Tag passagem de onibus

Passagens de ônibus de São Paulo sofrerão reajuste em Janeiro

2018A partir do dia 7 de janeiro, as passagens de ônibus de São Paulo, incluindo Metrô e trem passarão a custar R$ 4. O valor da integração ficará entre R$ 6,95 e R$ 6,96. Atualmente, o serviço custa R$ 6,80. A diferença entre o orçamento aprovado na Câmara de Vereadores e do subsídio gasto esse ano está gerando um déficit de operação de R$ 700 milhões para as companhias de ônibus que atuam na maior capital do Brasil. O aumento na tarifa foi confirmado no dia 21 de dezembro. Na ocasião, o secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, revelou que o novo valor estava sendo estudado junto com o governo Alckmin. “De fato haverá uma recomposição do valor da tarifa para manter a sua capacidade de pagar o sistema”, afirmou Avelleda durante a apresentação do edital para renovar o sistema de ônibus da capital.

Aumento da passagem lançado no final do ano

Costumeiramente, o aumento tarifário do transporte público da capital costuma ser acordado entre o Governo e a Prefeitura, para que possam ser aplicados no mesmo valor e dia. Desde junho de 2013, com os protestos populares, os preços passaram a ser reajustados e anunciados nos últimos dias do ano, justamente no período de festas. No começo deste ano, Doria cumpriu sua promessa de campanha e não reajustou a tarifa do transporte público paulista, obrigando o Governo a recuar o aumento da passagem, apenas reajustando as integrações, em abril do mesmo ano. Sem o aumento, a prefeitura teve de subsidiar R$ 2,9 bilhões para o serviço operar, mais de R$ 6 milhões do que era previsto com o aumento, criando assim um rombo nos cobres da prefeitura de São Paulo.

Passagem interestadual sofre reajuste no litoral do Pará

preço passagem interestadualO preço da passagem interestadual saindo do terminal rodoviário de Belém, na capital do Pará, teve reajuste aprovado de 9,04% desde o final do mês passado, pela ARCON e publicado no Diário Oficial do Estado, e com isso promete tornar as viagens dos paraenses mais distante. O aumento vai pesar no bolso de quem pretende aproveitar as férias escolares para sair da região metropolitana do Estado e seguir viagem aos famosos balneários do Pará com ajuda dos transportes coletivos, já que além do ônibus, o custo com hospedagem e alimentação deverá ficar mais caro até o mês de julho acabar.

Quem utiliza os ônibus para viajar em linhas interestaduais deve ficar atendo aos preços, já que segundo pesquisa do Dieese, há possibilidade de aumento no reajuste desta categoria. O valor para passagens de ônibus intermunicipais também subiu, pouco mais de 15% em comparação com os valores praticados no ano passado. Este foi o mesmo aumento aplicado para veículos náuticos do Pará.

Já no caso dos ônibus urbanos que ligam o centro da capital aos balneários de água doce do distrito de Mosqueiro, as passagens ficaram 14,94% mais salgadas para quem viajou na mesma época de 2016. Vale lembrar que a diferença de preço tem relação com o reajuste sancionado pela prefeitura em janeiro deste ano, quando a passagem rodoviária ficou 65 centavos mais caro, saindo de R$ 4,35 para R$ 5. A viagem em carros particulares também vai ficar mais cara, com calculo e reajuste do preço do combustível.

Valor reajustado da passagem interestadual em Belém para os balneários:

  • Abaetetuba: R$ 21,00;
  • Bragança: R$ 41,92;
  • Cametá: R$ 55,40;
  • Capanema: R$ 33,63;
  • Castanhal: R$ 14,00;
  • Colares: R$ 20,25;
  • Curuçá: R$ 30,45;
  • Maruda: R$ 35,13;
  • Marabá: R$ 95,00;
  • Salinas: R$ 42,08;
  • São Caetano de Odivelas: R$ 23,20;
  • Tucurui: R$ 85,00;
  • Vigia: R$ 19,10.

 

Como garantir passagem rodoviária gratuita para idosos?

passagem para idososPrático, rápido e sem burocracia. É assim que os assentos reservados para idosos devem ser reservados, segundo consta na resolução da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT). Quem tem mais de 65 anos com renda igual ou inferior a dois salários mínimos, tem direito a embarcar sem pagar, em ônibus de linhas interestaduais – aquelas que são concedidas pelo Governo e que atendem viagens de longa distância. É importante ressaltar que o beneficio só é assegurado pelas companhias de ônibus para aqueles que ocuparem as duas primeiras poltronas. Quando os assentos já estão ocupados, o idoso também tem direito a um desconto de no mínimo 50% no valor cobrado pela viagem. Por isso, para garantir a passagem de ônibus gratuita é preciso solicitar o embarque com até três horas antes do horário de partida. É obrigatório apresentação de documento original com foto e a comprovação de renda mensal. Os que já possuem a carteira do idoso não precisam apresentar documento que comprove a renda, mas é preciso ir até o guichê da companhia rodoviária com antecedência para reservar o assento.

Viagens intermunicipais

A partir deste mês, a Socicam – empresa que administra o terminal Barra Funda e Tietê, terá de reservar pelo menos 5% dos assentos para uso exclusivo de pessoas com 60 anos de idade ou mais. O decreto redigido pelo atual prefeito, Fernando Haddad garante o benefício para quem utiliza o sistema municipal de transporte rodoviário, e tem idade classificada como idoso. Além da passagem gratuita para ônibus no Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, as rodoviárias da Barra Funda e Tietê devem reservar pelo menos um lugar exclusivo e demarcado para idosos nas plataformas de embarque. Os terminais de São Paulo também têm de identificar os bancos no setor destinado a espera dos ônibus. Vale ressaltar que a lei deve ser seguida as empresas de ônibus, sob pena em casos de não cumprimento.

Crise pode antecipar aumento das passagens neste fim de ano

Preço de passagens de fim de ano.

Preço de passagens de fim de ano.

O momento de instabilidade financeira vivido pelo país pode antecipar o reajuste de passagens rodoviárias em diversos estados do Brasil. Pelo menos é isso que está acontecendo em algumas capitais brasileiras. Com o preço do combustível mais caro, e os impostos acompanhando a inflação, a ordem é ajustar o “caixa”. Muitas empresas rodoviárias garantem que não terão recurso suficiente para operar nos mesmos modais, até o começo do ano que vem, quando os custos são recalculados.

Campo Grande
O transporte coletivo de Campo Grande foi um desses exemplos. Por lá, o preço da passagem rodoviária já está 16.6% mais caro. O bilhete rodoviário subiu de R$ 3 para R$ 3,50. A empresa de ônibus que atua em linhas municipais disse que a redução no número de passageiros pagantes e o aumento de mais de 14% sobe o preço do óleo diesel, tem impactado no reajuste precoce das passagens. O aumento é superior à inflação acumulada nos últimos 12 meses, 9,82%, segundo o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) calculado pela Nepes da Uniderp.

Belo Horizonte
Na capital mineira, os passageiros de ônibus também receberam o presente de Natal mais cedo, este ano. O valor da passagem de R$ 3,10 passa a ficar 0,30 mais caro. O preço da tarifa das linhas circulares e alimentadoras (ônibus na cor amarela) saem de R$ 2,20 para R$ 2,45; de vilas e favelas (micro-ônibus na cor amarela) de R$ 0,70 para RS 0,75; as executivas linhas longas de R$ 5,80 para R$ 6,40; e as executivas linhas curtas de R$ 4,65 para R$ 5,15. Já os ônibus suplementares terão passagens nos valores de R$ 2,45, R$ 2,75 e R$ 3,40. Até o táxi-lotação sofreu aumento de R$ 3,40 para R$ 3,75.

Fato interessante
Apesar de algumas cidades registrarem queda no número de passageiros pagantes, é inegável que a procura pelo serviço rodoviário tenha sido positiva na última década. Só em Campo Grande, dos últimos 10 anos, o número de embarques cresceu 9,27%, saltando de 197,5 mil para 215,8 mil viagens. No entanto, deve se destacar que o serviço de transporte público registrou neste ano uma queda de 1,1% no volume total de passageiros transportados – o número significa cerca de 3 mil embarques.

Passagem de ônibus e metrô sobe 40% em Brasília

Brasilia (DF)

Brasilia (DF)

A passagem de ônibus e do metrô do Distrito Federal está 40% mais cara, desde o dia 20 de setembro. O aumento equivalente ao transporte público de Brasília foi anunciado pela prefeitura. Segundo publicação, o preço da passagem rodoviária não sobe desde 2006. Com o reajuste, as tarifas que custavam R$ 1,50 passaram para R$ 2,25; as de R$ 2, para R$ 3; as de R$ 2,50, para R$ 3; e as de R$ 3, para R$ 4. O metrô está cobrando R$ 1 a mais pela viagem, e o pior é que nos finais de semana e feriados não haverá mais descontos. Boa parte da população garante que o aumento vai prejudicar o orçamento mensal dentro de casa.

O impacto pode ser maior para aqueles que usam mais de um coletivo para chegar ao trabalho. Além do preço, a falta de horários de ônibus é outra queixa dos brasilienses. Por outro lado, o aumento vai assegurar ao governo do Distrito Federal um repasse de pelo menos R$ 50 milhões, até o final do ano. O valor economizado deve dobrar até o final de 2016, já que a prefeitura subsidia parte da passagem rodoviária na cidade. A secretaria de Mobilidade do Distrito Federal apenas garantiu que as linhas de ônibus podem ser reorganizadas, para o que o tráfego de passageiros nos coletivos seja mais bem distribuído, durante os horários de pico.

O Movimento Passe Livre e outros grupos de manifestantes formados por civis protestaram o aumento, assim que o Governo anunciou o preço das novas tarifas para o metrô e ônibus. Para os manifestantes, é impossível pagar o preço que estão praticando. O Distrito Federal amarga um déficit de R$ 5,2 bilhões no orçamento e por isso, vem aplicando alguns cortes desde o primeiro semestre deste ano. Além do reajuste tarifário, o Governo anunciou novos aumentos de impostos, e o repasse no aumento salarial dos servidores públicos foi vetado. Também não há previsão para novos concursos.

Paranavaí e Cianorte sobem preço da passagem de ônibus

Bandeira do Estado do Paraná.

Bandeira do Estado do Paraná.

Dois municípios localizados no noroeste do Paraná estão com o preço da passagem rodoviária mais cara, deste o mês passado. Em Paranavaí, a 504 km da capital, a passagem de ônibus do transporte coletivo subiu de R$ 2,75 para R$ 2,95. O aumento corresponde ao reajuste tarifário de mais de 9%, com relação ao que era cobrado atualmente. A porcentagem é bem similar ao Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), segundo verificação entre agosto de 2014 e junho de 2015. A soma das despesas com o preço do combustível, o valor gasto para modernizar a frota e o reajuste salarial dos motoristas das empresas rodoviárias, fez parte do paralelo calculado pela prefeitura de Paranavaí, durante discussão do novo decreto. Essa é a primeira vez nos últimos oito anos em que o setor rodoviário consegue subsídio na casa do mesmo percentual inflacionário. Segundo a prefeitura, um dos motivos que mais colaborou com o aumento no valor da passagem foi o reajuste salarial de 34% promovido pela categoria, em 2013.

Passagem de ônibus em Cianorte
Em Cianorte, no noroeste do estado paranaense, as passagens rodoviárias também estão mais caras. Desde o último ajuste, o bilhete rodoviário ficou 20 centavos mais caro. As catracas dos ônibus rodoviários da cidade ficaram dois anos sem registrar aumento. Responsável pelo serviço rodoviário de Cianorte, a viação Cianorte pediu o aumento a prefeitura e repasse para custear a passagem no valor de R$ 3,16. Depois de negociações, a prefeitura conseguiu chegar com o valor em R$ 2,92. Desta diferencia, a cidade deve cobrir R$ 0,72 de cada tarifa, ou seja, um custo de R$ 71 mil por mês. A companhia Cianorte recebe subsídio da prefeitura desde 2013. Na época, a administração pública arcada com 30 centavos da passagem que valia R$ 2,00 para a população. Apesar de o aumento vir de uma reivindicação da transportadora, a prefeitura admite que o reajuste para julho estava previsto em contrato.

Novos valores de passagens de ônibus metropolitanos da Bahia

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens rodoviária de Salvador.

Mais caro. É assim que fica o valor das passagens de ônibus metropolitanas da Bahia, a partir do dia 20 deste mês. O reajuste da tarifa foi anunciado no dia 16 de junho pelo Governo do Estado da Bahia e é válido para todas as linhas rodoviárias da capital, com aprovação da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba). Sem sofrer aumento nos últimos 36 meses, as passagens rodoviárias passaram a ficar 8,92% mais caras. Para o presidente da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Rodoviário do Estado da Bahia (Abemtro), Edmar Ribeiro, o reajuste irá realinhar a defasagem tarifária sofrida nos últimos meses pelo setor. Dados divulgados pela gestão estatual, aponta que o transporte metropolitano da Bahia tem hoje mais de 600 veículos para transportar, em média, oito milhões de passageiros ao mês. Além da capital, os municípios de Lauro de Freitas, Camaçari, Dias D’ávila e Simões Filho concentram o maior número de passageiros rodoviários.

Novos valores

Os valores para cada empresa que circula por Salvador e região metropolitana podem variar. A linha Lauro de Freitas/Terminal da França pela empresa Rio Verde passou de R$ 2,80 para R$ 3,00; já o trajeto Simões Filho/Terminal da França que antes custava R$ 2,80 pela Expresso Metropolitano, agora custa R$ 3,10. A Expresso Linha Verde, que faz a linha Salvador/Praia do Forte passou de R$ 6,65 para R$ 7,30, enquanto a Camaçari/Estação da Lapa pela Viação Regional passou de R$ 4,50 para 5,00.

Belo Horizonte

Um estudo encomendado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra- BH) e divulgado pela BHTrans indica a necessidade do aumento de R$ 0,40 no valor das passagens de ônibus na capital de Minas Gerais. Com o reajuste, o valor das passagens saltaria dos atuais R$ 3,10 para R$ 3,50. O último reajuste foi concedido no final do ano passado, quando as passagens de ônibus custavam R$ 2,85 e passaram a ser vendidas por R$ 3,10. Entretanto, as auto viações afirmam que não conseguem atingir a margem de lucro estimada para continuar operando com qualidade.

Preço de passagens intermunicipais não sobe em feriado

Valor da passagem não aumenta.

Valor da passagem não aumenta.

O último feriado de junho aliviou o bolso de quem aproveitou a folga para visitar parentes na região metropolitana do Pará, de ônibus. O valor das passagens de ônibus intermunicipais não subiu, segundo análise do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA). Quem viajou de ônibus durante o feriado de Corpus Christi, pagou cerca de 5% mais caro pelas passagens rodoviárias, em outros estados do Brasil.

Exceção: O distrito de Mosqueiro foi à última exceção do Pará. Por lá, o houve aumento no preço das passagens, com elevação de mais de 10%. O aumento foi promovido pela prefeitura de Belém, que teve aval para aplicar o reajuste em maio deste ano. O aumento deixou a passagem comercializada por R$3,90 mais salgada, no valor de R$ 4,35.

Viagem cara: Para o Diesse do Pará, ocupantes de veículos próprios vão sentir no bolso o aumento de várias tarifas, em comparação com o custo gerado no mesmo período do ano passado. A gasolina e o diesel são os maiores vilãs de quem não abre mão de viajar de carro. A maioria dos postos de combustível de Belém está vendendo o litro da gasolina a R$ 3,37 na média, com variações que vão de R$ 3,25 a R$ 3,69. O litro do etanol é um pouco mais barato, com média de R$ 2,87, enquanto que o tanque de óleo diesel sai em média R$3,03 o litro.

Linhas Intermunicipais :Das linhas intermunicipais mais movimentadas com saída de Belém, Marudá é o destino mais caro, com valor das passagens em R$ 21,50. O trajeto mais barato custa apenas R$ 10 e leva interessados da capital até a cidade de Castanhal. Segundo o Diesse, a rota mais procurada durante o feriado religioso é completada por Vigia (R$ 14,10), Bragança (R$ 24), São Caetano de Odivelas (R$ 17,20), Cametá (R$ 43), Curuçá (R$ 19,50), Abaetetuba (R$ 17,80), Barcarena (R$ 15) e Capanema (R$ 20).

Rodoviária de Rio Branco mantém preço de passagem extra

Preço de passagens extras é o mesmo.

Preço de passagens extras é o mesmo.

Novos itinerários oferecidos pela rodoviária de Rio Branco deverão aparecer novamente em vários guichês das principais companhias de ônibus que operam com embarques e desembarques na capital. Depois da Páscoa chegou a vez do feriado de Tiradentes deixar as plataformas do terminal mais movimentadas. Com o demanda, quem não tiver tempo de reservar as passagens antes da hora, poderá contar com as linhas extras, sem pagar mais por isso. O preço de passagem imposta nos pontos de atendimento da Rodoviária Internacional de Rio Branco deve ser o mesmo para quem garantiu o assento nos ônibus de circulação convencional. A única baixa é com relação ao acesso e a forma de adquirir o produto, já que as passagens de ônibus extras não podem ser compradas pela internet e por isso, precisam ser retiradas direto do terminal.

Para quem está acostumado com as compras na internet e já viajou outras vezes com o bilhete reservado pelo computador, estranha todas as vezes que precisa se dirigir ao balcão de atendimento da empresa rodoviária só para escolher o horário de ônibus e a poltrona preferida. Além do conforto e da comodidade, o risco de ter de optar por outros embarques em horários indesejados, é grande. Segundo a Agência Estadual Reguladora de Serviços Públicos do Acre (Ageac), só na Semana Santa foi disponibilizado mais um turno de viagens. Em dias normais, o terminal da capital do Acre atende as linhas interestaduais no período de dia e de tarde. Quando há necessidade de mais veículos operando por causa da movimentação de passageiros, os itinerários abertos também são reforçados, aumentando o número de linhas em todos os períodos.

Boa parte das viagens rodoviárias realizadas pelos acreanos não ultrapassa as divisas do Estado. A maioria dos bilhetes rodoviários é comprada para trajetos de ida e volta até cidades turísticas da região. O lema por lá é economizar. Fato comprovado na grande procura pelo serviço rodoviário, que traz preços bem acessíveis para quem não tem carro ou prefere viajar de ônibus. Um dos destinos mais procurados nos feriados é a cidade de Cruzeiro do Sul, que fica a uma distância de 648 km de Rio Branco.

Valor da passagem de Curitiba vale por mais três meses

Curitiba é a capital do Paraná.

Curitiba é a capital do Paraná.

O valor pago para embarcar nos ônibus de Curitiba deve se manter intacto por mais 90 dias. A decisão do Ministério Público do Paraná (MP) e da Urbanização de Curitiba (Urbs) garante que pagamentos em dinheiro e cartão transporte, mantenham seus preços de operação respectivamente. Ambos possuem diferenciação tarifária e estão sendo avaliados no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Até o presente momento, paga mais caro quem embarca nos coletivos com dinheiro, cerca de 15 centavos a mais, se o embarque é feito com cartão magnético, emitido pela Urbs. O preço da passagem rodoviária paga com dinheiro é de R$ 3,30. Tudo ainda não passa de averiguações do setor responsável pelo transporte rodoviário da capital. De acordo com a presidência da Urbs, o abatimento no preço das passagens antes pagas com dinheiro para o cartão, reajuste salarial da categoria e a negociação de subsídios para operar as empresas de transporte, são alguns pontos importantes que podem comprometer o aumento do bilhete rodoviário.

Segundo as contas da Urbs, pouco mais da metade dos usuários do sistema de transporte público utilizam o serviço com o cartão, o restante ainda paga suas passagens de forma avulsa, com dinheiro. A diferença no valor da passagem pago pela população paranaense entrou em vigor desde o mês passado, depois que a Urbs elevou o preço das tarifas. Apesar disso, o Ministério Público não acatou a ideia e questionou o órgão a respeito da legalidade de se cobrar preços diferentes pelo mesmo serviço. Mesmo com discussão ágil e amigável, a empresa responsável pelo gerenciamento do transporte local corre o risco de ser acionada da justiça para se explicar.

O novo acordo também prevê a duração e validade dos créditos adquiridos com o cartão do transporte de Curitiba. Agora, eles passam a ter validade de cinco anos, a contar da data da compra dos créditos. A mudança garante o número de direito de viagens compradas por cada consumidor. Se o usuário reservou dez passagens no valor atual, terá direito de viajar 10 vezes pelos próximos cinco anos, independente do valor praticado pelas companhias de ônibus, durante este período.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress