Category preço de passagens de ônibus

Preço de passagens de ônibus no Rio de Janeiro é congelado

Preço de passagem rodoviária permanece congelado.

Preço de passagem rodoviária permanece congelado.

O aumento no preço de passagens de ônibus do Rio de Janeiro, vigorado no começo de janeiro, deve continuar o mesmo até nova ordem judicial. Até o presente momento, a Justiça da capital carioca se nega atender o pedido do Ministério Público Estadual para reduzir o valor das passagens rodoviárias do transporte municipal, em 20 centavos. Com a determinação, os passageiros precisam desembolsar R$ 3,40 em cada embarque. Dois dias depois do último reajuste ser praticado, o promotor de Justiça Rodrigo Terra impetrou ação civil pública para pedir a redução do valor. Segundo o promotor, o aumento tarifário foi contrário ao que estava previsto em contrato de concessão com as operadoras de transporte.

Até o final do ano passado, os bilhetes rodoviários eram comercializados a R$ 3,00 e com o aumento passaram a ficar 40 centavos mais caros. Se as contas de Terra estiverem corretas, o reajuste adequado elevaria o preço das passagens para R$ 3,18, arredondando o valor das catracas para R$ 3,20. O preço deve ser concedido por um aumento de 6,23% sobre o valor atual da passagem de ônibus. Em tese, o aumento estaria sendo cobrado de forma ilegal. A contrapartida para justificar a inclusão de mais 20 centavos na tarifa dos coletivos veio do acordo entre prefeitura e as companhias rodoviárias. Ambas alegam que a diferença é decorrente dos altos gastos no subsidio de gratuidades oferecidas aos idosos da cidade, além dos investimentos realizados com a compra de novos ônibus com ar condicionado.

No entanto, na visão do promotor, esses valores já estariam sendo contabilizados no preço da tarifa de R$ 3,20. Esse já é a segundo vez consecutiva que a redução no valor das passagens é negada. A primeira discussão foi negada, em primeira instância, ainda em janeiro. O segundo pedido foi rejeitado pela desembargadora Marília de Castro Neves Vieira, da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). A boa notícia é que ainda o Ministério Público poderá recorrer da decisão. Com a situação nas catracas, os cariocas não têm muito do que comemorar em matéria de transporte. Segundo estudo feito por economistas brasileiros, o Rio está entre uma das capitais do Brasil com maior discrepância de preço cobrado nas passagens rodoviárias.

Ubatuba e São José têm o mesmo preço de passagens de ônibus

Passagem de ônibus está 13% mais cara.

Passagem de ônibus está 13% mais cara.

O preço de passagens de ônibus para embarques em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo e no município de São José dos Campos está equivalente desde o começo de fevereiro. O reajuste anunciado pelas prefeituras paulistas elevou o valor dos bilhetes rodoviários em 13%, já que em ambas as cidades a tarifa para embarcar no transporte coletivo saltou de R$ 3 para R$ 3,40. O preço é 10 centavos mais barato do que já está sendo cobrado na capital de São Paulo, apesar da prefeitura subsidiar parte da tarifa com investimento de cerca de R$ 1,5 bilhão ao ano. O aumento só veio no litoral de São Paulo depois que a prefeitura considerou que os custos do setor, gerados com combustíveis e salários dos funcionários, estavam defasados, de acordo com a planilha enviada pelo governo.

É possível conseguir um desconto de até 50 centavos em cada viagem rodoviária, se o pagamento for feito no cartão de transporte. Além da promessa de implantar o sinal de internet sem fio na rodoviária de Ubatuba, a concessionária VerdeBus  prometeu que vai estender o prazo de validade do Bilhete Único durante o dia e que deve conceder duas recargas gratuitas a cada 20 passagens adquiridas pelo cartão eletrônico. Esse mês completam dois anos que o consumidor não sabe o que é pagar mais caro para viajar nos ônibus de São José dos Campos. O reajuste das passagens rodoviárias seria ainda maior caso dependesse apenas das empresas que operam na cidade, a Saes Peña, Expresso Maringá e CS Brasil.

Eles pediram no final do ano passado, tarifas no valor de R$ 3,79. Em contrapartida, a Secretaria de Transportes justificou que o aumento foi dado com base em análises econômicas e no contrato de concessão do sistema. O aumento salarial da categoria, os insumos e o índice de inflação ajudou a prefeitura chegar ao novo valor. Quem preferir comprar as passagens com dinheiro não escapará do reajuste nem mesmo aos domingos. Apesar disso, a boa notícia é que, assim como acontece em Ubatuba, pagar os bilhetes com o cartão eletrônico garantirá descontos de até 50 centavos.

Preço de passagens de ônibus de Manaus aumenta em 2015

É hora de juntar as moedas para pagar as passagens.

É hora de juntar as moedas para pagar as passagens.

O ano mal começou e os passageiros de ônibus de Manaus já estão sentindo o reajuste no valor tarifário para embarcar em coletivos da cidade. Segundo a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), as passagens rodoviárias passaram a ser comercializadas no valor de R$ 3, enquanto a meia-passagem, saltou de R$ 1,35, para R$ 1,50. O novo reajuste na reserva rodoviária representa um aumento de R$ 0,25 no preço de passagens de ônibus da capital. De acordo com a prefeitura de Manaus, já fazia mais de três anos que os passageiros não sabiam o que era ter o reajuste. Por conta disso, a tarifa ficou defasada, já que o valor dos combustíveis subiu junto com o preço para renovar as frotas, e reajustar os salários de funcionários da auto viações.

Só nos últimos quatro anos, o diesel utilizado para abastecer a frota municipal teve um aumento de 33,74%, enquanto ficou 17,20% mais caro comprar novos veículos para colocar nas ruas. Motoristas também tiverem reajuste salarial de 20,9% durante o mesmo período. Cada passageiro que embarca nos ônibus da capital do Amazonas, custa em média R$ 3,11 para as companhias de ônibus. Com a diferença do reajuste, os R$ 0,11 centavos restantes são subsidiados pela prefeitura e pelo governo do Estado que injeta R$ 2 milhões todo o mês, para serem gastos no setor. A prefeitura de Manaus admite que o serviço de transporte público não é dos melhores, e por isso, cobra das empresas rodoviárias, algumas medidas para inibir a paralisações de profissionais do sistema e melhorias no atendimento.

A cidade também espera a conclusão das obras de corredores exclusivos, realizadas pela SMTU. Com o investimento em mobilidade urbana, além de tornar as viagens rodoviárias mais velozes, a prefeitura poderá economizar com subsídios gastos para bancar o aumento da frota. Se a palavra do prefeito valer, esse ano não terá mais aumentos nas passagens. Ele garantiu que, mesmo com o aumento previsto no salário dos rodoviários, o valor da passagem de ônibus deve permanecer nos R$ 3. Segundo a prefeitura, os bilhetes do transporte do tipo executivo também devem ser reajustados em breve.

Valor da passagem rodoviária e de outros veículos sobe em SP

Preço de passagem rodoviária sobe no começo do ano.

Preço de passagem rodoviária sobe no começo do ano.

O valor da passagem de ônibus, Metrô e dos trens metropolitanos de São Paulo passa a subir na primeira terça-feira do ano. O reajuste para quem embarca nos ônibus municipais e no transporte sobre os trilhos é de 50 centavos. Mesmo assim, o aumento está abaixo do valor tarifário previsto conforme a inflação, no qual elevaria a passagem de R$ 3 para R$ 3,75. Segundo a prefeitura, o preço da passagem rodoviária está estagnada há 4 anos, na capital do Estado. Segundo a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, o reajuste fica abaixo dos 17% da inflação acumulada desde o último reajuste, em fevereiro de 2002. A boa notícia é que Bilhete Único recarregado mensalmente, semanalmente e diariamente não sofrerá reajustes, pelo menos por enquanto.

Já o benefício rodoviário integrado ao Metrô de São Paulo e os trens da CPTM passarão a salgar o bolso do passageiro no valor de R$ 5,45. Tanto a prefeitura quanto o governo estadual prometem congelar a tarifa mensal paga para recarregar o Bilhete Único Mensal Sobre Trilhos, no valor de R$ 140. Mesmo sem o reajuste, o valor fixado trará benefícios para o usuário, durante deste ano. Até o momento só quem embarcava 47 vezes no mês poderia ter acesso a sistema de bilhetagem mensal, porém agora o número mínimo exigido caiu para 41 viagens ao mês.

Segundo os cálculos dos especialistas, o recurso é muito benéfico para quem utiliza o transporte como meio de ida e volta diário, principalmente em casos em que os coletivos são utilizados pelo menos 22 dias do mês. Nesta ocasião, o usuário estará economizando automaticamente R$ 14 com direito de realizar viagens ilimitadas até o final do mês. Já para o Bilhete Único Integrado (trens, metrô e ônibus), a dica é se cadastrar se o número de viagens no mês ser superior a de 43. Antigamente o programa era elaborado para compensar o bolso de quem viajava ao menos 50 vezes em 30 dias. Deve estar próxima de ser acionada a lei que vigora o Passe Livre, concedendo isenção da tarifa rodoviária para todos estudantes de escolas e universidades públicas de São Paulo.

Passagens de ônibus estão 800% mais baratas do que aéreas

Viajar de carro fica mais caro do que de ônibus.

Viajar de carro fica mais caro do que de ônibus.

As passagens de avião estão 800% mais caras do que as passagens de ônibus com embarque durante a última semana de 2014. A diferença pode ficar ainda maior em trechos rodoviários de longa distância, especialmente entre capitais e outros grandes centros. Em Curitiba, o bilhete rodoviário é encontrado por R$ 109 até Florianópolis (SC), enquanto as companhias aéreas estão cobrando R$ 1020 para fazer o mesmo trajeto. O valor equivale às passagens de ida e volta, e asseguram o tempo que cada passageiro vai demorar para chegar a seu destino. Nesta viagem, quem optar pelo serviço das aeronaves poderá desembarcar no estado catarinense, em apenas uma hora. Já nos ônibus, o mesmo percurso demora cinco vezes mais.

O custo em uma viagem realizada com o veículo de passeio também deve ser calculado e comparado na hora de medir as despesas. Associado aos gastos com pedágios e o combustível, o carro não é uma boa opção de viagem para quem pretende botar o pé na estrada sozinho. Entre o eixo rodoviário São Paulo e Rio de Janeiro, a passagem rodoviária sai por R$ 163, cerca de metade do que é gasto para tirar o carro da garagem. Mesmo com a diferença, se o carro transportar mais pessoas, realmente o veículo próprio se torna a opção de transporte mais barata. A comparação com o preço do aéreo pode ultrapassar os 353%, já que a passagem aérea para esta linha está em torno de R$ 740.

A duração da viagem é de uma hora, para quem preferir voar. A dica de economia também funciona em outros trechos, como é o caso de viagens de Salvador para Lenções, na Bahia. Lá, o trajeto sai por R$ 126 se for de ônibus, enquanto o custo para ir de carro é de R$ 451, considerando que o preço da gasolina esteja R$ 3 o litro e o consumo do combustível é de 10 quilômetros por litro. Para encurtar o tempo de viagem, sem abrir mão da economia, o jeito mesmo é pesquisar e comprar as passagens aéreas dois meses antes do embarque.

Preço de passagens de ônibus sobe no litoral paulista

Passagens de Bertioga e Guarujá estão mais caras.

Passagens de Bertioga e Guarujá estão mais caras.

O aumento no preço de passagens de ônibus de Bertioga e do Guarujá veio em boa hora para as companhias rodoviárias. Justo na época mais movimentada do ano, as catracas devem registrar o aumento tarifário nas linhas intermunicipais da Baixada Santista. O aumento de 14,28% e 10,71% são os mais caros da região, ultrapassando os valores impostos pelas empresas de outras sete cidades do litoral, incluindo Santos e Praia Grande, onde lá o valor é de R$ 2,90. Com o reajuste, o guarujaense e turistas que desembarcarem na cidade para aproveitar as férias de verão, terão de desembolsar R$ 3,20 para circular na cidade. Já em Bertioga, a passagem rodoviária vale R$ 3,10.

A tarifa mais barata da região litorânea está sendo praticada em Peruíbe, com o valor de R$ 1,70. As viagens rodoviárias de Cubatão estão quase o mesmo preço de Bertioga e Guarujá, contabilizando R$ 2,85. Em São Vicente e Itanhaém, o preço para viajar de ônibus é R$ 2,60. A rodoviária de Mongaguá também tem preços mais acessíveis, com R$ 1,90 para ônibus intermunicipais. A prefeitura de Guarujá garantiu que o reajuste de quase 15% foi acatado depois de promover reuniões com representantes da sociedade, usuários do transporte público, responsáveis pelas transportadoras e sindicado dos empregados.

Com base em um estudo de gastos, a prefeitura alega que o aumento salarial da categoria e os insumos, gastos com pneus, peças, combustível, foram os principais motivos para que o passageiro pagasse mais pela passagem. Em contrapartida, o órgão público prometeu que o reajuste deverá trazer benefícios para o transporte. Está previsto até o final do ano, a instalação de wi-fi gratuito em todas as linhas rodoviárias e terminais da cidade. Além disso, são esperados mais 20 novos abrigos de ônibus antes do ano novo. Em Bertioga a situação é diferente. Lá, a viação Bertioga, empresa que administra o transporte público da cidade, não recebia aumento desde outubro de 2012. Foi por isso que só agora, passou a elevar o preço dos bilhetes rodoviários. Com a mudança, duas linhas que circulam pelos bairros Chácaras e Boraceia, em caráter experimental, passam a valer R$ 1,00.

Preços de passagens de ônibus estão defasados de capitais

Óleo diesel soma 25% dos gastos das auto viações.

Óleo diesel soma 25% dos gastos das auto viações.

De acordo com a conta da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU), habitantes das capitais brasileiras estão pagando menos do que deveriam para embarcar em ônibus rodoviários. Segundo a entidade, os preços de passagens de ônibus estão pelo menos 12,8% abaixo do valor praticado nas demais catracas do país. Mesmo sabendo da dificuldade de subsidiar o serviço, muitos prefeitos preferem não atualizar o valor da passagem com medo de abrir caminho para novas manifestações, como aconteceu no ano passado. Por causas dessas ameaças, ficou 5% mais barato andar de ônibus nas capitais do país. Valor barateado, graças às desonerações e reduções, em contrapartida com o aumento de 17,8% no preço das passagens para suportar as gratuidades e outros benefícios propostos pelo setor.

Para a NTU, o governo não quer colaborar com o transporte coletivo, criando políticas de incentivo que só privilegiam o transporte individual. Um desses exemplos é o óleo diesel, que em menos de dois anos, subiu 38%, cerca de 20% a mais do reajuste praticado no preço da gasolina. Nos últimos 15 anos, o combustível ficou 202% mais caro para as companhias de ônibus, enquanto que o os motoristas não tiveram que pagar mais de 100% para encher o tanque. A associação assegura que o óleo diesel representa 23% do custo total dos serviços de transportes e barateá-lo é uma ótima alternativa. Se depender da NTU, parte dos repasses destinados aos municípios brasileiros deveriam ser suficientes para cobrir, ao menos, metade do que as auto viações gastam para estar em circulação.

A NTU pretende estimular a criação de mutirão nacional em favor dos planos de mobilidade urbana, além de dar apoio a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 307/13, que destina 70% dos recursos da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) aos municípios, 20% aos estados, e 10% ao governo federal. Entre tantas alternativas, também está a elaboração de um programa emergencial de qualificação do transporte público urbano por ônibus. Além de cobrir os gastos operacionais, os projetos da associação do setor rodoviário garante que o preço da passagem rodoviária cairia pela metade.

Reajuste em passagens de ônibus de Salvador melhora frota

Salvador deve ganhar veículos novos.

Salvador deve ganhar veículos novos.

Os três novos consórcios rodoviários que deverão começar a operar em linhas suburbanas na capital da Bahia devem agradar boa parte dos usuários do serviço, mesmo anunciando que anualmente o valor das passagens de ônibus deve subir. Apesar do reajuste anual já ser divulgado durante assinatura do contrato entre a prefeitura de Salvador e as empresas vencedoras da licitação das linhas rodoviárias, no Palácio Thomé de Souza, o secretário de Urbanismo e Transportes, Fábio Mota, garantiu que a idade média dos veículos passará a ser reduzida de oito anos para três. A mudança obrigará as licitadas a colocaram mais de 600 veículos novos antes mesmo de começarem a operar em Salvador.

Com a modernização, os consórcios Plataforma, Ótima (antigo Jaguaribe) e Salvador Norte colocaram juntos, mais de 2400 ônibus convencionais e 300 micro-ônibus nas ruas baianas. Um cálculo predefinido no edital de licitação prevê o reajuste tarifário anual até 2017, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e um aumento preestabelecido para os próximos 23 anos de contrato. Enquanto as licitações para operar dentro da cidade estão a todo vapor, as obras de mobilidade urbana são uma icônica e podem não sair do papel tão cedo. Para o prefeito ACM Neto, a população deve observar as melhorias em longo prazo, já que as mudanças dependem de grande investimento e de muitos estudos para realinhar os trajetos rodoviários mais críticos. A expectativa é que a prefeitura reduza o número de linhas extensas e melhore a distribuição de veículos disponíveis para a região interna dos bairros.

Por causa da falta de planejamento nas gestões anteriores, o sistema de transporte de Salvador ficou precário, depois que as linhas se tornaram verdadeiros puxadinhos, se estendendo conforme o aumento do fluxo da população em áreas específicas. O que também segue no mesmo caminho são as empresas rodoviárias que já operam na cidade. Empresas metropolitanas que farão parte do novo sistema, também possuem ligação com os consórcios que assinaram o novo contrato. Os ônibus novos que circularam a partir do ano que vem terão catracas posicionadas na parte dianteira e serão divididos em cores para separar as linhas referentes ao subúrbio, a orla e o miolo.

Preços de passagens de ônibus podem impactar economia

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens pode mexer no bolso do consumidor.

Se os preços de passagens de ônibus subirem ou despencarem de uma hora pra outra, certamente o bolso do consumidor brasileiro vai sentir. Segundo especialistas em economia, o transporte, considerado uma dos serviços básicos mais utilizados pela população brasileira, também está interligado com outros setores de interesse da maioria, e por isso, sempre que tem seu valor alterado, pode causar impactos na economia. Tem vive de até dois salários mínimos, sente mais quando o valor dos serviços básicos são alterados, seja quando sobem ou quando precisam de subsídios para se tornarem mais acessíveis ao bolso do cidadão.

Quem depende diariamente do veículo rodoviário para trabalhar, e paga em média R$ 3 pela passagem de ônibus ou do Metrô, terá um gasto no final do mês de pelo menos R$ 120, levando em consideração as viagens de ida e volta. Se a mesma tarifa fosse praticada a R$ 1, a economia no final do mês seria de mais de 50%, o que traria mais benefícios para o orçamento do passageiro rodoviário. Em contrapartida, viabilizar propostas desse tipo requer estudos detalhados. Reduzir até dois terços do que é gasto para comprar as passagens rodoviárias, pode gerar uma economia de R$ 80 para cada usuário que pagava R$ 3 em tarifas. A diferença é equivalente a mais de mais de 10% de um salário mínimo, podendo ser bastante impactante para famílias de baixa renda.

De qualquer forma, as políticas salariais adotadas por empresas regularizadas devem continuar. Para especialistas, com a diminuição nas tarifas do vale-transporte, seria possível melhorar a remuneração dos funcionários, porém, esse meio compensatório dificilmente funciona, já que a legislação brasileira prevê incentivos fiscais e isenção de IPI, compensando valores ao consumidor através de descontos em impostos, que pouco diminuem ou nada mudam em muitos casos. Com as reduções no preço das passagens, os custos no valor de R$ 90 milhões mensais destinados às gratuidades, passariam a ser contabilizados em pelo menos R$ 112 milhões, e a arrecadação com IPVA, somada em R$ 800 milhões anuais, por exemplo, seria desviada para subsidiar o acréscimo das despesas.

Preço de passagens 2014 cai pela primeira vez em Campinas

O preço das passagens rodoviários é o mais baixo durante os últimos quatro anos.

Passagem de ônibus de Campinas fica 50% mais barata no Dia das Crianças.

Pela primeira vez no ano, o preço de passagens de ônibus para ser transportado entre os bairros de Campinas, no interior de São Paulo, caiu pela metade neste último domingo (12). Por causa da comemoração ao Dia das Crianças e de Nossa Senhora Aparecida, a prefeitura da cidade resolveu subsidiar parte do valor das passagens para estimular passeios e facilitar a locomoção durante o feriado. Chamado de “Passe Lazer“, o projeto inclui diferentes edições, que gera descontos para passageiros do sistema de transporte coletivo, que apenas utilizam o Bilhete Único para embarcar.

Quem apenas paga as passagens rodoviárias com o Bilhete 1 Viagem, fornecido recentemente para adaptação dos passageiros ao novo sistema de bilhetagem eletrônica da cidade, também pôde garantir o desconto durante o domingão. Esse tipo de serviço é mais atrativo para quem não viaja de ônibus diariamente e apenas se preocupa em comprar a passagem, quando precisa se deslocar. A versão do bilhete é adquira dentro dos veículos, e é vendida por unidade, para ser usada na mesma viagem. No domingo o preço de passagens 2014 para quem pagou com o Bilhete 1 Viagem foi praticado em R$ 3,65, com R$ 1,65 destinado a tarifa e R$ 2 do “casco”, valor que pôde ser reembolsado em postos autorizados.

Apenas os que embarcam nos ônibus rodoviárias de Campinas portando os cartões de Bilhete Único Escolar e Vale-Transporte não puderam aproveitar o desconto de 50% no preço dos bilhetes rodoviários. Viagens para idosos e outros benefícios concedidos pelo setor rodoviário também não foram incluídos no projeto durante o último feriado. Sempre que houver promoções e descontos especiais em Campinas, é preciso ficar de olho e denunciar se as companhias de ônibus praticarem a cobrança indevida da tarifa. Para isso, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) pede para que os usuários anotem o horário, a linha atendida e o prefixo do veículo, e posteriormente encaminhem as informações por telefone, através do número (19) 3772-1517.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress