Tag passagens rodoviárias

Você já ficou sem embarcar por falta de troco na passagem?

compra passagemPagar a passagem rodoviária dentro do próprio ônibus pode ser uma péssima ideia quando você não tem o dinheiro separado para não ter que voltar troco. Em Aracruz, na região Norte do Espírito Santo, um jovem passageiro foi obrigado a desembarcar do veículo, simplesmente porque a cobradora não tinha uma nota de R$ 20 de troco. Além do tumulto, a companhia de ônibus foi obrigada a pegar ao usuário, indenização de R$ 5 mil por danos morais.

Mas, isso pode Arnaldo?

Não! Segundo as leis que defendem o consumidor esse tipo de situação não pode ocorrer. É responsabilidade da companhia resolver a questão do troca, independente do valor disponibilizado para pagar a passagem. Portanto, ela deve encontrar uma forma de reembolsar o cliente e aceitar o pagamento, mesmo que não tenha o valor de troco em caixa. Outra coisa ilegal é estipular um valor máximo para troco dentro dos coletivos. Essa é uma dica que todo passageiro deve ficar atento, já que a prática é regulamentada pelas normas internas dos órgãos de controle, conflitante com os princípios do Código de Defesa do Consumidor.

Pelo o que o Código de Defesa do Consumidor prega, o consumidor tem o dinheiro para pagar o serviço ou a mercadoria, é problema da empresa arrumar o troco para resolver. Substituir o troco por balas, chocolates ou qualquer outro serviço também é considerado prática abusiva, e deve ser evitado pelas operadoras de transporte rodoviário. A empresa de ônibus que cometer uma dessas infrações pode ser punida judicialmente. O Código do Consumidor estabelece como crime com pena de reclusão para esse tipo de prática. Por isso, vale a pena exigir os direitos e ficar atento na hora de pagar pelas passagens de ônibus.

Rodoviária de Belém vê preço de passagem subir em feriado

preço de passagensSe você pretende viajar de ônibus durante o próximo feriado em Belém, é melhor preparar o bolso.  No último feriado prolongado (27), as passagens rodoviárias e de barco do município paraense ficaram mais de 15% mais caras. Medido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), o valor é praticado em passagens que dão direito a embarques entre bairros e municípios vizinhos da capital. Quem viajou rumo aos balneários de Outeiro e Mosqueiro, em Belém teve de pagar uma diferença de até 45 centavos. As passagens de ônibus passaram de R$ 3,90 para R$ 4,35, registrando um aumento bem significativo em relação ao mesmo período do ano passado.

Além de tudo, não foi só o transporte rodoviário que ficou mais caro nesta época do ano. O combustível também encareceu em 20%, na comparação dos últimos 12 meses. É um aumento que pode fazer muita diferença na hora de calcular e atualizar o valor das passagens. Com tanta inflação, o movimento ficou mais discreto durante o último feriado. Para se ter uma ideia, no Terminal Hidroviário de Belém, uma embarcação com capacidade para até 800 passageiros viajou com menos da metade de sua capacidade, rumo ao Marajó. O mesmo aconteceu no terminal rodoviário da capital, que não teve grande aglomeração de pessoas durante a sexta-feira santa. Os dias de maior movimento se concentraram na véspera do feriado e durante o final de semana.

Apesar da queda no movimento, a administração da rodoviária de Belém reforçou a frota municipal com 50 veículos extras para linhas com destino a Mosqueiro e mais 30 ônibus partindo para Outeiro. Quem depende do transporte rodoviário de Belém para se deslocar deve guardar uns trocados a mais para embarcar neste próximo feriado, do dia 21 de Abril. Mas vale ressaltar que o aumento não interfere no preço das passagens de ônibus interestaduais, com saída do terminal rodoviário de Belém. Já que os reajustes das passagens acontecem apenas uma vez por ano e por lei é proibido o aumento no preço dos embarques sem autorização da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Passagem de ônibus de Maceió é a 3ª mais cara do Nordeste

Maceio - ALO último reajuste no preço das passagens de ônibus de Maceió, praticado no início de janeiro, colocou a capital de Alagoas entre as três mais caras dos nove Estados que compõem o Nordeste Brasileiro. O valor de R$ 3,15 para viagens nos ônibus urbanos da capital só perde para as passagens de Salvador, que valem R$ 3,30 e Recife, que cobra R$ 3,35 por embarque. Do montante, São Luís do Maranhão é a capital com o valor da passagem mais acessível da região, vendendo o bilhete a R$ 2,60. Quem depende do transporte coletivo para trabalhar não gostou nem um pouco do aumento, que deixou as passagens 40 centavos mais caras. Antes vendidas por R$ 2,75, como em Teresina (PI), as passagens rodoviárias valiam R$ 5,50 entre a soma do embarque de ida e volta. Agora vai ficar quase R$ 1,00 mais caro para ir e retornar. Os usuários que utilizam o veículo em mais de duas ocasiões no mesmo dia terão um prejuízo financeiro ainda maior.

A despesa mensal de um trabalhador comum que utiliza o transporte público de segunda a sexta, deve chegar a R$ 151,2 no final do mês. O que mais preocupa é que o montante corresponde a pouco mais de 17% do valor do novo salário mínimo, que hoje é de R$ 880,00. Segundo estudos da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), o aumento no preço do diesel, combustível utilizado para abastecer os veículos rodoviários foi um dos principais fatores pelo aumento das passagens de ônibus de Maceió. Além do reajuste da tarifa, outros itens também encareceram no começo deste ano, como a energia elétrica e o combustível.

Valor dos ônibus urbanos nas capitais do Nordeste
Recife (PE) R$ 3,35
Salvador (BA) R$ 3,30
Maceió (AL) R$ 3,15
Aracaju (SE) R$ 3,10
Fortaleza (CE) R$ 2,75
Teresina (PI) R$ 2,75
João Pessoa (PB) R$ 2,70
Natal (RN) R$ 2,65
São Luís (MA) R$ 2,60

Novos ônibus de Porto Alegre podem encarecer preço da passagem

Porto Alegre ganhará nova frota de veículos.

Porto Alegre ganhará nova frota de veículos.

As passagens rodoviárias de Porto Alegre podem ficar mais caras com a renovação da frota que comandará o transporte público da capital do Rio Grande do Sul. Os novos veículos fazem parte de uma das recomendações previstas em contrato, que deverá ser assinado até o final do ano. O documento é válido para operações rodoviárias durante os seis primeiros meses de 2016. Neste período, a companhia de ônibus que integrar o novo serviço de transporte coletivo na capital, terá direito a reajustar o preço da passagem de ônibus em até duas oportunidades, durante o ano que vem. O que tudo indica é que em fevereiro, a tarifa rodoviária sofre seu primeiro aumento.

A correção da inflação prevista no segundo semestre em diante, também colocará o valor das passagens em vulnerabilidade. As empresas vencedoras da licitação são velhas conhecidas da cidade e agora passarão a operam em seis regiões de Porto Alegre. A Mob Mobilidade (atual Conorte) irá operar na Zona Norte e o Consórcio Sul (atual STS) atuará na Zona Sul. A Zona Leste será dividida entre os consórcios Via Leste e Sudeste Mais (ambos integravam o consórcio Unibus). A Carris, que tem aval para transportar passageiros em 22% das linhas que cruzam a capital, perderá seis rotas a partir do ano que vem. A renovação dos veículos é uma das grandes vantagens asseguradas no contrato. No total, mais de 370 ônibus que circularem pelas ruas da cidade, serão renovados. Desse montante, mais de 70 unidades devem ser novas. O número também representa aumento na quantidade de embarques, como meio de reduzir a superlotação das viagens.

Ar Condicionado
O sistema de climatização dentro dos veículos ainda é um sonho um pouco mais distante. Para os consórcios, a exigência é de que apenas 25% da frota seja equipada com ar-condicionado, desde o início das operações. A população deverá perceber um aumento de 10% a cada ano. Com a decisão, o projeto de lei que obrigava o uso do aparelho em todos os ônibus vai ficar para depois. O projeto foi aprovado pela câmara, mas vetado pela prefeitura de Porto Alegre.

Passagem de ônibus de Itajaí sofre reajuste pela segunda vez

O jeito vai ser recorrer as bicicletas.

O jeito vai ser recorrer as bicicletas.

Esta é a segunda vez no ano em que o passageiro de ônibus de Itajaí, Santa Catarina, terá de pagar mais caro para embarcar nos ônibus rodoviários da cidade. Há seis meses, o sistema de transporte público sofreu reajuste, elevando a tarifa rodoviária para R$ 3,00 para reservas antecipadas e R$ 3,30 para compras na hora de embarcar. Com o aumento praticado no mês passado, equivalente a 9%, o preço do serviço varia de R$ 3,27 a R$ 3,60. O custo para recarregar o cartão do transporte vai ficar R$8,10 mais caro.

Reposição é necessária

Para a prefeitura de Itajaí, o aumento no preço das passagens rodoviárias se dá as taxas inflacionárias que vêm desequilibrando as finanças das auto viações, comprometendo a qualidade na prestação do serviço. Segundo o departamento de Urbanismo da cidade, o preço do combustível, do óleo e das peças de reposição ajudou a prefeitura a recalcular, junto às empresas rodoviárias, o reajuste tarifário. Segundo dados do IBGE, o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo e o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, ficaram acumulados na casa dos 8%. Se o aumento fosse fechado a critério e gosto das empresas, o preço do bilhete rodoviário seria ainda maior. As auto viações vem cobrando do poder executivo, um aumento de R$ 3,70 desde abril deste ano.

O jeito é apelar para as bicicletas

O segundo aumento no valor das passagens vai impactar e muito, no bolso de vários moradores de Itajaí. Por conta disso, alguns moradores vão recorrer às bicicletas. A expectativa e que o aumento da prática das “pedaladas” e dos trajetos a pé sejam feitos por passageiros que utilizam o transporte coletivo em até duas ocasiões durante a semana. A iniciativa agrada o meio ambiente, mas pode preocupar a manutenção do sistema rodoviário da cidade, já que se a demanda faltar, as empresas de ônibus serão obrigadas a se reunirem em busca de um novo aumento.

Preço de passagens interestaduais e internacionais sobe 7,7%

Tarifa Anual.

Tarifa Anual.

Como já é de costume, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) deu aval para as auto viações comercializarem suas passagens rodoviárias com aumento de até 7,708%. O reajuste é válido para linhas interestaduais e internacionais com embarque do Brasil e deve ser congelado para os próximos 12 meses. De acordo com publicação do Diário Oficial da União (DOU), o reajuste referente ao período de junho de 2014 a maio de 2015, atualiza os custos envolvidos na prestação dos serviços de transporte rodoviário de passageiros, a contar a partir do dia 1 de julho. Com uma diferença positiva de quase o dobro do que foi reajustado no mesmo período do ano passado, as empresas rodoviárias têm tudo para restabelecer o equilíbrio econômico de suas atividades deturbadas pela variação acentuada no preço do óleo diesel e das taxas anualizadas do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado para definir o reajuste de salário dos funcionários das empresas, e do Índice Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Reajuste é previsto por lei
Não adianta reclamar! O preço das passagens para viagens de longa distância sempre são reajustes uma vez ao ano. Isso é lei e esta previsto na Resolução nº. 1627/2006, da ANTT.

Viagens rodoviárias
Entre uma das linhas de ônibus mais acessadas ao norte do Brasil, o aumento tarifário já está sendo praticado pelas companhias Eucatur, Amatur Amazônia, Rival Turismo e Transporte e Asatur Turismo. Todas fazem o trajeto que liga as capitais de Amazonas e Roraima. A Eucatur informou que o aumento no valor das passagens deve impactar de forma positiva na gestão dos projetos impostos pela empresa. Até o final do mês que vem, a auto viação garante que manterá o valor da passagem promocional para o trecho Manaus a Boa vista, no valor de R$ 70. O bilhete rodoviário tem preço médio de R$ 128. A viagem até a Venezuela é outra linha com preço abaixo do mercado, saindo apenas R$ 290,45 com embarque do terminal de Manaus.

Falha em cartão eletrônico encarece passagens de Teresina

Falha pode ter ocasionado aumento.

Falha pode ter ocasionado aumento.

O Ministério Público vai averiguar o que está acontecendo com as cobranças tarifárias para estudantes que dependem dos ônibus de Teresina. Segundo relatos, o valor da meia passagem rodoviária aumentou no último mês, elevando o valor de RS 1,05 congelado pela prefeitura da cidade, em janeiro. De acordo com as denúncias feitas à executiva estadual da Assembleia Nacional de Estudante Livres, as passagens rodoviárias estavam sendo vendidas a 20 centavos mais caras. Quem faz a recarga e utiliza o cartão magnético para passar pelas catracas dos ônibus, pode não ter notado a mudança. É isso que explica um dos jovens que denunciou a irregularidade, inconformado com o valor consumido por cada embarque, sem saber o motivo do aumento.

Em fevereiro deste ano, o preço pelo serviço foi reajustado em R$ 2,50, mas não chegou a ser praticado nas ruas, depois que o prefeito de Teresina prorrogou o valor do bilhete rodoviário em R$ 1,05 para o período de um ano. O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) quer tomar o controle da situação e por isso, está convocando os usuários do sistema de transporte rodoviário que se sentirem injustiçados a procurarem o órgão. Segundo o Setuf, o grupo está realizando uma conferência para garantir que a diferença no valor da passagem não é originada de nenhum problema do cartão do passageiro. O sindicato ainda garantiu que irá ressarcir quem pagou a mais para embarcar de ônibus, mas é preciso ficar atento na hora de conferir o preço tarifado, já que só com registros que possam comprovar a irregularidade é possível reatar o dinheiro perdido.

A recomendação é comparecer ao local com o cartão em mãos. O Setuf acredita que informações corrompidas do cartão podem ter prejudicado na hora de descontar os créditos. O órgão não possui privilégios para reajustar o preço das passagens de ônibus da capital do Piauí. A intenção agora é minimizar os prejuízos e garantir que não houve reajuste da meia passagem, como muitos estão alegando.

Preço de passagem rodoviária de Palmas ficará R$ 0,45 mais caro

Valor da passagem

Valor da passagem

R$ 0,90. Essa deve ser a diferença que moradores de Palmas terão de pagar durante uma viagem rodoviária de ida e volta, a partir do segundo semestre de 2015. Aprovado após reunião com membros do Conselho Municipal de Acessibilidade Mobilidade e Transporte, o reajuste promete melhorar os serviços prestados no transporte público da capital de Tocantins, além de promover ampliação do número de veículos em circulação. Com a mudança, a tarifa rodoviária no valor de R$ 2,50 passará a valer R$ 2,95, ou seja, uma diferença de quase R$ 1,00 pra quem compra as passagens rodoviárias duas vezes por dia. Os cálculos que somam os gastos relacionados ao transporte coletivo foram apontados em uma planilha avaliada por uma comissão na Câmara Municipal dos Vereadores.

O documento mostrou como o aumento dos impostos e dos combustíveis contribuiu para o reajuste no valor das passagens. A conta salarial dos motoristas também subiu. Sem suicídio da prefeitura da cidade, o cidadão teria de pagar R$ 3,13 para embarcar em um dos ônibus rodoviários. Esse é o preço técnico que está sendo abatido com incentivo da prefeitura na ordem de R$ 0,18 por passagem. Até o momento, a capital conta com 220 ônibus rodoviários, mas tudo indica que esse número deve aumentar, depois que a população passar a pagar mais pelo serviço. A estimativa da prefeitura é de que pelo menos 31 novos veículos equipados com ar-condicionado possam compor a frota municipal.

Também são aguardados mais dez ônibus reservas para serem utilizados em horários de pico. O investimento representará uma elevação de 22 mil quilômetros em linhas rodadas, mês a mês. Já faz um ano que a passagem de ônibus de Palmas ficou mais cara. Na ocasião o valor praticado saltou de R$ 2,50 para R$ 2,80, porém o reajuste não chegou ao bolso dos usuários. A diferença foi paga através de um subsídio firmado em um acordo com o governo do Estado do Tocantins com a isenção do ICMS sobre o combustível, do ISSQN sobre as empresas responsáveis pelo transporte público e os recursos próprios da prefeitura.

Valor da Passagem de ônibus em Santos vai subir

Sobe preço de passagens.

Sobe preço de passagens.

Os moradores da cidade que representa o último time campeão do Campeonato Paulista de Futebol não terá a mesma sorte na hora de pagar pelas passagens rodoviárias. Em breve, o valor da passagem de R$ 2,90 deverá passar para R$ 3,25, contabilizando um aumento tarifário de 12%. A mudança prevista pela Comissão Especial de Licitação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) entrara em vigor depois que a prefeitura de Santos definir a auto viação vencedora da licitação do transporte público que atenderá a baixada santista. A viação Piracicabana foi a única a se classificar para a última parte do processo licitatório e só deixará de ser declarada vencedora se não apresentar todos os documentos necessários. Apesar do aumento no preço da passagem desagradar, o reajuste poderia ter sido maior se a empresa Mobibrasil Transporte São Paulo Ltda não fosse desclassificada. Ela não apresentou a planilha dos encargos sociais previstos e ofereceu bilhetes rodoviários no valor de fixo imposto pela CET, que é ainda 5 centavos mais caro.

Passagem rodoviária em Londrina
O transporte coletivo de Londrina, no norte do Paraná também acaba de sofrer o mesmo reajuste tarifário de Santos. Por lá, a passagem de ônibus que custava R$ 2,95 passou a ser vendida por R$ 3,25. Os 12% de aumento foi concedido através de decisão judicial, que obrigou a prefeitura incluir na planilha de custos, uma taxa de lucro pelo serviço prestado. Contrário a decisão da prefeitura, o percentual de lucratividade prescrito em contrato é 4,5% a menos do que o exigido pela justiça, que está impondo multa diária de R$ 30 mil, caso a prefeitura se nega a cumprir a medida. Em contrapartida, a Procuradoria-Geral de Londrina entrará com um recurso para tentar reverter a decisão. “Nós temos a expectativa de que outras estratégias jurídicas possam reverter esse cenário. Estamos planejando que seja em um prazo relativamente curto”, afirma Kireeff. Este é o segundo aumento da tarifa em quatro meses. Em janeiro preço da passagem subiu, passando de R$ 2,65 para os atuais R$ 2,95 , em um aumento de quase 12%.

Preço de passagens de ônibus no Rio de Janeiro é congelado

Preço de passagem rodoviária permanece congelado.

Preço de passagem rodoviária permanece congelado.

O aumento no preço de passagens de ônibus do Rio de Janeiro, vigorado no começo de janeiro, deve continuar o mesmo até nova ordem judicial. Até o presente momento, a Justiça da capital carioca se nega atender o pedido do Ministério Público Estadual para reduzir o valor das passagens rodoviárias do transporte municipal, em 20 centavos. Com a determinação, os passageiros precisam desembolsar R$ 3,40 em cada embarque. Dois dias depois do último reajuste ser praticado, o promotor de Justiça Rodrigo Terra impetrou ação civil pública para pedir a redução do valor. Segundo o promotor, o aumento tarifário foi contrário ao que estava previsto em contrato de concessão com as operadoras de transporte.

Até o final do ano passado, os bilhetes rodoviários eram comercializados a R$ 3,00 e com o aumento passaram a ficar 40 centavos mais caros. Se as contas de Terra estiverem corretas, o reajuste adequado elevaria o preço das passagens para R$ 3,18, arredondando o valor das catracas para R$ 3,20. O preço deve ser concedido por um aumento de 6,23% sobre o valor atual da passagem de ônibus. Em tese, o aumento estaria sendo cobrado de forma ilegal. A contrapartida para justificar a inclusão de mais 20 centavos na tarifa dos coletivos veio do acordo entre prefeitura e as companhias rodoviárias. Ambas alegam que a diferença é decorrente dos altos gastos no subsidio de gratuidades oferecidas aos idosos da cidade, além dos investimentos realizados com a compra de novos ônibus com ar condicionado.

No entanto, na visão do promotor, esses valores já estariam sendo contabilizados no preço da tarifa de R$ 3,20. Esse já é a segundo vez consecutiva que a redução no valor das passagens é negada. A primeira discussão foi negada, em primeira instância, ainda em janeiro. O segundo pedido foi rejeitado pela desembargadora Marília de Castro Neves Vieira, da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). A boa notícia é que ainda o Ministério Público poderá recorrer da decisão. Com a situação nas catracas, os cariocas não têm muito do que comemorar em matéria de transporte. Segundo estudo feito por economistas brasileiros, o Rio está entre uma das capitais do Brasil com maior discrepância de preço cobrado nas passagens rodoviárias.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress