Reajuste da gasolina afeta preço de passagens pelo Brasil

litro de gasolinaO preço da passagem de ônibus no Brasil é um dos prejudicados com o aumento nos impostos PIS e Cofins cobrados sobre combustíveis, anunciado recentemente pelo governo. De acordo com economistas, não é só a conta de quem abastece o tanque de gasolina que vai aumentar, já que há vários serviços de áreas distintas que podem impactados com a ação. Os alimentos é um dos exemplos dessa lista. Os fretamentos, principalmente os que são ligados ao setor de turismo com operação de linhas de longa distância também devem sofrem com o reajuste.

Com o aumento anunciado, o litro de gasolina passou a custar litro de 38 centavos para 79 centavos por litro. O objetivo é gerar uma arrecadação extra de 10,4 bilhões de reais neste ano para cobrir o rombo nas contas públicas. Para especialistas, este aumento interfere diretamente na logística de matérias primas e produtos industrializados, tornando o material de consumo mais caro para o consumidor final. O impacto, no entanto, deve começar a ser percebido agora, se alastrando com maior veemência no final do ano, quando a procura pelos serviços rodoviários é mais acentuada.

O custo é repassado na inflação de mês em mês, e o brasileiro vai sentindo o efeito da medida, gradativamente. A FGV/IBRE prevê que o aumento dos impostos sobre o combustível terá um peso de 0,4 ponto percentual na inflação, mantendo a média percentual do IPCA [Índice de Preços ao Consumidor Amplo]. Dos três combustíveis disponíveis no mercado, a gasolina foi a que mais sofreu. O etanol por sua vez, se tornou uma alternativa para minimizar o reajuste. A diferença entre os PIS/Cofins da gasolina e do etanol passou de 26 centavos para 46 centavos. A Petrobras anunciou nesta no final de julho um aumento de 1,8% nos preços do  vendido nas refinarias.

Preço de passagem intermunicipal está 7,23% mais cara em SC

preço de passagensViajar entre municípios do litoral catarinense ou se deslocar até o interior do Estado, representa, desde o segundo semestre de 2017, um aumento de 7,23% para o bolso dos passageiros de ônibus. Este é o aumento aplicado no preço das passagens de ônibus de linhas intermunicipais e do transporte coletivo entre cidades de Santa Catarina, com operação de veículos urbanos. O reajuste foi calculado e oficializado por integrantes do conselho administrativo que rege o Deter – Departamento de Transporte e Terminais, do Estado.

Com a mudança, as passagens de ônibus passaram a seres comercializadas sob dois pisos, um com aumento de 6,94% e outro com 6,84%. Quem mais sentiu o reajuste foram os passageiros do transporte intermunicipal que utilizam os veículos sob linhas urbanas, já que o preço teve reajuste de 7,23%. O aumento ainda permanece abaixo do sugerido pela atualização de valores defendida pelas operadoras de transporte de Santa Catarina, que brigavam pelos valores monetários das tarifas, entre 9% e 16%, conforme a diferença entre os serviços.

O último reajuste foi aplicado em junho do ano passado, e na avaliação das empresas pertencentes ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros operar sem ajuste há um ano, é extremamente inviável para permanece dos serviços regulares do transporte coletivos de passageiros da capital e de outras regiões do Estado, sobrecarregando sobremaneira o equilíbrio econômico-financeiro estabelecido no contrato em vigência. Fale ressaltar que os cálculos tarifários auferidos pela aérea técnica do Deter apontaram um percentual menor, que foi adotado pelo conselho. O serviço de transporte regularizado pelo Estado, não sofre aumentos tarifários com exceção dos reajustes anuais, que acontecem no início do primeiro ou segundo semestre, e é praticado por todos os estados brasileiros. A margem de aumento sob linhas interestaduais é de até 15% ao ano.

Passagens de ônibus de MG estão com preços promocionais

preço promocionalO transporte coletivo rodoviário intermunicipal de Minas Gerais está oferecendo promoções aos seus usuários, em parceria com o Sindpas – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Minas Gerais. Os preços promocionais que já são praticados no modal aérea têm como objetivo trazer de volta boa parte dos passageiros dos últimos dois anos deixaram de utilizar o serviço por conta da recessão econômica e do aumento na oferta de transporte clandestino com preços mais acessíveis.

A medida foi autorizada pelo governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop-MG), através da resolução Setop 013/17. A partir de agora, os valores passam a ser definidos para cada linha a tarifa-teto, e não mais aquele a ser cobrado obrigatoriamente de cada passageiro. As promoções e os descontos no preço das passagens também já podem ser vistos em linhas interestaduais de Minas Gerais, com autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Para o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Murilo Valadares, um dos apoiadores do projeto, a flexibilização no valor das passagens, além de ser um benefício para o usuário, permite que as concessionárias “trabalhem da forma que melhor lhes convier, de acordo com o fluxo de demanda”.

Apesar da promessa ser de redução, a falta de demanda pode resultar em passagens ainda mais caras, já que as operadoras irão diminuir o valor conforme o aumento no número de embarques. A expectativa da Setop é que a medida não reduza a arrecadação dos impostos incidentes no setor, que são o PIS (0,36%), Cofins (3%) e ICMS (6%), levando em consideração estes parâmetros. A comercialização flexível das passagens também deve combater o transporte irregular de táxi-lotação e vans clandestinas, que hoje representam uma perda de mais de 400 mil passageiros por mês.

Confira o preço de passagens em pacotes para baixa temporada

baixa temporadaSe a intenção for economizar não há hora melhor. Esta baixa temporada de 2017 tem tudo para ser uma das mais economias no bolso daqueles que pretendem viajar por estados brasileiros, longe das datas mais badaladas. Acredite se quiser, mas os preços de pacotes de viagem incluindo as passagens rodoviárias, alimentação e o hotel, devem ficar até 40% mais baratos entre os meses de agosto e novembro. Já que a baixa pelo valor dos serviços para garantir maior ocupação neste período tem sido praticado sem exceções. Resumindo, essa é a melhor oportunidade para garantir um passeio sem estreitar as economias do final do mês, já que estamos com tarifas de baixa temporada por todas as regiões do Brasil.

Faça as contas, compare, pesquise e economize!

Há pacotes com duração de uma semana com destino a capital do Ceará, com tudo incluso, gerando diferença de R$ 1.488 para R$ 998, o equivalente a 32% mais barato em comparação com outros meses. Vale ressaltar que este pacote inclui viagem de avião, sendo que se opção fosse viajar por terra, o preço certamente seria ainda mais em conta.

Passagem aérea: a grande vilã

Não há tempo bom para “pechinchar” nas tarifas aéreas. E o pior, quanto maior a proximidade com a data da viagem e maior for a procura pelo serviço, mais cara é o valor da passagem de avião. É por isso que o serviço é o item que mais encarre no preço final da viagem realizada no Brasil, cuja variação de preço só tem aumentando depois que a crise econômica passou a ser uma realidade no cotidiano dos brasileiros. A dica, no entanto, é procurar serviços que são comercializados integralmente, em pacotes e parcerias que permitem o repasse de descontos para garantir mais demanda em tempos de baixa temporada.

Valor de passagens aéreas pode mudar a cada minuto

passagens aéreasPor incrível que pareça, o preço das passagens áreas pode variar de minuto a minuto, tornando a conquista pelos descontos ainda mais complicada. Especialistas afirmam que a velha manobra corriqueira de economizar nas passagens de avião, comprando-as com bastante antecedência nem sempre garante o melhor preço. O Núcleo de Estudos em Competição e Regulação do Transporte Aéreo (Nectar) explica que o preço final de cada assento é gerado através de uma combinação de critérios organizadamente avaliados de minuto a minuto por softwares de última geração. Eles funcionam como uma bolsa de valores, levando em consideração o preço praticado de acordo com a oferta e a demanda.

Se a companhia área é informada de que determinado voo tem muita procura, a tendência é reajustar o preço final da passagem. O contrário pode acontecer quando a oferta é maior e a procura menor, ai há possibilidade de baixar os preços para que o voo atinja a ocupação mínima estipulada. Mas não se anime, porque os dias da semana, horários do voo, número de escalas e até mesmo risco de atraso podem interferir diretamente no valor que você paga para embarcar em uma aeronave.

Qual é a ocupação mínima das companhias de avião?

Segundo site especializado no setor aéreo, as empresas estimam que todas as aeronaves devem voar com no mínimo 60% de sua capacidade – este é o parâmetro seguro para que as operadoras possam subsidiar seus custos durante a viagem. Uma curiosidade é que no modal rodoviário também há uma estimativa mínima de operação em linhas de longa distância, a diferença entre os serviços é de que no rodoviário o passageiro não paga mais pela demanda, já que as empresas remanejam seus próprios embarques para cobrir o mínimo de capacidade estipulado pela diretoria.

Venda passagens de ônibus de Rondonópolis aumenta nas férias

passagens de ônibus de Rondonópolis A procura pelas passagens de ônibus de Rondonópolis aumentou depois que as escolas entraram de recesso. Nesta época do ano é comum que o fluxo de passageiros aumente nos terminais rodoviários de várias cidades do Brasil. Por conta das férias escolares e do recesso em alguns departamentos públicos, o aumento no interesse e na compra das passagens interestaduais e intermunicipais têm beneficiado as operadoras de transporte de Rondonópolis e várias outras cidades do interior do Mato Grosso.

Segundo levantamento do próprio terminal rodoviário de Rondonópolis, o aumento na compra de passagens rodoviárias interestaduais e intermunicipais, foi de 40%, entre as três primeiras semanas de julho – número superior, aos registros de venda de passagens computadas no mesmo período do ano passado. Preferida dos jovens e solteiros, os embarques registrados neste período levaram milhares de passageiros para vários estados do Brasil. Segundo informações de uma das dezenas auto viações com operação da rodoviária de Rondonópolis, os destinos mais procurados em julho incluem as cidades de Presidente Prudente, em São Paulo, Londrina, no Paraná, Ivolândia, em Goiás e Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Com exceção dos embarques fora do estado, o destino mais movimentado levou passageiros de Rondonópolis até a capital do Mato Grosso, Cuiabá.

Preços de passagens de ônibus saindo da rodoviária de Rondonópolis

Por conta da distância, o trajeto mais caro da lista é até a rodoviária de Londrina, com preço médio de R$ 200 só para a passagem de ida. O valor para a cidade de Ivolândia é de R$ 197,56. Já para o trecho no interior de São Paulo, em Presidente Prudente, a passagem sai por volta de R$ 170. Em Campo Grande, o preço da passagem é de R$ 87,88. A passagem de ônibus para Cuiabá é a mais barata, com valor de R$ 61,62.

Descubra qual é a passagem de ônibus mais barata do Brasil

passagem ônibus baratoCom apenas R$ 1, Carlos Cesar saí do município de Baião até Mocajuba, no interior do Pará. Este é um dos trajetos ao lado de cidades piauienses Cristiano Castro e Palmeira do Piauí e entre os municípios potiguares Espírito Santo e Várzea com a passagem de ônibus mais barata do Brasil. Os dados são de um estudo inédito realizado pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística sobre a rede urbana brasileira de transporte público coletivo, denominado “Ligações Rodoviárias e Hidroviárias 2016”. Em contrapartida, quem tem medo de voar e quer sair de Fortaleza com destino a Pelotas, no Rio Grande do Sul, paga em média R$ 950 por uma passagem de ida, considerada pela pesquisa, a mais cara do Brasil.

O trajeto é operado pela viação Nossa Senhora da Penha e pode ser reservado pela internet – mas pode ficar mais barato, se o passageiro comprar diretamente no guichê e se isentar das taxas de comercialização online, pagando uma média de R$ 930. A viagem de ônibus é feita em 4.530 quilômetros, em torno de 80 horas, ou seja, em mais de três dias. A pesquisa que tem capacidade para coletar amostras em pares de cidades com abrangência nacional, revela que há várias curiosidades sobre as operações do serviço de transporte público brasileiro, vamos ver?

Números e dados sobre o transporte rodoviário do Brasil

Você sabia que há ao menos 320 municípios sem nenhum tipo de transporte público? Pois é, a pesquisa mostra que a população de mais de 300 cidades se utiliza apenas de transporte particular, mesmo considerando que existem 65.639 possibilidades de ligações rodoviários autorizadas, em 5.423 municípios brasileiros, operados por transportes públicos coletivos intermunicipais. Para quem acha que São Paulo tem o maior fluxo de ônibus para trechos individuais, se enganou! O trajeto de ida e volta mais o frequente do Brasil é entre cidades de Pernambuco, de Carpina a Paudalho.

Passagem interestadual sofre reajuste no litoral do Pará

preço passagem interestadualO preço da passagem interestadual saindo do terminal rodoviário de Belém, na capital do Pará, teve reajuste aprovado de 9,04% desde o final do mês passado, pela ARCON e publicado no Diário Oficial do Estado, e com isso promete tornar as viagens dos paraenses mais distante. O aumento vai pesar no bolso de quem pretende aproveitar as férias escolares para sair da região metropolitana do Estado e seguir viagem aos famosos balneários do Pará com ajuda dos transportes coletivos, já que além do ônibus, o custo com hospedagem e alimentação deverá ficar mais caro até o mês de julho acabar.

Quem utiliza os ônibus para viajar em linhas interestaduais deve ficar atendo aos preços, já que segundo pesquisa do Dieese, há possibilidade de aumento no reajuste desta categoria. O valor para passagens de ônibus intermunicipais também subiu, pouco mais de 15% em comparação com os valores praticados no ano passado. Este foi o mesmo aumento aplicado para veículos náuticos do Pará.

Já no caso dos ônibus urbanos que ligam o centro da capital aos balneários de água doce do distrito de Mosqueiro, as passagens ficaram 14,94% mais salgadas para quem viajou na mesma época de 2016. Vale lembrar que a diferença de preço tem relação com o reajuste sancionado pela prefeitura em janeiro deste ano, quando a passagem rodoviária ficou 65 centavos mais caro, saindo de R$ 4,35 para R$ 5. A viagem em carros particulares também vai ficar mais cara, com calculo e reajuste do preço do combustível.

Valor reajustado da passagem interestadual em Belém para os balneários:

  • Abaetetuba: R$ 21,00;
  • Bragança: R$ 41,92;
  • Cametá: R$ 55,40;
  • Capanema: R$ 33,63;
  • Castanhal: R$ 14,00;
  • Colares: R$ 20,25;
  • Curuçá: R$ 30,45;
  • Maruda: R$ 35,13;
  • Marabá: R$ 95,00;
  • Salinas: R$ 42,08;
  • São Caetano de Odivelas: R$ 23,20;
  • Tucurui: R$ 85,00;
  • Vigia: R$ 19,10.

 

Passagem de ônibus de Porto Alegre fica mais cara em julho

ônibus Porto AlegreAlém da capital do Rio Grande do Sul, mais 33 municípios que compõem a região metropolitana de Porto Alegre terão reajuste no preço da passagem rodoviária interestadual. A tarifa ficará 6,24% mais cara a partir da 0h de quinta-feira (1). Apesar de ter aprovação da população, o reajuste foi aprovado pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Estado (Agergs) e divulgado pela Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan). Para os especialistas, o reajuste deveria ter acontecido há cerca de um ano e só agora foi aprovado e autorizado pela agência.

Assim que o mês de julho começar, o preço das passagens de 22 empresas de ônibus com operação em uma das 34 cidades que compõem a região metropolitana do sul do Brasil. Também é importante destacar que o valor final das tarifas pode variar conforme a duração de cada itinerário. A maioria das auto viações queriam pelo menos 7% no reajuste dos impostos que alteram o valor final da passagem, solicitando revisões nos impostos e inflações revistas em contrato. Além do reajuste que apenas representa um aumento parcial deste pedido, a Agergs irá analisar os contratos em vigência, no ano que vem. Em 2016, o reajuste nas tarifas referentes aos ônibus intermunicipais da região foi de 14,87%. Em 2015, o aumento foi de 10,51%.

Números

Nos últimos três anos, Porto Alegre e as demais cidades que compõem a região metropolitana do Rio Grande do Sul têm enfrentado uma quede de pelo nos 20% o número de passageiros rodoviários. Só no ano passado, foram mais de 30 mil passagens a menos, em comparação com o mesmo período. Para as companhias, a queda está ligada ao desemprego. Quando o trabalhador está desempregado ele deixa de usar o vale-transporte, o que diminui a quantidade de pessoas transportadas.

Municípios que receberão o ajuste no valor da passagem rodoviária:

  • Alvorada
  • Araricá
  • Arroio dos Ratos
  • Cachoeirinha
  • Campo Bom
  • Canoas
  • Capela de Santana
  • Charqueadas
  • Dois Irmãos
  • Eldorado do Sul
  • Estância Velha
  • Esteio
  • Glorinha
  • Gravataí
  • Guaíba
  • Ivoti
  • Igrejinha
  • Montenegro
  • Nova Hartz
  • Nova Santa Rita
  • Novo Hamburgo
  • Parobé
  • Portão
  • Rolante
  • Santo Antônio da Patrulha
  • São Jerônimo
  • São Leopoldo
  • São Sebastião do Caí
  • Sapiranga
  • Sapucaia do Sul
  • Taquara
  • Triunfo
  • Viamão

Você já ficou sem embarcar por falta de troco na passagem?

compra passagemPagar a passagem rodoviária dentro do próprio ônibus pode ser uma péssima ideia quando você não tem o dinheiro separado para não ter que voltar troco. Em Aracruz, na região Norte do Espírito Santo, um jovem passageiro foi obrigado a desembarcar do veículo, simplesmente porque a cobradora não tinha uma nota de R$ 20 de troco. Além do tumulto, a companhia de ônibus foi obrigada a pegar ao usuário, indenização de R$ 5 mil por danos morais.

Mas, isso pode Arnaldo?

Não! Segundo as leis que defendem o consumidor esse tipo de situação não pode ocorrer. É responsabilidade da companhia resolver a questão do troca, independente do valor disponibilizado para pagar a passagem. Portanto, ela deve encontrar uma forma de reembolsar o cliente e aceitar o pagamento, mesmo que não tenha o valor de troco em caixa. Outra coisa ilegal é estipular um valor máximo para troco dentro dos coletivos. Essa é uma dica que todo passageiro deve ficar atento, já que a prática é regulamentada pelas normas internas dos órgãos de controle, conflitante com os princípios do Código de Defesa do Consumidor.

Pelo o que o Código de Defesa do Consumidor prega, o consumidor tem o dinheiro para pagar o serviço ou a mercadoria, é problema da empresa arrumar o troco para resolver. Substituir o troco por balas, chocolates ou qualquer outro serviço também é considerado prática abusiva, e deve ser evitado pelas operadoras de transporte rodoviário. A empresa de ônibus que cometer uma dessas infrações pode ser punida judicialmente. O Código do Consumidor estabelece como crime com pena de reclusão para esse tipo de prática. Por isso, vale a pena exigir os direitos e ficar atento na hora de pagar pelas passagens de ônibus.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress