Category imposto sobre combustível

Combustível é o principal vilão do preço de passagens 2014

Preço de passagens aéreas subiu no último ano.

Preço de passagens aéreas subiu no último ano.

Quem viaja de avião no Brasil nem imagina que praticamente metade do valor da passagem pago para embarcar é destinado apenas para cobrir o combustível gasto em cada operação. Essa pelo menos é a justificativa dada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que viu o preço de passagens 2014 decolar depois de mais de 10 anos. Segundo dados da própria organização, há 11 anos, os clientes do setor aéreo não sabem o que é pagar por um aumento inflacionário, já que só no período de 2002 a 2013, as passagens aéreas chegaram a ficar 44% mais baratas. Em contrapartida, só este ano, viajar com as companhias aéreas ficou 4% mais caro em relação ao ano passado. Parece pouco, mas faz muita diferença quando se paga para ir e voltar em longas malhas viárias.

O custo do querosene que move as aeronaves também revela outro dado interessante. Segundo a Abear, geralmente é mais lucrativo viajar de avião para outros países do que circular dentro do próprio país, onde o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre o querosene de aviação varia de 12% a 25%, de acordo com a localidade. Além do combustível, o câmbio e a oferta também fazem o valor das passagens de avião subirem. Quando a demanda por determinada linha aérea, em um período específico do mês é relativamente maior, o preço também fica sujeito a ter elevações, caso que aconteceu no mês passado, durante a Copa do Mundo.

Diante da realidade desfavorável para empresas de aviação, o mercado rodoviário voltou a ser uma boa opção para os que precisam realizar viagens interestaduais. Além do preço mais acessível, os serviços de bordo são variados e a tecnologia na hora de reservar as passagens também agrada a maioria dos consumidores. No setor rodoviário, o serviço que mais sofre com o aumento no preço dos combustíveis, são as frotas rodoviárias, aquelas de ônibus coletivos que realizam viagens intermunicipais e urbanas. No aéreo, os combustíveis representam 42% do preço das passagens no Brasil, e pelo menos 33% no mundo todo.

Sobe preço da passagem de ônibus de União da Vitória no Paraná

Preço de passagens de ônibus nas principais capitais do Brasil volta a subir no começo de 2014. Prefeituras não tem como subsidiar os descontos.

Valor da passagem rodoviária sobe 10%.

Autoridades políticas da cidade de União da Vitória, na região Sul do estado do Paraná entraram em um acordo com empresas rodoviárias e representantes públicos para poder elevar o preço da passagem de ônibus na cidade. A partir da segunda-feira que vem (15), todos os passageiros de ônibus do município paranaense terão que desembolsar 10% a mais do que já estavam habituados para embarques rodoviários, desde abril de 2012 – data que segundo o prefeito Pedro Ivo Ilkiv, está defasando o valor real da tarifa. Aprovado na primeira sexta-feira de setembro (5), em uma audiência pública promovida na Casa de Leis de União da Vitória, o aumento é válido para o transporte público e especial que faz integração com áreas rurais pertencentes ao município.

Com o reajuste, a passagem rodoviária salta de R$ 2,35 para R$ 2,60 – o que equivale a um aumento de 25 centavos, valor considerado caro para a diarista Eugênia Alerioralde, que embarca em um dos veículos coletivos todos os dias para trabalhar. O preço dos bilhetes rodoviários para quem mora em propriedades rurais ficou ainda mais caro, passando de R$ 5,50 para R$ 6,00. A diferença de 50 centavos também vai começar a vigorar do dia 15 de setembro em diante. A auto viação Nossa Senhora da Piedade, principal empresa que realiza o transporte urbano da cidade, admite que os programas de gratuidades para idosos e a inflação sobre os preços dos combustíveis tem prejudicado as operações durante o ano todo.

Se dependesse da companhia de ônibus, o aumento já teria sido praticado desde maio deste ano, quando a prefeitura recebeu o pedido de reajuste no preço da passagem. “Precisamos do reajuste para continuar garantindo aos nossos clientes, a segurança e qualidade adequada em todas as viagens de ônibus”, impõe Rodrigo Hoelzl, um dos responsáveis pela empresa que segundo ele, vem arcando com os próprios custos do sistema. Apesar de contrariar a maioria da população, essa foi a primeira audiência pública do ano realizada pela prefeitura de União da Vitória para debater temas a respeito do transporte coletivo da cidade.

Valor da passagem de ônibus de Paranavaí sobe pela segunda vez

O preço de passagens rodoviárias para linhas interestaduais está mais caro em Belém do Pará, durante o feriado de Carnaval.

É preciso aposentar o carro para baratear as passagens.

Esta já é a segunda vez que a prefeitura de Paranavaí anuncia reajustes no valor da passagem de ônibus rodoviários. O último aumento registrado há oito meses na cidade paranaense elevou o preço tarifário para R$ 2,55 que agora passa a ser comercializado em R$ 2,70. O acrescimento de 6,5% nas passagens rodoviárias é visto como necessário pela companhia responsável pelo transporte municipal, a Viação Cidade Paranavaí. No último reajuste promovido no final de ano passado, o preço das passagens ficou R$ 0,14 mais caro.

Segundo gerente da companhia Cidade Paranavaí, desde 2012 a empresa está trabalhando no limite sem poder lucrar com a defasagem das tarifas em comparação com o que é gasto nos combustíveis, em operação e no piso salarial dos motoristas que passaram a receber um aumento de 32% em carteira. Apesar de o prefeito Rogério Lorenzetti não subsidiar o transporte público da cidade, precisa aprovar cada alteração no preço das passagens de ônibus, já que é ele quem paga metade das gratuidades nas passagens de ônibus de estudantes e idosos do município, além de regularizar o serviço. Mesmo com o espanto no novo valor praticado na rodoviária de Paranavaí desde o dia 6 de agosto, a Câmara Municipal garante que o custo poderia ter sido ainda maior se a tarifa rodoviária se baseasse no Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) e no salário mínimo.

O reajuste é um realinhamento de preços e demanda que deve ser feito todos os anos para que não haja aumentos descomunais de uma só vez. A Viação Cidade Paranavaí atende 16 linhas com ajuda de 15 ônibus rodoviários que transitam por todos os pontos da cidade de hora em hora. A empresa conta com 42 motoristas registrados e não possui nenhum cobrador. A direção da companhia rodoviária garante que a frota rodoviária é renovada a cada quatro anos e meio. Para a auto viação, quanto menos o transporte coletivo for utilizado e mais pessoas preferirem andar de carro e de moto, mais difícil será de encontrar passagens rodoviárias a preços baixos.

Copa do Mundo dita preço de passagens 2014

desconto em preço de passagem de ônibus

Preço de passagens aéreas sobem na Copa.

Com exceção das viagens realizadas através de companhias de ônibus, a Copa do Mundo fechou em alta o preço das passagens 2014 para passageiros de avião.
Nem mesmo com os anúncios de que as passagens aéreas iriam aumentar durante o Mundial, turistas que moram no Brasil e muitos estrangeiros deixaram de procurar os serviços de empresas pelos ares. A grande demanda pelas viagens da categoria fez que os preços das passagens disparassem assim que o evento tivesse início. Segundo informações do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), mais de 20% de aumento já pode ser constatado em todas as tarifas aéreas.

Os dados foram divulgados na última quarta-feira, 18, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e revelam a maior taxa inflacionaria do mês. O setor foi o que mais subiu no indicador mensal que mede os impactos da inflação. A contribuição alcançou 0,09 pontos porcentuais para a alta de 0,47% no IPCA-15 de junho.
Apesar de o reajuste geral ser considerado drástico, as elevações registradas separadamente por capitais que estão recebendo os jogos da Copa são ainda piores.
Só na capital da Bahia, por exemplo, esse mês está 37,39% mais caro para se viajar de avião. O número é parecido com o que acontece em Goiânia, local onde se vê a segunda maior acentuação no valor das passagens, com aumento de 33,87%. O Rio de Janeiro também teve alta de 33,53% para viagens durante a Copa.

Mesmo sendo uma das cidades-sede da competição, Belém é a capital que apresentou o aumento mais discreto, apenas 4,13% de reajuste.
Com os aumentos promovidos pelas empresas aéreas, o grupo Transportes se viu obrigado a deflagrar 0,50% de alta só neste mês. Segundo o próprio IBGE, as empresas de ônibus que oferecem linhas intermunicipais também aumentaram suas tarifas em 1,05%. Em contrapartida, os preços dos combustíveis deram uma trégua para as transportadoras brasileiras. Esse já é o mês mais barato com uma redução de 0,90%, comparados com 0,20% reduzidos no mês passado.
A gasolina está 0,35% mais barata do que o ano passado e o etanol 3,50% mais em conta.

MP apura irregularidades em passagens de ônibus de Minas Gerais

MP de Minas Gerais apura reajustes em tarifas rodoviárias.

MP de Minas Gerais apura reajustes em tarifas rodoviárias.

As prefeituras do estado de Minas Gerais que começaram a reajustar as passagens de ônibus desde o começo desse ano, estão tendo problemas com o Ministério Público do Estado (MPMG).
Depois de endurecer o aumento proposto pela secretária municipal de transportes de Belo Horizonte, o órgão recomendou ao prefeito de Montes Claros, cidade localizada na região norte, a diminuição do valor cobrado para embarcar em seus coletivos.
O pedido que deve recuperar R$ 0,10 para o bolso dos passageiros do município, aconteceu depois o MP constatou irregularidades no cálculo do valor das passagens.
Pressionada pelo órgão e pela imprensa local, a administração de Montes Claros concordou com a reavaliação dos documentos apresentados inicialmente por companhias de ônibus e decretou a redução.

O último aumento praticado na cidade começou a valer no dia 6 de abril e elevou o preço das passagens rodoviárias para R$ 2,50.
A empresa de ônibus MCTrans foi quem apresentou a planilha com os custos de operação obrigatórios para transportar a população. O Ministério Público, porém, conseguiu provar que o documento estava equivocado.
Foram realizadas revisões em todos os cálculos e custos apontados na documentação como contribuição previdenciária, ISS, salários e depreciação/remuneração dos veículos. A conclusão foi que o valor reajustado poderia ser menor.

A análise também apontou oportunismo das empresas concessionárias no valor inflacionado de pneus e combustível em janeiro de 2014. Segundo conta no documento, as auto viações teriam se aproveitado de um reajuste de mercado aplicado ainda no mês passado para salgar o custos com aquisição desses itens.
Além de pedir a redução no preço das tarifas, o MP quer o ressarcimento pelo valor cobrado desde o dia 6 de abril desse ano e que entrou em operação em maio.
A prefeitura terá que fazer a compensação da passagem na próxima revisão tarifária que acontecerá no ano que vem.
Segundo nota oficial, a prefeitura transferiu a responsabilidade dos documentos apresentados e da decisão do reajuste para as empresas de transporte coletivo. Com a mudança, o valor dos bilhetes de ônibus passa para R$ 2,40.

Preços de passagens de ônibus em São José dos Campos não aumentam

Passageiros de São José dos Campos comemoram preço das passagens.

Passageiros de São José dos Campos comemoram preço das passagens.

Para alegria de milhares de pessoas que dependem do transporte rodoviário que opera na cidade de São José dos Campos, a prefeitura negou o pedido feito pelas companhias rodoviárias para aumentar anualmente os preços de passagens de ônibus.
Apesar de o aumento ser defendido em contrato de concessão por parte de todo sistema público na cidade do interior de São Paulo, estudos feitos pela Secretaria de Transportes apontaram que os valores pedidos pelas empresas de ônibus para realizar a manutenção do sistema é muito abusivo.
Os empresários brigavam para obter um acrescimento de R$ 0,65 em cada passagem rodoviária, quando na verdade precisam apenas de um reajuste de R$ 0,06 para cobrir todos os gastos de operação e manterem suas frotas em bom estado.

Como o valor não será alterado, a prefeitura se vê obrigada a buscar subsídios através da desoneração de impostos para empresas licitatórias de São José.
A Secretaria de Transporte vai desonerar temporariamente o ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza). O imposto já foi praticamente abolido em outras cidades do Brasil.
Oficialmente, os valores para embarcar em uma viagem de ônibus continuam os mesmos.
Já faz um ano, quando a prefeitura chegou a aumentar as tarifas rodoviárias elevando o preço de R$ 2,80 para R$ 3,30, em fevereiro de 2013. Apesar disso, por causa dos protestos, o valor acabou sendo baixado e os passageiros passaram a comprar as passagens no preço de R$ 3,00, praticado até hoje.

Já em Minas Gerais, os bilhetes rodoviários podem marcar um começo de abril mais salgado para os passageiros.
O aumento que deveria ter sido executado no final do ano passado foi prorrogado por causa dos protestos na capital mineira.
Mesmo assim, a prefeitura de lá deve isentar as auto viações de pagarem o Custo de Gerenciamento Operacional (CGO) que tem um peso de 2% no valor da tarifa, e representa cerca de R$ 0,05 a menos no valor praticado.
Apesar de o reajuste não ser oficial, integrantes do Movimento Tarifa Zero acreditam que o aumento nas passagens chega a ser de 7,5%, o que elevaria o valor atual para R$ 2,85.

Passagens rodoviárias em MT estão 6,21% mais caras

Preço assusta passageiros de ônibus

Preço assusta passageiros de ônibus

Quem embarcou em um dos ônibus interestaduais do Mato Grosso, a partir do último domingo (23), se assustou com o preço das passagens rodoviárias cobrado nos guichês das companhias rodoviárias.
Desde essa data, o valor arrecadado para viajar entre cidades do estado mato-grossense subiu 6,21% e as viagens rodoviárias feitas através dos transportes intermunicipais turísticos e alternativos tiveram reajuste de 9,04% em suas faturas.
A Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager) foi a responsável por anunciar o primeiro aumento das passagens para a população de Mato Grosso.
Para a agência reguladora, as companhias de ônibus passarão a receber tarifas equivalentes aos custos gerados em suas operações sem comprometer a receita financeira das empresas que detém a concessão dos serviços terrestres no Estado.

A alteração no preço das passagens vem provocando desagrado para a maioria dos passageiros que embarcam diariamente.
Muitas linhas percorridas pelas empresas rodoviárias são feitas em estradas de terra e por isso se distanciam dos reajustes propostos para trajetos em pavimento asfáltico.
A Ager aplicou tarifas maiores levando em consideração essas diferenças de operação. Viagens de ônibus percorridas no asfalto teve projeção de R$ 0,18 para R$ 0,20, enquanto os caminhos por terra se elevaram de R$ 0,26 para R$ 0,27 por quilômetro rodado.
O maior prejuízo de quem depende do transporte é sentido nos embarques do transporte intermunicipal turístico. Na ocasião, comprar passagens para esse tipo de passeio está quase 10% mais caro do que vinha sendo cobrado recentemente.

Parecido com o que vem acontecendo em todas as capitais do Brasil, a justificativa está na subida significativa de preços dos insumos e no que é gasto para rodar com os veículos.
Sindicalistas de empresas de transporte rodoviário defenderam o aumento no valor tarifário das passagens de ônibus, já que afirmar ser uma correção monetária de uma suposta defasagem acarretada desde 2011, devido às más condições de trafego nas estradas do Estado.
Mesmo afastada dos jogos da Copa do Mundo, o governo teme a mobilização da população a fim de promover protestos contra aumentos das passagens durante o evento futebolístico que acontecerá no país.

Preços de passagens de ônibus em Porto Alegre podem aumentar

Os preços de passagens de ônibus em Porto Alegre podem aumentar nos próximos 30 dias. O pedido feito pelas companhias de ônibus aconteceu depois que o salário da categoria subiu.

Passageiros de ônibus em Porto Alegre devem ficar atentos.

Os preços de passagens de ônibus para embarcar em Porto Alegre podem sofrer reajustes, caso o pedido das empresas rodoviárias, protocolado na EPTC seja acatado. A mobilização das companhias se deu depois que o Tribunal Regional do Trabalho definiu o dissídio dos rodoviários com reajustes salariais de 7,5% e pagamento de plano de saúde e vale-refeição.
Para o diretor da entidade pública que cuida dos transportes, o pedido de aumento das tarifas está de acordo com a lei. Dados sobre o salários dos trabalhadores devem ser verificados por técnicos do órgão e encaminhados ao Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu).
Quem dará a palavra final sobre o futuro das passagens rodoviárias será o prefeito de Porto Alegre. Para empresários do setor, a mudança deve ocorrer nos próximos 30 dias.

Especializas garantem que não há como fugir do aumento. A própria econômica aponta que a operação do transporte rodoviário do município precisa reagir e atualizar seus impostos o quanto antes.
O que os donos das auto viações querem é apenas subsidiar o aumento salarial proposto pela categoria. No pedido não foram apresentados percentuais para o reajuste ideal, contendo apenas índices com base nos insumos da planilha tarifária dos últimos 12 meses. Como aconteceu nas grandes capitais do Brasil, o custeio do óleo diesel reavaliado em mais de 10% no começo desse ano, impactou de forma negativa na receita de muitas transportadoras.

Para o Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa), a decisão das empresas de não revelarem o aumento ideal, foi sábia.
De acordo com o gerente-executivo da Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP), Luiz Mário Magalhães Sá, a intensão é transferir essa responsabilidade para a prefeitura e a EPTC. Já que durante pronunciamento do reajuste, no ano passado, manifestações populares vieram à tona em todo o país.
Segundo a associação, desde a anulação do reajuste, no meio do ano passado, o prejuízo somado de todas as empresas de ônibus passa de R$ 60 milhões. Essa é uma das justificativas pela falta de renovação da frota. A ATP garante que os ônibus estão operando no vermelho e precisam poupar dinheiro.

Valor de passagens rodoviárias sobe durante Carnaval

O preço de passagens rodoviárias para linhas interestaduais está mais caro em Belém do Pará, durante o feriado de Carnaval.

Viajar de carro sai mais carro do que de ônibus.

O preço para embarcar em um ônibus interestadual durante o feriado prolongado de Carnaval subiu 7% em relação ao mesmo período do ano passado.
O levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA) sobre os custos da festa aponta que as passagens rodoviárias até balneários e capitais de grande movimentação, estão mais caras esse ano. Quem pretende sair da cidade e quer escapar do aumento, pode optar pelas passagens de ônibus urbano que levam passageiros de Belém até a ilha do Mosqueiro. Já faz um ano que o local não sofre reajustes nas passagens.

Segundo a prefeitura da cidade, a expectativa é que muitos belenenses saiam da capital a partir da tarde dessa quinta-feira, 27, através do terminal rodoviário da cidade ou com ajuda do transporte fluvial.
Em contrapartida, as passagens intermunicipais continuam como estão. De acordo com o Diesse, o transporte dessa categoria não registrou aumentos em comparação com os últimos 12 meses. A última vez que isso aconteceu foi em janeiro de 2013, quando a Arcon autorizou a mudança. Para passar os quatro dias de folia e aproveitar o verão em Mosqueiro, é preciso pagar R$ 3,60 por cada poltrona reservada nos coletivos, se o embarque for feito em um ônibus urbano fora do terminal administrado pela prefeitura de Belém. O valor dessa viagem pode chegar até R$ 8,50 em caso de linha regular dentro do terminal.

Engana-se quem acha que viajar de carro será bom negócio, já que os ônibus estão mais caros. Por causa do combustível, o gasto pode sair salgado demais aos foliões que estão com o dinheiro contato.
Só na capital do Pará, pelo menos 80% dos postos de combustíveis estão vendendo o litro de gasolina a R$ 2,95. O preço mais em conta é R$ 2,83 e o mais caro R$ 3,29.
Para os automóveis movidos a álcool, a média de preço é de R$ 2,62, e dificilmente passam dos R$ 3,00. No caso do Óleo Diesel a média é parecida com o Etanol, e o preço pode variar de R$ 2,45 a R$ 2,89. Opções para ver o mar são as mais caras.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress