Tag bilhetes rodoviários

Preço de passagens de ônibus sobe no litoral paulista

Passagens de Bertioga e Guarujá estão mais caras.

Passagens de Bertioga e Guarujá estão mais caras.

O aumento no preço de passagens de ônibus de Bertioga e do Guarujá veio em boa hora para as companhias rodoviárias. Justo na época mais movimentada do ano, as catracas devem registrar o aumento tarifário nas linhas intermunicipais da Baixada Santista. O aumento de 14,28% e 10,71% são os mais caros da região, ultrapassando os valores impostos pelas empresas de outras sete cidades do litoral, incluindo Santos e Praia Grande, onde lá o valor é de R$ 2,90. Com o reajuste, o guarujaense e turistas que desembarcarem na cidade para aproveitar as férias de verão, terão de desembolsar R$ 3,20 para circular na cidade. Já em Bertioga, a passagem rodoviária vale R$ 3,10.

A tarifa mais barata da região litorânea está sendo praticada em Peruíbe, com o valor de R$ 1,70. As viagens rodoviárias de Cubatão estão quase o mesmo preço de Bertioga e Guarujá, contabilizando R$ 2,85. Em São Vicente e Itanhaém, o preço para viajar de ônibus é R$ 2,60. A rodoviária de Mongaguá também tem preços mais acessíveis, com R$ 1,90 para ônibus intermunicipais. A prefeitura de Guarujá garantiu que o reajuste de quase 15% foi acatado depois de promover reuniões com representantes da sociedade, usuários do transporte público, responsáveis pelas transportadoras e sindicado dos empregados.

Com base em um estudo de gastos, a prefeitura alega que o aumento salarial da categoria e os insumos, gastos com pneus, peças, combustível, foram os principais motivos para que o passageiro pagasse mais pela passagem. Em contrapartida, o órgão público prometeu que o reajuste deverá trazer benefícios para o transporte. Está previsto até o final do ano, a instalação de wi-fi gratuito em todas as linhas rodoviárias e terminais da cidade. Além disso, são esperados mais 20 novos abrigos de ônibus antes do ano novo. Em Bertioga a situação é diferente. Lá, a viação Bertioga, empresa que administra o transporte público da cidade, não recebia aumento desde outubro de 2012. Foi por isso que só agora, passou a elevar o preço dos bilhetes rodoviários. Com a mudança, duas linhas que circulam pelos bairros Chácaras e Boraceia, em caráter experimental, passam a valer R$ 1,00.

Itapemirim passagens oferece reserva por telefone

Itapemirim vende passagem rodoviária por telefone.

Itapemirim vende passagem rodoviária por telefone.

Quem ainda não aderiu às facilidades dos e-commerces brasileiros e não tem tempo de ir até o terminal rodoviário para garantir o melhor assento durante a próxima viagem rodoviária, pode usar o telefone. Além de disponibilizar a maior parte de suas linhas interestaduais em sua página oficinal na internet e em buscadores de agências de viagem, a viação Itapemirim passagens também está oferecendo outras três formas de compra dos bilhetes rodoviários. Se faltar tempo para ir até os guichês de atendimento, instalados nas rodoviárias atendidas pela empresa, é possível reservar a passagem através do serviço de Entrega em Domicílio ou pelo telefone. Pagamentos em sites especializados garantem opções de comparação de preços e serviços, além de parcelar as compras em cartões de crédito ou débito.

O interessante é que, o benefício também está garantido para clientes que comprarem a passagem de ônibus pelo telefone. Basta ligar para o número 0800 723 2121 ou 0800 726 0246, das 7h às 23h30 e confirmar os dados dos cartões Visa, Mastercard, Diners Club, Hipercard, American Express e Banes Card. A praticidade é uma forma de expandir o serviço para cidades onde a locomoção até o terminal rodoviário é mais complicada, e manter a mesma condição de reserva para aqueles que não estão conectados na internet. Para receber a passagem rodoviária em casa é preciso acessar o site da empresa e consultar o número telefônico disponível para cada região.

Após ligar, o usuário deve informar ao atendente qual é a cidade de origem e para onde pretende viajar, apontando dia e horário do embarque. Em seguida, é a própria Itapemirim quem liga de volta para o cliente, para registrar o endereço onde será feita a entrega dos bilhetes de ônibus. As passagens são entregues por um motoboy que deve ser pago pelo cliente, no momento da entrega. Apesar da opção agregar uma taxa adicional no valor comercializado em outras formas de compras, é a mais prática, já que quando a passagem é reservada na internet, é preciso chegar no terminal com antecedência para retirar o voucher de embarque.

Investimento em BRT pode encarecer passagens de ônibus em PE

Ônibus articulados de Recife estão parados.

Ônibus articulados de Recife estão parados.

O investimento milionário para adquirir mais de 150 BRTs (ônibus articulados) em Recife, pode obrigar o estado pernambucano a reajustar o valor das passagens de ônibus, antes do ano novo chegar. Por causa dos altos investimentos para modernizar a frota rodoviária da capital, além da defasagem no preço praticado pelas catracas e a falta de subsídio, companhias de ônibus em operação já fazem pressão em cima do Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano, para que haja um aumento de pelo menos 24,2%. Se o novo preço for aceito pelos órgãos competentes, a passagem rodoviária que vale atualmente R$ 2,15 passará a ser comercializada em R$ 2,67. O que está mais próximo de acontecer é um reajuste de 16,3%, elevando o valor da passagem em R$ 2,50.

Para o presidente do Grande Recife, se o valor não for aumentado em pelo menos R$ 2,67, outras fontes de subsídios deverão acontecer. Já que o setor está há incríveis três anos sem se quer ter um aumento tarifário. Segundo o sindicato, a compra dos ônibus articulados no valor de R$ 750 mil cada, também impossibilitou a renovação da frota rodoviária, que poderia estar abaixo dos 4,3 anos de circulação. Para cumprir com o compromisso previsto nas concessões, as auto viações deixaram de pagar o PIS/Cofins em maio do ano passado e foram desoneradas do ICMS sobre o combustível em junho. Juntos os dois impostos somam 12,15% dos custos de operação das transportadoras.

Outra alternativa, além do aumento nos bilhetes rodoviário, seria a o governo assumir as despesas geradas pelas gratuidades a idosos e outras classes favorecidas. Atualmente, mais de 35 mil usuários embarcam nos ônibus sem pagar, enquanto outros 53,1 mil acompanham as viagens sem comprar a passagem de ônibus. 42% dos benefícios são gerados aos deficientes físicos e 45% aos mentais. O número de novos pedidos de gratuidade se mantém em mais de 1 mil ao mês. Idosos, policiais, carteiros e estudantes também entram na conta. Só a meia gratuidade para os estudantes representa uma redução na receita bruta de 14,48%. O novo valor deve começar a valer a partir do ano que vem.

Companhias apostam em passagens rodoviárias pela internet

70% das auto viações venda passagens pela internet.

70% das auto viações venda passagens pela internet.

A venda de passagens rodoviárias através de e-commerces é a nova aposta de mais da metade das 230 companhias de ônibus regulares do Brasil, para alavancar as finanças durante as férias de verão. De acordo com dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), pelo menos 70% dos embarques rodoviários podem ser reservados pela internet, tanto em sites oficiais das próprias auto viações, como em agências de turismo online. Para especialistas e empresários do setor, é esperado que até a próxima temporada, o número de companhias rodoviárias atualizadas no mundo virtual se aproxime dos 100%, já que o investimento em logística e reserva online vem caindo no gosto de um público fiel que adora praticidade na hora de efetuar as compras.

O Brasil é um dos recordistas em número de pessoas conectadas na rede mundial de computadores. Só em terras brasileiras, mais de 80 milhões de pessoas têm acesso aos recursos das lojas virtuais e dos sites de busca. Pesquisas mostram que os brasileiros estão descobrindo as vantagens em comprar produtos e serviços pela internet, e apontam um faturamento cresceste originado de pedidos feitos direto do tablet, do celular e do computador. Na última comparação realizada pelo e-Bit, entre 2012 e 2013, as compras online registram movimentação de 155 milhões de pedidos só em empresas brasileiras, um aumento de 21,6 milhões de interessados na comodidade de se negociar, sem sair de casa. A projeção é tão animadora que nem mesmo a inflação elevada e o discreto crescimento econômico registrado no ano passado, vem tirando o entusiasmo de investidores de startups e e-commerces.

Na medida em que as empresas de ônibus investem na venda direta de passagens de ônibus pela internet, maior é a contribuição para o bom desempenho de vitrines virtuais do segmento. Não é por acaso que, as auto viações juntas as agências virtuais venderam só no ano passado, mais de 1 milhão de bilhetes rodoviários. As formas de pagamento facilitado e a independência financeira da maioria dos brasileiros também colaboram pelo aumento da procura das viagens rodoviárias de longa distância pelo Brasil.

Preço de passagens 2014 trará boas recordações aos cariocas

Passagens rodoviários do Rio de Janeiro devem ficar mais caras.

Passagens rodoviários do Rio de Janeiro devem ficar mais caras.

O aumento já esperado de 5% no valor do diesel poderá elevar o preço das passagens rodoviárias, logo no começo do ano novo, para quem mora no Rio de Janeiro. Se a previsão da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU) estiver certa, o preço de passagens 2014 praticado desde o último reajuste em março deixará saudades. A estimativa é de que os insumos gerem um aumento na tarifa rodoviária de pelo nos R$ 0,10. Para a NTU, o valor do combustível pode prejudicar o orçamento das companhias rodoviárias em até 30%. Uma porcentagem elevada e desleal quando é comparada com os custos para automóveis, que apenas terão de pagar aumento de 3% sobre a gasolina.

O repasse desprivilegiando o transporte coletivo deve impactar no valor das passagens, e ainda inviabilizar investimentos na melhoria e renovação de frotas rodoviárias que atendem os municípios cariocas. Especialistas em inflação acreditam que o reajuste tarifário é inevitável, no entanto, não deve salgar o bolso do consumidor, porque o valor estabelecido nas catracas, ainda está abaixo do limite proposto pelas capitais brasileiras. Para a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio (Fetranspor), as passagem de ônibus do Rio já estavam defasadas antes do aumento do diesel, por causa do recuo causado pelas manifestações, no meio do ano. De lá pra cá, as auto viações também reajustaram os salários dos funcionários em 10%.

Quatro consórcios que administram os ônibus rodoviários estão livres para realizar o reajuste anual ainda em janeiro, segundo fórmula paramétrica, com base nos índices calculados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os dados medem o aumento de custos, como combustível, mão de obra, veículos e peças, e estão assegurados nos contratos de concessão. No restante do Brasil, os reajustes já começaram a ser praticados. Em Curitiba, por exemplo, a passagem de ônibus saltou de R$ 2,70 para R$ 2,85, e Recife deve definir os novos valores ainda neste mês. Já em São Paulo, o bilhete rodoviário não será reajustado, permanecendo em R$ 3, graças aos subsídios milagrosos da prefeitura.

Preços de passagens de ônibus podem impactar economia

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens pode mexer no bolso do consumidor.

Se os preços de passagens de ônibus subirem ou despencarem de uma hora pra outra, certamente o bolso do consumidor brasileiro vai sentir. Segundo especialistas em economia, o transporte, considerado uma dos serviços básicos mais utilizados pela população brasileira, também está interligado com outros setores de interesse da maioria, e por isso, sempre que tem seu valor alterado, pode causar impactos na economia. Tem vive de até dois salários mínimos, sente mais quando o valor dos serviços básicos são alterados, seja quando sobem ou quando precisam de subsídios para se tornarem mais acessíveis ao bolso do cidadão.

Quem depende diariamente do veículo rodoviário para trabalhar, e paga em média R$ 3 pela passagem de ônibus ou do Metrô, terá um gasto no final do mês de pelo menos R$ 120, levando em consideração as viagens de ida e volta. Se a mesma tarifa fosse praticada a R$ 1, a economia no final do mês seria de mais de 50%, o que traria mais benefícios para o orçamento do passageiro rodoviário. Em contrapartida, viabilizar propostas desse tipo requer estudos detalhados. Reduzir até dois terços do que é gasto para comprar as passagens rodoviárias, pode gerar uma economia de R$ 80 para cada usuário que pagava R$ 3 em tarifas. A diferença é equivalente a mais de mais de 10% de um salário mínimo, podendo ser bastante impactante para famílias de baixa renda.

De qualquer forma, as políticas salariais adotadas por empresas regularizadas devem continuar. Para especialistas, com a diminuição nas tarifas do vale-transporte, seria possível melhorar a remuneração dos funcionários, porém, esse meio compensatório dificilmente funciona, já que a legislação brasileira prevê incentivos fiscais e isenção de IPI, compensando valores ao consumidor através de descontos em impostos, que pouco diminuem ou nada mudam em muitos casos. Com as reduções no preço das passagens, os custos no valor de R$ 90 milhões mensais destinados às gratuidades, passariam a ser contabilizados em pelo menos R$ 112 milhões, e a arrecadação com IPVA, somada em R$ 800 milhões anuais, por exemplo, seria desviada para subsidiar o acréscimo das despesas.

Preço de passagens 2014 cai pela primeira vez em Campinas

O preço das passagens rodoviários é o mais baixo durante os últimos quatro anos.

Passagem de ônibus de Campinas fica 50% mais barata no Dia das Crianças.

Pela primeira vez no ano, o preço de passagens de ônibus para ser transportado entre os bairros de Campinas, no interior de São Paulo, caiu pela metade neste último domingo (12). Por causa da comemoração ao Dia das Crianças e de Nossa Senhora Aparecida, a prefeitura da cidade resolveu subsidiar parte do valor das passagens para estimular passeios e facilitar a locomoção durante o feriado. Chamado de “Passe Lazer“, o projeto inclui diferentes edições, que gera descontos para passageiros do sistema de transporte coletivo, que apenas utilizam o Bilhete Único para embarcar.

Quem apenas paga as passagens rodoviárias com o Bilhete 1 Viagem, fornecido recentemente para adaptação dos passageiros ao novo sistema de bilhetagem eletrônica da cidade, também pôde garantir o desconto durante o domingão. Esse tipo de serviço é mais atrativo para quem não viaja de ônibus diariamente e apenas se preocupa em comprar a passagem, quando precisa se deslocar. A versão do bilhete é adquira dentro dos veículos, e é vendida por unidade, para ser usada na mesma viagem. No domingo o preço de passagens 2014 para quem pagou com o Bilhete 1 Viagem foi praticado em R$ 3,65, com R$ 1,65 destinado a tarifa e R$ 2 do “casco”, valor que pôde ser reembolsado em postos autorizados.

Apenas os que embarcam nos ônibus rodoviárias de Campinas portando os cartões de Bilhete Único Escolar e Vale-Transporte não puderam aproveitar o desconto de 50% no preço dos bilhetes rodoviários. Viagens para idosos e outros benefícios concedidos pelo setor rodoviário também não foram incluídos no projeto durante o último feriado. Sempre que houver promoções e descontos especiais em Campinas, é preciso ficar de olho e denunciar se as companhias de ônibus praticarem a cobrança indevida da tarifa. Para isso, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) pede para que os usuários anotem o horário, a linha atendida e o prefixo do veículo, e posteriormente encaminhem as informações por telefone, através do número (19) 3772-1517.

Passagens intermunicipais estão mais caras no Sul

Preço de passagens 2014 para linhas interestaduais no Brasil é mais caro do que em viagens internacionais.

Passagens interestaduais estão mais caras.

A Agergs – Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul aprovou na última quarta (27), o aumento tarifário para passagens intermunicipais na cidade de Venâncio Aires com destinos a outros municípios do Sul do Brasil. O reajuste aceito pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) deixa os bilhetes rodoviários 5,33% mais caros que do vinham sendo pagos recentemente. Estão livres da mudança, passageiros que embarcam em ônibus rodoviários até linhas sentido a região Metropolitana, Litoral, Sul e Noroeste do Rio Grande do Sul. As viagens até Porto Alegre já sofreram aumentos de 6,15% no transporte intermunicipal desde julho deste ano, pela mesma agência.

O valor mais caro das passagens em trajetos intermunicipais já havia sido praticado em janeiro de 2014 em 6,72%, portanto já é a segunda vez em que passageiros terão que desembolsar mais para embarcar. A Rodoviária de Venâncio Aires está com os preços das passagens em seu site oficial atualizados e com o percentual das passagens registrados no novo valor. Viagens de ônibus para Lajeado em linhas regulares passou a custar R$ 5,95, cerca de 30 centavos a mais do que era vendido até o momento. O serviço semi-direto, saltou de R$ 5,90 para R$ 6,25 para o mesmo trajeto. A cidade conhecida como Capital Nacional do Chimarrão também aumentou os preços de passagens rodoviárias para Santa Cruz do Sul, que deixou de valer R$ 5,75 para ser vendida por R$ 6,10.

Os ônibus semi-diretos, ou seja, os que não fazem paradas, chegaram a elevar suas tarifas rodoviárias em até 40 centavos. Para a Agergs, quanto mais demorada forem às viagens rodoviárias, menos o reajuste das passagens terá impactos no bolso do consumidor. Antes de o novo preço valer, as passagens de ônibus para Porto Alegre eram reservadas no valor de R$ 24,10, porém agora, com o reajuste em vigor, o valor médio é de R$ 25,45, apenas R$ 1,35 a mais. Nas linhas sem paradas para o mesmo destino, a tarifa ficou R$ 1,55 mais cara.

Passagens de ônibus de estudante devem ser validadas em Fortaleza

Carteirinhas de estudantes 2013 perdem validade.

Carteirinhas de estudantes 2013 perdem validade.

Já fazem duas semanas que estudantes da rede pública de ensino de Fortaleza não puderam embarcar no transporte público da cidade. O motivo, a validade das carteirinhas de estudantes que eram utilizadas no lugar das passagens de ônibus desde 2012. Quem não fez o pedido e perdeu o prazo para validar o beneficio novamente terá que pagar o valor integral nas viagens rodoviárias. Júlio Ferreira, estudante universitário da capital viaja em quatro ônibus diariamente, e com a carteirinha só pagava o valor de meia passagem. Agora ele e centenas de estudantes terão que apresentar o novo documento para continuar economizando com o transporte. Sem prorrogação, o prazo para garantir os embarques com desconto foi até o dia 15 de agosto, um dia antes das carteirinhas antigas perderem a validade nas catracas.

De acordo com o superintende do vale transporte do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), Paulo César Viera, o prazo já foi prorrogado várias vezes e a validade que era para entrar em vigor desde maio deste ano só está sendo praticada agora. Apesar de mais de 300 mil documentos estudantis já serem regularizados, Paulo Viera acredita que faltou planejamento e organização por parte de muitos jovens na hora de pedir a nova documentação. “Não foi por falta de acesso e nem de divulgação que muitos estudantes perderam o prazo. Realizamos o atendimento em todos os terminais rodoviários e intensificamos a regularização das carteirinhas em vários pontos da cidade”, explica. Os que estudam em escolas públicas tiveram que procurar a direção da instituição. Já os que ingressos em escolas particulares foram orientados a se cadastrarem e emitirem boleto bancário no site da Etufor.

Manifestações
Vários estudantes de Fortaleza se reuniram nos terminais de ônibus em protesto a favor da validade das antigas carteirinhas estudantes adiando por inúmeras vezes a nova regularização proposta pela Etufor. Durante as manifestações, houve intervenção da polícia que também confrontou com usuários de ônibus indignados com os valores das passagens. Os manifestantes foram atingidos com spray de pimenta, balas de borracha e bombas de efeito moral e de gás lacrimogênio.

Confira os preços de passagens de ônibus de Campinas

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens rodoviária de Campinas.

Desde o começo de agosto, os preços de passagens de ônibus municipais em Campinas, localizada no interior de São Paulo, registraram aumento de 10% no bolso dos passageiros. O valor dos bilhetes rodoviários antes comercializados por R$ 3 passaram a ser vendidos no valor de R$ 3,30. Apesar do aumento, já fazem mais de três anos que o campinense não sabem o que é pagar reajustes nas passagens de ônibus. De acordo com a prefeitura da cidade, dessa vez o aumento foi inevitavelmente, justamente porque os custos operacionais e a inflação acumulada medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do mês passado, chegou à subir 16,29%.

Para a Transurc – Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas, o preço do combustível subiu demais, assim como a inflação dos lubrificantes e as peças e acessórios que são compradas em manutenções da frota rodoviária. Sem esquecer do aumento salarial de motoristas promovido duas vezes só neste ano, comprometendo o orçamento de empresas rodoviárias. O aumento no preço das passagens não irá compensar a perda econômica vivida por empresas do setor. Apenas deve minimizar os prejuízos e reequilibrar o déficit causado pelas inflações – a tarifa era para ter entrado em vigor há um ano, porém foi adiada depois que milhares de brasileiros foram às ruas protestarem contra o aumento das passagens.

O secretário de Transportes e presidente da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), Carlos José Barreiro, admitiu que o repasse de subsídios pagos pela prefeitura em torno de R$ 43 milhões destinados a gratuidades nas viagens rodoviárias deve ser reduzido pela metade. A pasta espera colocar a façanha em prática depois que o pagamento das passagens em dinheiro for proibido e substituído por cartões magnéticos (o que deve eliminar a função de cobradores de companhias de ônibus, reduzindo os custos operacionais das empresas). A ação já está programada para começar em outubro deste ano, e por hora só deve valer para o trecho do Corredor ABD (Jabaquara/Diadema/Brooklin). Dados do IBGE revelam que a cidade paulista tem mais de 240 mil passageiros ativos que viagem diariamente em 1.250 veículos rodoviários.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress