Tag companhias rodoviárias

Preço de passagens de ônibus no Rio de Janeiro é congelado

Preço de passagem rodoviária permanece congelado.

Preço de passagem rodoviária permanece congelado.

O aumento no preço de passagens de ônibus do Rio de Janeiro, vigorado no começo de janeiro, deve continuar o mesmo até nova ordem judicial. Até o presente momento, a Justiça da capital carioca se nega atender o pedido do Ministério Público Estadual para reduzir o valor das passagens rodoviárias do transporte municipal, em 20 centavos. Com a determinação, os passageiros precisam desembolsar R$ 3,40 em cada embarque. Dois dias depois do último reajuste ser praticado, o promotor de Justiça Rodrigo Terra impetrou ação civil pública para pedir a redução do valor. Segundo o promotor, o aumento tarifário foi contrário ao que estava previsto em contrato de concessão com as operadoras de transporte.

Até o final do ano passado, os bilhetes rodoviários eram comercializados a R$ 3,00 e com o aumento passaram a ficar 40 centavos mais caros. Se as contas de Terra estiverem corretas, o reajuste adequado elevaria o preço das passagens para R$ 3,18, arredondando o valor das catracas para R$ 3,20. O preço deve ser concedido por um aumento de 6,23% sobre o valor atual da passagem de ônibus. Em tese, o aumento estaria sendo cobrado de forma ilegal. A contrapartida para justificar a inclusão de mais 20 centavos na tarifa dos coletivos veio do acordo entre prefeitura e as companhias rodoviárias. Ambas alegam que a diferença é decorrente dos altos gastos no subsidio de gratuidades oferecidas aos idosos da cidade, além dos investimentos realizados com a compra de novos ônibus com ar condicionado.

No entanto, na visão do promotor, esses valores já estariam sendo contabilizados no preço da tarifa de R$ 3,20. Esse já é a segundo vez consecutiva que a redução no valor das passagens é negada. A primeira discussão foi negada, em primeira instância, ainda em janeiro. O segundo pedido foi rejeitado pela desembargadora Marília de Castro Neves Vieira, da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). A boa notícia é que ainda o Ministério Público poderá recorrer da decisão. Com a situação nas catracas, os cariocas não têm muito do que comemorar em matéria de transporte. Segundo estudo feito por economistas brasileiros, o Rio está entre uma das capitais do Brasil com maior discrepância de preço cobrado nas passagens rodoviárias.

Preço de passagens de ônibus sobe no litoral paulista

Passagens de Bertioga e Guarujá estão mais caras.

Passagens de Bertioga e Guarujá estão mais caras.

O aumento no preço de passagens de ônibus de Bertioga e do Guarujá veio em boa hora para as companhias rodoviárias. Justo na época mais movimentada do ano, as catracas devem registrar o aumento tarifário nas linhas intermunicipais da Baixada Santista. O aumento de 14,28% e 10,71% são os mais caros da região, ultrapassando os valores impostos pelas empresas de outras sete cidades do litoral, incluindo Santos e Praia Grande, onde lá o valor é de R$ 2,90. Com o reajuste, o guarujaense e turistas que desembarcarem na cidade para aproveitar as férias de verão, terão de desembolsar R$ 3,20 para circular na cidade. Já em Bertioga, a passagem rodoviária vale R$ 3,10.

A tarifa mais barata da região litorânea está sendo praticada em Peruíbe, com o valor de R$ 1,70. As viagens rodoviárias de Cubatão estão quase o mesmo preço de Bertioga e Guarujá, contabilizando R$ 2,85. Em São Vicente e Itanhaém, o preço para viajar de ônibus é R$ 2,60. A rodoviária de Mongaguá também tem preços mais acessíveis, com R$ 1,90 para ônibus intermunicipais. A prefeitura de Guarujá garantiu que o reajuste de quase 15% foi acatado depois de promover reuniões com representantes da sociedade, usuários do transporte público, responsáveis pelas transportadoras e sindicado dos empregados.

Com base em um estudo de gastos, a prefeitura alega que o aumento salarial da categoria e os insumos, gastos com pneus, peças, combustível, foram os principais motivos para que o passageiro pagasse mais pela passagem. Em contrapartida, o órgão público prometeu que o reajuste deverá trazer benefícios para o transporte. Está previsto até o final do ano, a instalação de wi-fi gratuito em todas as linhas rodoviárias e terminais da cidade. Além disso, são esperados mais 20 novos abrigos de ônibus antes do ano novo. Em Bertioga a situação é diferente. Lá, a viação Bertioga, empresa que administra o transporte público da cidade, não recebia aumento desde outubro de 2012. Foi por isso que só agora, passou a elevar o preço dos bilhetes rodoviários. Com a mudança, duas linhas que circulam pelos bairros Chácaras e Boraceia, em caráter experimental, passam a valer R$ 1,00.

Subsídio aumenta para compensar valor da passagem de Sorocaba

Subsídio de gratuidades no transporte rodoviário.

Subsídio de gratuidades no transporte rodoviário.

No ano que vem, cerca de R$ 36 milhões deverão ser gastos para subsidiar o transporte público de Sorocaba. A estimativa que prevê aumento de 25% no orçamento comparado com o que foi gasto este ano, faz parte do montante não arrecadado nas viagens de ônibus grátis para idosos, ou em tarifas reduzidas, concedidas em programas realizados pelas companhias rodoviárias. Pelos números da Urbes – Trânsito e Transportes, a cidade paulista tem um custo anual de R$ 200 milhões para fixar o valor da passagem de ônibus. Para garantir as gratuidades embutidas neste valor, é preciso que a própria autarquia desembolse R$ 29,5 milhões do seu orçamento, com o repasse municipal de R$ 6,5 milhões, para completar a diferença.

Com este investimento é possível garantir o transporte coletivo de pelo menos 4,9 milhões de passageiros, todo o mês. É esse número que determina quanto as concessionárias irão faturar no final do mês, mesmo quando elas liberam a passagem de idosos e outros grupos favorecidos. Segundo a Urbes, até setembro deste ano, R$ 26 milhões já foram gastos em subsídios para as empresas de ônibus de Sorocaba. Deste total, cerca de R$ 2,8 milhões foram financiados para cobrir as despesas de operação das companhias. O subsídio ao sistema de transporte coletivo é gerado através dos custos não cobertos pela tarifa pública, como a Integração Temporal, a Redução Tarifária (programa Domingão); Serviço de Transporte Especial e as gratuidades que no município paulista, prevê o embarque gratuito de passageiros entre 60 e 64 anos.

Nos últimos anos, a procura pelas passagens de ônibus coletivo da cidade vem registrando aumentos de 2% a 3% anuais. Apesar de o número ser pequeno, está entusiasmando responsáveis por órgãos que controlam o setor rodoviário de Sorocaba. De qualquer maneira, é preciso acompanhar a situação em que o brasileiro enfrenta no seu cotidiano. É importante estar sempre em observação para avaliar qual é a situação real da economia e da parte social do país, já que desempregos e alta dos impostos podem reduzir significativamente o número de interessando no transporte público de médias e grandes cidades.

Reajuste em passagens de ônibus de Salvador melhora frota

Salvador deve ganhar veículos novos.

Salvador deve ganhar veículos novos.

Os três novos consórcios rodoviários que deverão começar a operar em linhas suburbanas na capital da Bahia devem agradar boa parte dos usuários do serviço, mesmo anunciando que anualmente o valor das passagens de ônibus deve subir. Apesar do reajuste anual já ser divulgado durante assinatura do contrato entre a prefeitura de Salvador e as empresas vencedoras da licitação das linhas rodoviárias, no Palácio Thomé de Souza, o secretário de Urbanismo e Transportes, Fábio Mota, garantiu que a idade média dos veículos passará a ser reduzida de oito anos para três. A mudança obrigará as licitadas a colocaram mais de 600 veículos novos antes mesmo de começarem a operar em Salvador.

Com a modernização, os consórcios Plataforma, Ótima (antigo Jaguaribe) e Salvador Norte colocaram juntos, mais de 2400 ônibus convencionais e 300 micro-ônibus nas ruas baianas. Um cálculo predefinido no edital de licitação prevê o reajuste tarifário anual até 2017, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e um aumento preestabelecido para os próximos 23 anos de contrato. Enquanto as licitações para operar dentro da cidade estão a todo vapor, as obras de mobilidade urbana são uma icônica e podem não sair do papel tão cedo. Para o prefeito ACM Neto, a população deve observar as melhorias em longo prazo, já que as mudanças dependem de grande investimento e de muitos estudos para realinhar os trajetos rodoviários mais críticos. A expectativa é que a prefeitura reduza o número de linhas extensas e melhore a distribuição de veículos disponíveis para a região interna dos bairros.

Por causa da falta de planejamento nas gestões anteriores, o sistema de transporte de Salvador ficou precário, depois que as linhas se tornaram verdadeiros puxadinhos, se estendendo conforme o aumento do fluxo da população em áreas específicas. O que também segue no mesmo caminho são as empresas rodoviárias que já operam na cidade. Empresas metropolitanas que farão parte do novo sistema, também possuem ligação com os consórcios que assinaram o novo contrato. Os ônibus novos que circularam a partir do ano que vem terão catracas posicionadas na parte dianteira e serão divididos em cores para separar as linhas referentes ao subúrbio, a orla e o miolo.

Viagem de 20 minutos da Voeazul custa mais de R$ 1.500

Preço de passagem de avião é 100% mais caro do que rodoviário.

Preço de passagem de avião é 100% mais caro do que rodoviário.

Você já pensou em desembolsar mais de R$ 1.500 em apenas uma viagem aérea de 20 minutos? É isso que está acontecendo com passagens de avião pela voeazul para passageiros que querem deixar a capital baiana com destino a Feira de Santana. A simulação feita através do sistema de reserva online da companhia Azul Linhas Aéreas, apontou que o trajeto com duração de apenas 20 minutos, pode chegar a custar R$ 1.671,07 na tarifa flex, para passageiros que precisam viajar até o dia 14 de outubro. Com as taxas de embarque inclusas, a tarifa promocional para o mesmo trajeto sai em torno de R$ 110 mais barata.

Um dos responsáveis pelas relações institucionais da Azul garantiu que os valores podem mudar e ainda não foram atualizados porque a da Anac – Agência Nacional de Aviação Civil não autorizou. A linha entre os dois municípios baianos foi recentemente integrada pela empresa aérea que já possui outros oito voos regulares no Estado, que são: Valença, Porto Seguro, Ilhéus, Vitória da Conquista, Lençóis, Barreiras, Paulo Afonso e Salvador. Os embarques aéreos com destino a Feira de Santana acontecem regularmente todas as terças e quintas. A Bahia é o terceiro estado do Brasil que mais recebe voos da empresa Azul e está na mira da empresa para receber mais serviços nos próximos anos.

Apesar do tempo de viagem ser bem mais demorado, quem prefere economizar e ir de ônibus, deve se deparar com uma diferença no preço da passagem, simplesmente absurda. Só pra se ter uma ideia, a viação Santana, uma das companhias rodoviárias que realizam o percurso de Salvador a Feira de Santana, cobra o preço médio de R$ 27,30 para cada embarque, sem a necessidade de reservas com muitos dias de antecedência ou preços em promoções. A viagem seguida pela companhia de ônibus está disponível todos os dias e tem duração de 1h30. Quem ainda acha que o serviço rodoviário está caro e prefere pesquisar, pode encontrar preços ainda mais acessíveis, que circulam entre R$ 20,80 a R$ 21,10 em viagens mais curtas, com duração de 1h50 em ônibus de categoria comercial.

Preços de passagens de ônibus de João Pessoa sofrem reajustes

Aumento poderia ter sido maior.

Aumento poderia ter sido maior.

Os preços de passagens de ônibus de João Pessoa foram reajustados em R$ 2,35, no início da semana passada pelo prefeito Luciano Cartaxo. O aumento tarifário é inferior ao valor pedido pelas companhias de ônibus e está abaixo do preço aprovado pelo Conselho Municipal de Mobilidade Urbana. Desde 2012, essa é a primeira vez em que a prefeitura de João Pessoa sobe as passagens rodoviárias. Antes dos manifestantes irem às ruas em protesto contra o reajuste das passagens de ônibus, o preço para embarcar em ônibus de João Pessoa era R$ 2,30, que passou a ficar 10 centavos mais barato há um ano. Com o aumento, os benefícios para quem utiliza o transporte coletivo da cidade também devem aparecer nos próximos meses.

O compromisso entre as companhias rodoviárias e a prefeitura é de que pelo menos 50 veículos novos estejam disponíveis nas ruas do município até o começo do ano que vem. Há também a preocupação com ônibus adaptados que garantam mais acessibilidade para passageiros com mobilidade reduzida. O Sintur – Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos Urbano que representa os donos das auto viações, se queixou do valor do combustível, do reajuste salarial e dos gastos com operação para convencer o poder executivo sobre o aumento. As gratuidades nas passagens, a idade da frota e o número de passageiros também fizeram parte das reclamações.

Ouvindo as reinvindicações do Sintur, o próprio Conselho de Mobilidade Urbana entendeu que o reajuste tarifário mais correto seria de R$ 2,40. Apenas um dos membros que participou da votação, foi contra o valor proposto. O cálculo das passagens foi somado pelo órgão GEIPOT, referência em todo o território nacional. A instituição do Ministério das Cidades divide o preço das passagens com o custo somado em todas as operações com o número de clientes ativos. Dos dois últimos anos pra cá, a população de João Pessoa viu 61 ônibus novos e outros 18 seminovos ganharem as ruas da cidade. Todos fazem parte do serviço de transporte coletivo do município e foram incansavelmente cobrados pela prefeitura.

Justiça garante preço de passagens 2014 de São Luís

Decreto em Belo Horizonte garante o mesmo preço de passagens de ônibus por três meses.

Justiça pede anulação do aumento no preço das passagens.

O preço de passagens 2014 para passageiros de São Luís, no Maranhão, está sendo garantido pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos da cidade. Segundo o juiz Clésio Coelho Cunha, a prefeitura do município maranhense deve reviver o reajuste aplicado nas passagens de ônibus, no dia 8 de junho, já que está desproporcional aos limites do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado nos últimos 12 meses. O pedido acatado pela justiça veio do Ministério Público, que por forma legal, alegou que o aumento das passagens havia sido superior ao dobro dos índices permitidos pela inflação, sem ainda comprovar melhorias no serviço prestado para população que depende do transporte rodoviário.

As apurações do Ministério Público revelaram que as empresas rodoviárias estavam reservando passagens com reajustes de 14,2% a 23%. Segundo o titular da Vara, as auto viações assinaram um compromisso em novembro de 2011 em um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, que prevê melhorias nos serviços prestados durante as viagens de ônibus. Se a prefeitura de São Luís demorar a acatar o pedido da justiça e baixar os preços dos bilhetes rodoviários, vai ter que pagar multa diária de R$ 10 mil, que serão direcionados ao Fundo de Direitos Difusos. Apesar da falta de compromisso com quem compra passagens, o aumento tarifário desproporcional promovido no final do mês passado tem uma explicação. O acordo foi fechado com a prefeitura depois que funcionários do terminal rodoviário da cidade e das empresas de ônibus cruzaram os braços por durante 16 dias, pedindo aumento salarial.

Para custear um novo acordo salarial que garantia aumento de 7,8%, além do vale-alimentação, em 9,6%, as companhias rodoviárias se viram obrigadas a elevar o preço das passagens em R$ 0,30. A diferença deixou as passagens de ônibus baratas 23% mais caras e as mais caras 14,2% ainda mais salgadas. Mesmo assim, o compromisso é de que 250 ônibus novos seriam entregues a frota, o quanto antes e mais outros 250 entre janeiro e fevereiro do ano que vem, como meio de justificar o aumento das tarifas. Em qualquer situação, a “Domingueira”, que promove desconto na metade do valor das passagens aos domingos, não terá mais validade.

Passagens de ônibus de Curitiba não são cobradas durante greve

Torcedores estrangeiros aprovam transporte de Curitiba.

Torcedores estrangeiros aprovam transporte de Curitiba.

Passageiros do transporte público da capital do Paraná se deram bem com a greve dos cobradores. Todos que embarcaram nos ônibus durante a manhã da última quinta-feira (26) não precisaram comprar as passagens de ônibus.
A paralisação não foi aceita pelos motoristas, e o fluxo das viagens rodoviárias não foi comprometido em nenhuma linha de ônibus. Apenas a passagem rodoviária para linha turismo, comprada por R$ 29, continuou sendo vendida.
Sem previsão para ter um fim, a greve promovida por cobradores começou no dia 26 de junho com aval do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc).

Foi o sindicato que se reuniu com companhias rodoviárias que trabalham na cidade para promover a paralisação em forma de protesto. Sem acordo, as reinvindicações foram parar no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR). Durante a semana passada, já foram realizados duas audiências com a intenção de negociar os pedidos dos cobradores, que ainda seguem insatisfeitos e não querem saber de voltar ao trabalho.
Segundo a prefeitura de Curitiba, a gratuidade repentina também está ligada com a Copa do Mundo, já que na quinta-feira, a capital recebeu o último jogo do Mundial na Arena da Baixada, entre o confronto das seleções de Rússia e Argélia.
A linha Circular Copa e os ônibus que levavam torcedores e turistas para a Fan Fest, na Pedreira Paulo Leminski, também circularam normalmente.

Apesar de afirmarem que estavam com receio das greves nos transportes rodoviários, turistas estrangeiros que vieram ao Brasil por causa da Copa, relataram que não foram prejudicados por causa das paradas. Muitos elogiaram o sistema de transporte de Curitiba e aprovaram as linhas especiais para transportar torcedores até os estádios de futebol. Usuários do serviço rodoviário se mostraram favoráveis à greve, desde que os protestos não comprometa a locomoção das pessoas.
Mesmo trabalhando, os motoristas também não parecem estar satisfeitos. Muitos estão reclamando das multas que irão receber caso subam em cima de calçadas ou se envolvam com acidentes no trânsito. A dupla função, proibida por lei em Curitiba, que proíbe que o motorista exerça também a profissão de cobrador, ainda não está sendo cumprida por todas as empresas de ônibus.

Preços de passagens de ônibus de Natal causam paralisação

Os preços de passagens de ônibus em Porto Alegre podem aumentar nos próximos 30 dias. O pedido feito pelas companhias de ônibus aconteceu depois que o salário da categoria subiu.

Ônibus de Natal para de funcionar depois de protesto.

Quem mora em Natal e usa o transporte rodoviário para ir ao trabalho está enfrentando sérios problemas por causa dos preços de passagens de ônibus.
Pelo menos cinco companhias rodoviárias que atendem toda a cidade, pararam de trabalhar em forma de protesto contra negociações no valor ofertado pelas passagens.
Até a última quinta (26), apenas a viação Nossa Senhora da Conceição havia voltado as suas atividades regulares. A empresa é responsável pelo transporte de moradores nas linhas 63, 30, 31, 41, 21 e 59.
Os que dependem das outras linhas para chegar em casa ou ir ao trabalho estão sendo obrigados a buscar alternativas através de viagens clandestinas, oferecidas pelas próprias empresas de ônibus.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Rio Grande do Norte (Sintro-RN), cobradores e motoristas das viações Via Sul, Guanabara, Reunidas, Cidade do Sol e Santa Maria, disseram que não voltam a trabalhar até que haja uma negociação amigável com a empresa.
Além da empresa Nossa Senhora da Conceição, mais quatro companhias de ônibus estão atendendo linhas semiurbanas, com um número de veículos reduzidos. São elas: Trampolim da Vitória, Barros, Oceano e Campos.
Os dados da Semob – Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal revelam que pelo menos meio milhão de passageiros estão sendo prejudicados com a paralisação. A capital do Rio Grande do Norte conta com 646 veículos coletivos que realizam embarques em 86 pontos, todos os dias.

Pelo menos 530 mil pessoas são dependentes do serviço rodoviário de Natal. Sem saber quando as empresas voltarão a trabalhar normalmente, muitos estão se virando com veículos alternativos, que vendem as passagens de ônibus pelo mesmo valor, cobrado em R$ 2,20. Há companhias particulares que estão lotando os ônibus por apenas R$ 2,00 para viagens intermunicipais.
Essa é a greve mais duradoura da história de Natal, já fazem mais de duas semanas que as transportadoras estão sem operar e o pior é que motoristas e cobradores não foram favoráveis a uma assembleia promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Natal.
O sindicato da categoria deve pagar uma multa de mais de R$ 200 mil por não ter providenciado veículos extras durante a paralisação.

Justiça barra aumento nos preços de passagens de ônibus em MG

Justiça proíbe aumento nas passagens rodoviárias em BH.

Justiça proíbe aumento nas passagens rodoviárias em BH.

O recurso apresentado pelo departamento de trânsito e mobilidade urbana da capital de Minas Gerais para aumentar os preços de passagens de ônibus em linhas rodoviárias não foi acatado pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJMG).
Segundo o desembargador Kildare Carvalho, da 3ª Câmara Cível, o pedido foi negado e com isso o reajuste na hora de embarcar deve ficar para mais tarde.
A determinação passa a ser da 4ª Vara de Feitos da Fazenda Pública Municipal e já está em vigor desde o começo desse mês. Apesar disso, a justiça de Belo Horizonte não garante suspender o aumento em mais de trinta dias.

Se não fosse a intervenção da justiça, o preço praticado nas passagens rodoviárias da cidade já deveria estar mais salgado desde o dia 6 de abril. Depois que o Ministério Público do Estado mineiro pediu a suspenção do aumento, o valor que iria chegar a R$ 2,85 ficou sendo comercializado em 20 centavos mais barato.
Sem saber da determinação do TJMG, muitos passageiros compraram as passagens com valores alterados, depois que companhias de ônibus descumpriram a ordem judicial e venderam mais caro.
Para a prefeitura de BH as tarifas rodoviárias precisam ser reajustadas de acordo com o índice inflacionário do município. Segundo o agravo, só de 2009 até o começo desse ano, a inflação gerada medida pelo INPC ficou em 34,35%, enquanto o aumento das passagens acumulado foi de 23,91%.

Os dados apurados que propõem elevação de 7,5% para recompor o equilibro econômico e financeiro do setor, foram apurados pela empresa Ernest & Young. É justamente esse parecer que está sendo apurado e questionado pelo Ministério Público de Minas Gerais. O órgão já abriu uma perícia para apurar os dados.
Várias empresas de ônibus que trabalham na cidade fizeram questão de recorrer da decisão. Em contrapartida, a desembargadora da 3ª Câmara Cível Ana Paula Caixeta também foi contra o aumento das tarifas.
Se o recurso for realmente julgado improcedente, as auto viações terão que se contentar com o preço praticado recentemente.
A prefeitura de BH não quis se pronunciar sobre a decisão do desembargador Kildare Carvalho.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress