Category Passagem rodoviária

Venda aumenta, mas preço de passagens de ônibus fica intacto

Preço de passagem de ônibus não aumenta.

Preço de passagem de ônibus não aumenta.

Apesar dos portais de venda de passagens rodoviárias e das próprias companhias de ônibus registarem aumento na venda de seus serviços durante os últimos 30 dias, o preço para embarcar em veículos rodoviários até as cidades-sede da Copa do Mundo continuou sem elevação.
O congelamento tarifário nos bilhetes rodoviários que já era esperado antes da bola rolar no Mundial, cativou mais turistas durante todo o mês de junho. Sem contar com a grande procura de torcedores estrangeiros, principalmente de argentinos, que pouco utilizaram as viagens aéreas para se deslocar.
Só o site Quero Passagem, o primeiro do setor rodoviário a implantar pagamentos das passagens com cartão de crédito internacional, viu suas vendas decolarem em pelo menos 30% do que é comercializado todo mês.

Por causa da visibilidade do evento internacional, a startup lançada no final do ano passado se preparou para atender o maior número de estrangeiros, e além de extinguir a apresentação do CPF e oferecer moedas internacionais para reservar passagens, disponibilizou duas novas versões do portal traduzidas para o inglês e espanhol.
A demanda por viagens de ônibus até capitais menos badaladas, mas que receberam os jogos da Copa, também aumentou significantemente.
Os trajetos de ônibus foram uma opção mais lucrativa e prática para quem apenas queria sair do terminal rodoviário até os estádios de futebol.
Para o CEO da Quero Passagem, Lukasz Gieranczyk a regularização do governo que proíbe o aumento no preço de passagens de ônibus colaborou com o crescimento do interesse nas viagens feitas por companhias rodoviárias.

O setor tem pelo menos 40% a mais do fluxo de passageiros aéreos, os mesmos que tiveram que pagar um reajuste de 21,95% no valor das passagens durante a Copa do Mundo, segundo IBGE.
Apesar de muitos estrangeiros terem entrado nas fronteiras brasileiras através de carros e ônibus fretados, como mostrou uma pesquisa realizada pelo Departamento de Pesquisa do Ministério, o aumento no interesse pelas passagens de ônibus foi de no mínimo 30%, como previa o Ministério do Turismo.
As empresas de transporte rodoviário do Brasil chegam a transportar juntas, entre linhas interestaduais e internacionais, mais de 140 milhões de pessoas, todos os anos.

Valor da passagem em Criciúma fica mais caro no domingo

Preço de passagens de ônibus nas principais capitais do Brasil volta a subir no começo de 2014. Prefeituras não tem como subsidiar os descontos.

Valor da passagem volta a subir

A partir da semana que vem, andar de ônibus pelas ruas de Criciúma, em Santa Catarina, pode custar mais para o bolso dos passageiros.
A nova tarifa rodoviária que atingiu apenas o serviço de transporte coletivo da cidade catarinense começa a valer desde o domingo, dia 13, justamente na final da Copa do Mundo.
Além de correr o risco de amargar um possível triunfo dos hermanos argentinos no Mundial, ainda não se sabe ao certo, qual será o valor da passagem praticado em viagens intermunicipais.
Nem mesmo os integrantes do sindicado da categoria, membros do Movimento dos Usuários do Transporte Urbano de Criciúma, Mutuc, e responsáveis pelas companhias de ônibus que operam na cidade, sabem qual será o valor atualizado.
 

Se o pedido das empresas rodoviárias for acatado, o descontentamento deve ser geral, já que o preço da passagem para embarcar saltará de R$ 2,74 para R$ 3,17. Reajuste muito exorbitante na visão de integrantes do Mutuc, que pedem um aumento de apenas 13 centavos.
O prefeito Márcio Búrigo participou de um movimento proposto pelos sindicalistas e empresários do setor para chegar a um acordo numérico com todas as partes envolvidas. Mesmo assim, não há nada oficializado.
Informações de dentro do gabinete do chefe do executivo apontam que é provável que as passagens rodoviárias passem a ser vendidas por R$3,00.
 

Com o impasse, grupos de passageiros e moradores da cidade começaram a se formar com mais frequência nos últimos dias. Eles não aprovam o anúncio de que os bilhetes rodoviários ficaram mais caros ainda neste mês.
Desde o começo dessa semana, manifestantes se encontraram na Praça Nereu Ramos para protestar. Muitos distribuíram panfletos, gritaram palavras de ordem e informaram a população sobre o aumento que esta por vir. Todos estão proibidos de protestarem nas dependências da rodoviária de Criciúma.
Quem depende do transporte rodoviário para ir ao trabalho, pode prolongar o valor das passagens de ônibus por pelo menos mais 60 dias. Para isso é preciso recarregar o cartão de fidelização, o quanto antes. Segundo a norma, quem embarca com os créditos não pagará reajustes nos próximos dois meses.

Comprar passagem rodoviária nunca foi tão fácil com a QP

Startup vende mais de 3 mil destinos rodoviários.

Startup vende mais de 3 mil destinos rodoviários.

Quem não tem nem metade do valor comprado para embarcar em uma viagem de ônibus interestadual, não tem mais desculpas para ficar em casa durante os finais de semana e os feriados prolongados que acontecem o ano todo.
Graças a nova forma de pagamento da startup Quero Passagem, comprar passagem rodoviária nunca foi tão prático, rápido e seguro.
Agora é possível visitar parentes e amigos em cidades vizinhas, ou até conhecer novos Estados a bordo das melhores companhias rodoviárias do Brasil, parcelando os bilhetes de ônibus em até 12 vezes no cartão de crédito nacional e internacional.
O benefício lançado no começo desse mês também facilita a vida de turistas estrangeiros que estão acompanhando os jogos da Copa do Mundo no Brasil.

O e-commerce em atividade desde o final do ano passado e que vende mais de três mil destinos rodoviários em 90% do território nacional, é um dos que mais está incentivando o uso de coletivos. Para o CEO da Quero Passagem, Lukasz Gieranczyk, essa é a melhor chance de se viajar pelo Brasil. “Pensando na comodidade do público e funcionalidade que o serviço online oferece, viabilizamos a compra rápida e fácil de bilhetes em viações brasileiras com ótimas condições de conforto, pontualidade e segurança”, conta.
Pelo menos 30 empresas de ônibus estão credenciadas na agência que comercializa de forma online passagens de ônibus e informações sobre itinerários, terminais rodoviários e tira dúvidas.

Seja no site ou no celular, quem navega pela página da empresa pode reservar a poltrona que estiver livre e garantir a viagem de ida de volta sem sair de casa.
Além de trabalhar com o cartão de débito Visa ou Elo, cartão de crédito Visa, American Express, MasterCard ou Diners Club Internacional, o site também vende as passagens em boleto bancário.
Quem tem o aplicativo QP no seu celular pode comparar os melhores preços, aproveitar as promoções e pesquisar as linhas de ônibus disponíveis, antes mesmo de comprar os bilhetes rodoviários.
A Quero Passagem é a única empresa do setor rodoviário que disponibiliza o parcelamento em cartões de crédito de moedas internacionais.

Passagens de ônibus de Curitiba não são cobradas durante greve

Torcedores estrangeiros aprovam transporte de Curitiba.

Torcedores estrangeiros aprovam transporte de Curitiba.

Passageiros do transporte público da capital do Paraná se deram bem com a greve dos cobradores. Todos que embarcaram nos ônibus durante a manhã da última quinta-feira (26) não precisaram comprar as passagens de ônibus.
A paralisação não foi aceita pelos motoristas, e o fluxo das viagens rodoviárias não foi comprometido em nenhuma linha de ônibus. Apenas a passagem rodoviária para linha turismo, comprada por R$ 29, continuou sendo vendida.
Sem previsão para ter um fim, a greve promovida por cobradores começou no dia 26 de junho com aval do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc).

Foi o sindicato que se reuniu com companhias rodoviárias que trabalham na cidade para promover a paralisação em forma de protesto. Sem acordo, as reinvindicações foram parar no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR). Durante a semana passada, já foram realizados duas audiências com a intenção de negociar os pedidos dos cobradores, que ainda seguem insatisfeitos e não querem saber de voltar ao trabalho.
Segundo a prefeitura de Curitiba, a gratuidade repentina também está ligada com a Copa do Mundo, já que na quinta-feira, a capital recebeu o último jogo do Mundial na Arena da Baixada, entre o confronto das seleções de Rússia e Argélia.
A linha Circular Copa e os ônibus que levavam torcedores e turistas para a Fan Fest, na Pedreira Paulo Leminski, também circularam normalmente.

Apesar de afirmarem que estavam com receio das greves nos transportes rodoviários, turistas estrangeiros que vieram ao Brasil por causa da Copa, relataram que não foram prejudicados por causa das paradas. Muitos elogiaram o sistema de transporte de Curitiba e aprovaram as linhas especiais para transportar torcedores até os estádios de futebol. Usuários do serviço rodoviário se mostraram favoráveis à greve, desde que os protestos não comprometa a locomoção das pessoas.
Mesmo trabalhando, os motoristas também não parecem estar satisfeitos. Muitos estão reclamando das multas que irão receber caso subam em cima de calçadas ou se envolvam com acidentes no trânsito. A dupla função, proibida por lei em Curitiba, que proíbe que o motorista exerça também a profissão de cobrador, ainda não está sendo cumprida por todas as empresas de ônibus.

Procura por passagens rodoviárias clandestinas cresce em feriado

O preço de passagens rodoviárias para linhas interestaduais está mais caro em Belém do Pará, durante o feriado de Carnaval.

Carro é a terceira opção de transporte dos baianos.

Apesar da maioria dos embarques em Salvador acontecerem dentro do terminal rodoviário da cidade, muitos baianos estão procurando pelas passagens rodoviárias clandestinas para chegar até seu destino mais rápido.
O transporte rodoviário alternativo e sem regulamentação registrou aumento significativo no último feriado de Corpus Christi, comemorado na quinta (19).
Muitas vans sem documentação e alguns ônibus particulares saíram do município de São João até cidades do interior do Estado.
A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia, Agerba, e policiais rodoviários federais e estaduais são os responsáveis pela fiscalização da prática que é considerada ilegal perante a justiça.

Mesmo pagando mais caro pelo serviço e não tendo as mesmas garantias oferecidas por companhias de ônibus legalizadas, muitos passageiros optam pelas viagens clandestinas por falta de opção no sistema tradicional. No norte do Brasil é comum esgotar a venda de passagens de ônibus em feriados prolongados, como o da última quinta. A maior concentração de vans e Kombis que organizaram as viagens, estava na Brasil gás, em um dos trechos da BR-324.
Quem prefere o serviço ilegal não tem seus direitos de consumidor assegurados, e o pior, fica a mercê do próprio motorista que define as paradas e até mesmo o trajeto a ser seguindo, já que na maioria das vezes são escolhidos caminhos alternativos para driblar a fiscalização e os pedágios.

Durante o feriado na capital da Bahia, cerca de 30 fiscais trabalham na rodoviária de Salvador e nas principais rodovias que ligam a cidade para coibir o transporte rodoviário clandestino. Os municípios de São Antônio de Jesus, Cruz Das Almas e Amargosa foram os destinos mais procurados pelos clientes dos motoristas de vans e ônibus ilegais que rondaram a cidade.
O preço pago para chegar até essas cidades variou de R$ 40 a 60, valor da passagem mais caro do que foi vendido nos guichês das rodoviárias.
Em Candeias, na Região Metropolitana de Salvador, a prefeitura da cidade proibiu a circulação de veículos clandestinos através de uma liminar. Apesar disso, a administração acabou cedendo depois que houve protesto. Agora os veículos podem rodar até o final do desse ano.

Copa do Mundo dita preço de passagens 2014

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens aéreas sobem na Copa.

Com exceção das viagens realizadas através de companhias de ônibus, a Copa do Mundo fechou em alta o preço das passagens 2014 para passageiros de avião.
Nem mesmo com os anúncios de que as passagens aéreas iriam aumentar durante o Mundial, turistas que moram no Brasil e muitos estrangeiros deixaram de procurar os serviços de empresas pelos ares. A grande demanda pelas viagens da categoria fez que os preços das passagens disparassem assim que o evento tivesse início. Segundo informações do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), mais de 20% de aumento já pode ser constatado em todas as tarifas aéreas.

Os dados foram divulgados na última quarta-feira, 18, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e revelam a maior taxa inflacionaria do mês. O setor foi o que mais subiu no indicador mensal que mede os impactos da inflação. A contribuição alcançou 0,09 pontos porcentuais para a alta de 0,47% no IPCA-15 de junho.
Apesar de o reajuste geral ser considerado drástico, as elevações registradas separadamente por capitais que estão recebendo os jogos da Copa são ainda piores.
Só na capital da Bahia, por exemplo, esse mês está 37,39% mais caro para se viajar de avião. O número é parecido com o que acontece em Goiânia, local onde se vê a segunda maior acentuação no valor das passagens, com aumento de 33,87%. O Rio de Janeiro também teve alta de 33,53% para viagens durante a Copa.

Mesmo sendo uma das cidades-sede da competição, Belém é a capital que apresentou o aumento mais discreto, apenas 4,13% de reajuste.
Com os aumentos promovidos pelas empresas aéreas, o grupo Transportes se viu obrigado a deflagrar 0,50% de alta só neste mês. Segundo o próprio IBGE, as empresas de ônibus que oferecem linhas intermunicipais também aumentaram suas tarifas em 1,05%. Em contrapartida, os preços dos combustíveis deram uma trégua para as transportadoras brasileiras. Esse já é o mês mais barato com uma redução de 0,90%, comparados com 0,20% reduzidos no mês passado.
A gasolina está 0,35% mais barata do que o ano passado e o etanol 3,50% mais em conta.

MP apura irregularidades em passagens de ônibus de Minas Gerais

MP de Minas Gerais apura reajustes em tarifas rodoviárias.

MP de Minas Gerais apura reajustes em tarifas rodoviárias.

As prefeituras do estado de Minas Gerais que começaram a reajustar as passagens de ônibus desde o começo desse ano, estão tendo problemas com o Ministério Público do Estado (MPMG).
Depois de endurecer o aumento proposto pela secretária municipal de transportes de Belo Horizonte, o órgão recomendou ao prefeito de Montes Claros, cidade localizada na região norte, a diminuição do valor cobrado para embarcar em seus coletivos.
O pedido que deve recuperar R$ 0,10 para o bolso dos passageiros do município, aconteceu depois o MP constatou irregularidades no cálculo do valor das passagens.
Pressionada pelo órgão e pela imprensa local, a administração de Montes Claros concordou com a reavaliação dos documentos apresentados inicialmente por companhias de ônibus e decretou a redução.

O último aumento praticado na cidade começou a valer no dia 6 de abril e elevou o preço das passagens rodoviárias para R$ 2,50.
A empresa de ônibus MCTrans foi quem apresentou a planilha com os custos de operação obrigatórios para transportar a população. O Ministério Público, porém, conseguiu provar que o documento estava equivocado.
Foram realizadas revisões em todos os cálculos e custos apontados na documentação como contribuição previdenciária, ISS, salários e depreciação/remuneração dos veículos. A conclusão foi que o valor reajustado poderia ser menor.

A análise também apontou oportunismo das empresas concessionárias no valor inflacionado de pneus e combustível em janeiro de 2014. Segundo conta no documento, as auto viações teriam se aproveitado de um reajuste de mercado aplicado ainda no mês passado para salgar o custos com aquisição desses itens.
Além de pedir a redução no preço das tarifas, o MP quer o ressarcimento pelo valor cobrado desde o dia 6 de abril desse ano e que entrou em operação em maio.
A prefeitura terá que fazer a compensação da passagem na próxima revisão tarifária que acontecerá no ano que vem.
Segundo nota oficial, a prefeitura transferiu a responsabilidade dos documentos apresentados e da decisão do reajuste para as empresas de transporte coletivo. Com a mudança, o valor dos bilhetes de ônibus passa para R$ 2,40.

Itapemirim passagens suspende investimento até licitação

Setor aéreo é livre de taxas.

Setor aéreo é livre de taxas.

Parece mesmo que a diferença entre os tributos e impostos previstos em concessões do governo federal entre companhias rodoviárias e empresas aéreas, está causando impasses negativos no setor rodoviário.
Pelo menos a direção da Itapemirim passagens já disse em pronunciamento oficial que suspenderá investimentos em operação e ampliação da frota até que as licitações que competem às linhas interestaduais do Brasil voltem a vigorar – elas estão suspensas por ordem judicial.
O medo de quem administra empresas de ônibus está nas novas exigências do documento. Segundo a própria Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, o processo deve priorizar melhorias nos serviços prestados pelo setor rodoviário e diminuição no preço das passagens.

A Abrati, associação que reúne auto viações brasileiras, vê o anúncio como principal motivo pela desaceleração de investimentos feitos por executivos das empresas nos últimos 12 meses.
Além da redução de gastos, os custos com as garagens também passam por reformulação.
A reclamação em relação às companhias aéreas é movida pela isenção do ICMS. A aviação civil está livre do imposto, enquanto as transportadoras são obrigadas pela ANTT a pagarem taxas de até 18% sobre o valor das passagens rodoviárias.
A agência admite que os impostos prejudicam o avanço dos investimentos e da compra no meio rodoviário, mas defende a medida com o argumento de que os dois serviços de transporte irão se alinhar no mesmo nível de qualidade.
Mesmo que seja cobrado, o transporte rodoviário interestadual é considerado público para o governo.

É justamente por esse motivo que a atividade é disputada em licitações com oferta mínima de linhas regulares e imposição de tarifas.
Ao contrário do que acontece nas viagens de avião, onde não há controle que determine o valor das passagens, a disponibilidade de novas linhas apenas depende da capacidade dos aeroportos.
O preço praticado na hora de comprar passagens é tão influente que as empresas rodoviárias tiveram que conviver com uma perda de mais de 7 milhões de passageiros nos últimos oito anos.
Apesar dos avanços e da maior procura pelas viagens de ônibus, até hoje, donos de empresas de transporte rodoviário estão se empenhando para recuperar boa parte dos clientes que partiram para os aeroportos.

Passagens rodoviárias subiram 7% durante Semana Santa no PA

Passagem de Belém está mais cara desde o Carnaval.

Passagem de Belém está mais cara desde o Carnaval.

Quem mora no estado do Pará e aproveitou o feriado prolongado dessa Semana Santa para viajar teve que pagar 7% a mais nas passagens rodoviárias.
Desde o feriado de Sexta-feira Santa, o valor da tarifa rodoviária ficou mais caro, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
O órgão garantiu que a elevação também foi sentida por aqueles que viajaram de avião, barcos e navios, e andaram por linhas intermunicipais e interestaduais até o feriado de Tiradentes, na segunda (21).
O preço nas passagens de ônibus interestaduais são os mesmos desde última autorização feita pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), em outubro de 2013.

Só o custo com as viagens intermunicipais do Pará é que ficaram mais caras durante o feriadão. O aumento que inclui as taxas do terminal rodoviário ficou 7,1% mais caro em relação à Semana Santa do ano passado. Quem autorizou o reajuste foi a Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon) que passou a aplicar o novo valor desde o Carnaval de 2014.
Apenas a linha urbana que garante o trajeto até Mosqueiro, administrada pela prefeitura, não aumentou o valor dos bilhetes para o feriado santo. Os passageiros pagaram R$ 3,60 para embarcar.
Uma viagem com translado até Mosqueiro, saindo da rodoviária de Belém chegou a custar R$ 7 por uma companhia de ônibus.
Para desembarcar em Vigia o preço da passagem era de R$ 14,05; Castanhal R$ 10,60; Bragança R$ 30,84; Salinas R$ 30,96; Marudá R$ 22,50 e São Caetano de Odivelas R$ 17,12.

Para Cametá, o custo da viagem com travessia ficou em R$ 43,33, Curuçá R$ 19,50, Abaetetuba R$ 17,80; Barcarena R$ 15, Capanema R$ 23,30, Colares R$ 14,96, Marabá R$ 68,00 e Tucuruí R$ 62,50.
Segundo a Dieese, os moradores que viajaram até as cidades vizinhas com seu próprio veículo de passeio também pagaram mais caro para deixar a cidade.
O preço dos combustíveis nos postos de Belém estão cerca de 80% mais caros.
Na capital, o litro de gasolina é vendido em média por R$ 2,95, enquanto o etanol está valendo R$ 2,69 e o litro do óleo diesel R$ 2,63.

Preço de passagens 2014 aumenta em cinco capitais brasileiras

Preço de passagens de ônibus nas principais capitais do Brasil volta a subir no começo de 2014. Prefeituras não tem como subsidiar os descontos.

Preço das passagens volta a subir

Longe da efervescência das manifestações populares, o preço de passagens 2014 já ficou mais caro em cinco capitais do Brasil. Com os reajustes, viajar de ônibus até as cidades de Boa Vista, Cuiabá, Maceió, Porto Alegre e Rio de Janeiro, está tornando as despesas mensais dos passageiros ainda maiores.
Segundo levantamento feito por um portal de notícias, o grupo das capitais com os bilhetes rodoviários mais caros deve ganhar uma aliada em breve. Belo Horizonte, em Minas Gerais também havia pronunciado aumento de 7,5% desde o dia 3 de abril, porém uma liminar do Ministério Público do Estado barrou o reajuste. Se vigorar, a passagem de ônibus de R$ 2,65 vai ficar 20 centavos mais cara.

No ano passado, os protestos populares contra o aumento das passagens rodoviárias, inibiu o reajuste da maioria das cidades que haviam elevado as tarifas. Aracaju, Curitiba, Goiânia, João Pessoa, Manaus, Natal, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Vitória foram as capitais que recuaram seus valores. Na época, apenas Fortaleza, outra capital que havia feito o reajuste nas catracas, não conseguiu retornar o valor antigo, por causa de uma decisão judicial.
As capitais do Mato Grosso do Sul, Amapá e Mato Grosso também reduziram suas tarifas rodoviárias, depois que a onda de protesto tomou conta das ruas do país. Todas não haviam decretado reajuste tarifário em 2013, mas mesmo assim decidiram reduzir os valores.

Esse ano, o preço pago para embarcar em um ônibus do Roraima, passou de R$ 2,25 para R$ 2,60 desde o dia 2 de janeiro. Já no Rio, o reajuste começou a valer desde 8 de fevereiro, quando a prefeitura decretou o aumento de R$ 2,75 para R$ 3. Os cuiabanos já se acostumaram com o reajuste de 20 centavos na tarifa, desde março desse ano.
No sul, o aumento é mais recente. A passagem rodoviária passou de R$ 2,80 para R$ 2,95, no dia 7 desse mês.
A capital de Alagoas foi a única a tentar impedir o aumento através da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), mas não conseguiu ter sucesso, elevando o valor de R$ 2,30 para R$ 2,50.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress