grande, Guarabira, Itabaiana e Mamanguape. A linha rodoviária que mais subiu ficou cerca de R$ 6,00 mais cara. Confira o preço atualizado das passagens rodoviárias para ônibus urbanos de Paraíba:

João Pessoa/Alhandra – de R$ 6,25 para R$ 6,70
João Pessoa/Santa Rita  – de R$ 2,60 para R$ 2,85
João Pessoa/Santa Rita/Várzea Nova – de R$ 1,85 para R$ 2,00
João Pessoa/Cabedelo – de R$ 2,40 para R$ 2,55
João Pessoa/Renascer – de R$ 2,20 para R$ 2,35
João Pessoa/Conde – de R$ 3,90 para R$ 4,20
João Pessoa/Jacumã  – de R$ 6,25 para R$ 6,70
João Pessoa/Jacumã (via PB-008)  – de R$ 2,90 para R$ 3,10
João Pessoa/Bayeux  – de R$ 1,85 para R$ 2,00
João Pessoa/Bayeux/Sesi  – de R$ 1,20 para R$ 1,30
Campina Grande/Lagoa Seca  – de R$ 2,10  para R$ 2,25
Campina Grande/ Alagoa Nova – de R$ 4,10 para R$ 4,40
Campina Grande/Fagundes  – de R$ 3,85 para R$ 4,10
Campina Grande/ Serra Redonda – de R$ 4,10 para R$ 4,40
Campina Grande/Massaranduba  – de R$ 3,15 para R$ 3,35
Campina Grande/Queimadas – de R$ 3,15 para R$ 3,35
Mamanguape/Rio Tinto  – de R$ 1,60 para R$ 1,70

Subsídio aumenta para compensar valor da passagem de Sorocaba

Subsídio de gratuidades no transporte rodoviário.

Subsídio de gratuidades no transporte rodoviário.

No ano que vem, cerca de R$ 36 milhões deverão ser gastos para subsidiar o transporte público de Sorocaba. A estimativa que prevê aumento de 25% no orçamento comparado com o que foi gasto este ano, faz parte do montante não arrecadado nas viagens de ônibus grátis para idosos, ou em tarifas reduzidas, concedidas em programas realizados pelas companhias rodoviárias. Pelos números da Urbes – Trânsito e Transportes, a cidade paulista tem um custo anual de R$ 200 milhões para fixar o valor da passagem de ônibus. Para garantir as gratuidades embutidas neste valor, é preciso que a própria autarquia desembolse R$ 29,5 milhões do seu orçamento, com o repasse municipal de R$ 6,5 milhões, para completar a diferença.

Com este investimento é possível garantir o transporte coletivo de pelo menos 4,9 milhões de passageiros, todo o mês. É esse número que determina quanto as concessionárias irão faturar no final do mês, mesmo quando elas liberam a passagem de idosos e outros grupos favorecidos. Segundo a Urbes, até setembro deste ano, R$ 26 milhões já foram gastos em subsídios para as empresas de ônibus de Sorocaba. Deste total, cerca de R$ 2,8 milhões foram financiados para cobrir as despesas de operação das companhias. O subsídio ao sistema de transporte coletivo é gerado através dos custos não cobertos pela tarifa pública, como a Integração Temporal, a Redução Tarifária (programa Domingão); Serviço de Transporte Especial e as gratuidades que no município paulista, prevê o embarque gratuito de passageiros entre 60 e 64 anos.

Nos últimos anos, a procura pelas passagens de ônibus coletivo da cidade vem registrando aumentos de 2% a 3% anuais. Apesar de o número ser pequeno, está entusiasmando responsáveis por órgãos que controlam o setor rodoviário de Sorocaba. De qualquer maneira, é preciso acompanhar a situação em que o brasileiro enfrenta no seu cotidiano. É importante estar sempre em observação para avaliar qual é a situação real da economia e da parte social do país, já que desempregos e alta dos impostos podem reduzir significativamente o número de interessando no transporte público de médias e grandes cidades.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress