Aumento de 9% deixa as passagens de ônibus mais caras

Preço de passagem de ônibusO reajuste nas passagens de ônibus que passaram a vigorar desde o primeiro dia de Julho deixou muitos passageiros insatisfeitos. Com a aprovação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) o aumento já está em vigor, principalmente nas cidades paranaenses. Com a mudança, passageiros da região noroeste do Paraná precisarão desembolsar mais dinheiro para viajar para outros estados. As passagens de ônibus interestaduais e internacionais para trajetos a partir de 75 km sofrerão reajuste de 9,042%. As passagens de ônibus que fazem o trajeto de Cianorte, Umuarama e Paranavaí para São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina ou Distrito Federal tiveram reajuste considerável.

O usuário que pretende viajar, por exemplo, de Paranavaí para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, terá que desembolsar R$ 112,32, antes a passagem custava R$ 103,20. A tarifa do trajeto de Umuarama para Presidente Prudente, no interior de São Paulo, passou de R$ 84 para R$ 86. Já a passagem de ônibus de Cianorte para Uberlândia, em Minas Gerais, a passagem foi de R$ 143,15 para R$ 156,10. O reajuste se deve a recomposição do poder aquisitivo da moeda em razão de variações inflacionárias que trazem impactos aos custos das prestações de serviços. O reajuste, diz a ANTT, é calculado de acordo com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e do preço do óleo diesel.

Quem viaja costumeiramente se assustou ao passar no guichê e receber o anúncio do reajuste, mesmo sabendo que o momento é complicado e o país passa por uma crise econômica e política, e a maior reclamação dos usuários, na maioria das vezes é que esse reajuste não é repassado em melhorias, mas segundo a ANTT esse reajuste é anual e consta em Diário Oficial, por isso nem todas as agências informam aos passageiros e acabam os pegando de surpresa. Outros fatores para o reajuste são: concessões feitas em negociações coletivas de trabalho, como a que proveu 10% de aumento salarial e 25% de aumento no vale-refeição aos motoristas e cobradores trouxeram “aumento de custos” aos empresários. O aumento da passagem procede, e ainda assim ele ficou um pouco abaixo da inflação.

ANTT autoriza reajuste tarifário para linhas interestaduais

Passagem mais cara

Passagem mais cara

Agora é oficial: chegou a hora de pagar mais caro para viajar de ônibus pelo Brasil. Com a nova resolução da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT) as linhas interestaduais e internacionais com mais de 75 km de distância sofreram reajuste de aproximadamente 10%, desde o dia 1 de julho. Apesar de fazer diferença na hora da compra, o aumento praticado no ano passado foi ainda maior. O escriturário Emerson Lagoano, que reside no interior de São Paulo explica que o aumento inesperado poderia ser gasto com alimentação e hospedagem, durante as viagens de ônibus. Ele e o irmão mais novo enfrentam a maratona de ir para São Paulo, uma vez por semana, em busca de trabalho.

Em Mogi das Cruzes, no único terminal rodoviário da cidade, as linhas que vão até Belo Horizonte e Rio de Janeiro também estão mais caras. Tanto na compra direto do guichê da rodoviária, quanto na internet, o preço da passagens de ônibus são automaticamente aplicado. Quem reservar o bilhete pelo site Quero Passagem, por exemplo, vai ter de pagar cerca de R$ 10 a mais, em viagens de Mogi das Cruzes até Belo Horizonte. O trajeto custa em média R$ 110 para viagem de ida. Já para linhas até o Rio de Janeiro, a passagem é um pouco mais barata, podendo ser reservada por menos de R$ 100.

Belém do Pará
O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (DIEESE-PA) calculou que em média os passageiros gastam R$ 540 para sair de Belém até o Rio de Janeiro, e agora com o novo reajuste tarifário, irão gastar cerca de R$ 600. Para se deslocar até São Luiz, o preço da passagem já calculado com o aumento é de R$ 110. As distâncias percorridas inferiores a 75 km também devem ficar mais caras em breve. A expectativa é de que a mesma porcentagem do aumento seja cobrada em linhas intermunicipais até a segunda semana de Julho começar.

Diferença entre preço de passagens aéreas pode ser crime

passagem caraPesquisar o preço da passagem aérea mais barata antes de decolar, pode revelar cobranças abusivas entre linhas e empresas do setor, que o consumidor nem mesmo se dá conta. Foi isso que aconteceu com a impressão de quem reservou as passagens aéreas saindo ou chegando ao estado do Acre, pela companhia Gol ou Latam Airlines, antiga TAM. Ambas as empresas estão sendo investigas pelo Ministério Público, por cobrarem taxas e valores abusivos em suas passagens. A pedido do MP, as medidas propostas na ação podem entrar em vigor antes mesmo de o processo ser julgado. A ação também irá investigar dois sistemas de milhagem que fazem parte da comercialização das passagens áreas das respectivas empresas. Além de multa no valor de R$ 300 mil, as companhias aéreas poderão ter de pagar indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 2 milhões.

 

Passagem era vendida 250% mais cara
Observada por consumidores, a diferença de preço das passagens de Rio Branco foi monitorada por vários meses, para que se comprovasse que realmente a cobrança estava desproporcional ao padrão comercializado em outros trechos com a mesma distância. Os comparativos analisados pelo Núcleo de Apoio Técnico (NAT) mediram os custos entre os municípios de Macapá, Porto Velho e Manaus, envolvendo Rio Branco. No primeiro paralelo, a constatação de que o preço está desproporcional. No trecho de Rio Branco e Porto Velho até Brasília, que corresponde a uma distância de 1.910 km e 2.267km, entre as capitais, o percurso mais curto está mais caro do que o mais demorado, considerando que a diferença entre as linhas é de aproximadamente 20%. Pelo o que o Ministério Público do Acre averiguou, a variação entre o valor das passagens adquiridas tanto no programa de milhas da TAM/Multiplus, quanto nos pontos da Gol/Smiles, pode chegar a 250%. A ação que pretende garantir ao consumidor um preço justo pelo serviço deve ser aplicada em outras linhas e estados brasileiros.

Diminui preço de passagem de José de Freitas a Teresina

preço de passagemO trajeto rodoviário que liga os municípios vizinhos de José de Feitas com Teresina, no Piau está mais barato para quem vai de ônibus. Depois de promover uma reunião no início deste mês, a ATEUTC – Associação dos Trabalhadores e Estudantes Usuários dos Transportes Coletivos da cidade anunciou que o aumento de 50 centavos no preço das passagens de ônibus havia sido suspenso. A passagem rodoviária que dá direito a viagem intermunicipal até a capital do Piauí chegou a custar R$ 4,00 no começo deste ano. Mas com pressão da associação e de possíveis manifestações populares, a viação São Joaquim, responsável pelo transporte urbano da cidade, decidiu retornar o valor da passagem antigo. Com a mudança o preço para embarcar em um dos ônibus da linha José de Freitas x Teresina passou para R$ 3,50.  O desconto também é válido para trabalhadores e estudantes da cidade.  A ATEUTC pretendia concentrar o maior número de pessoas no teatro municipal de José de Freitas para discutir sobre o aumento no preço das passagens de ônibus e posteriormente gerar pressão popular contra a operadora, através de manifestações.

Preço da passagem de ônibus de Altos
Em Altos, município a cerca de 40 km de Teresina, o preço da viagem rodoviária até a capital também está mais barato. O valor acordado entre a prefeita Patricia Leal, o secretário estadual de Transporte, Avelino Neiva e representantes do Conselho de Transporte Intermunicipal garantiu a passagem de Altos até Teresina por apenas R$ 2,50 para quem ainda estiver na escola. Os trabalhadores devem pegar R$ 3,30, ou seja, um desconto de 70 centavos com relação ao valor cobrado para os demais passageiros. Apesar de ter sido aprovado pela população, o preço dos bilhetes rodoviários pode subir depois do processo de licitação ser finalizado. O documento deve regularizar o transporte intermunicipal entre as duas cidades até o primeiro semestre deste ano. Sem os descontos, o preço da passagem para estudantes de Altos estava em R$ 2,80 e para os trabalhadores era vendido a R$ 3,60.

Rodoviária de Belém vê preço de passagem subir em feriado

preço de passagensSe você pretende viajar de ônibus durante o próximo feriado em Belém, é melhor preparar o bolso.  No último feriado prolongado (27), as passagens rodoviárias e de barco do município paraense ficaram mais de 15% mais caras. Medido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), o valor é praticado em passagens que dão direito a embarques entre bairros e municípios vizinhos da capital. Quem viajou rumo aos balneários de Outeiro e Mosqueiro, em Belém teve de pagar uma diferença de até 45 centavos. As passagens de ônibus passaram de R$ 3,90 para R$ 4,35, registrando um aumento bem significativo em relação ao mesmo período do ano passado.

Além de tudo, não foi só o transporte rodoviário que ficou mais caro nesta época do ano. O combustível também encareceu em 20%, na comparação dos últimos 12 meses. É um aumento que pode fazer muita diferença na hora de calcular e atualizar o valor das passagens. Com tanta inflação, o movimento ficou mais discreto durante o último feriado. Para se ter uma ideia, no Terminal Hidroviário de Belém, uma embarcação com capacidade para até 800 passageiros viajou com menos da metade de sua capacidade, rumo ao Marajó. O mesmo aconteceu no terminal rodoviário da capital, que não teve grande aglomeração de pessoas durante a sexta-feira santa. Os dias de maior movimento se concentraram na véspera do feriado e durante o final de semana.

Apesar da queda no movimento, a administração da rodoviária de Belém reforçou a frota municipal com 50 veículos extras para linhas com destino a Mosqueiro e mais 30 ônibus partindo para Outeiro. Quem depende do transporte rodoviário de Belém para se deslocar deve guardar uns trocados a mais para embarcar neste próximo feriado, do dia 21 de Abril. Mas vale ressaltar que o aumento não interfere no preço das passagens de ônibus interestaduais, com saída do terminal rodoviário de Belém. Já que os reajustes das passagens acontecem apenas uma vez por ano e por lei é proibido o aumento no preço dos embarques sem autorização da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Gaúchos recarregam cartão para fugir de reajuste nas passagens

viajar de ônibusQuem não carregou, não carrega mais. Depois que a prefeitura de Porto Alegre anunciou que o preço das passagens rodoviárias da capital irá sofrer reajuste, foi uma correria danada. Tudo para garantir a última recarga do cartão TRI com o valor atual. O anúncio dado em meados do mês passado garante que os embarques ficarão 50 centavos mais caro – um aumento que fará muita diferença no orçamento de quem depende do veículo para ir e voltar do trabalho. É o caso de Elza Maricotto, 40 anos, que utiliza o coletivo para atravessar o centro da cidade, até chegar ao condomínio, onde trabalha.

Ela enfrentou filas para fazer a última recarga, depois que soube pelo rádio que o preço da passagem irá subir. O valor da recarga antiga tem validade para os próximos 60 dias. Elza disse que não sabe com a empresa irá reagir diante do reajuste, já que ela recebe o benefício do vale transporte para poder se deslocar de ônibus. Quem tem que tirar o “dimdim” do bolso está preocupado, como conta a vendedora Monica Souza, que pega em média, quatro ônibus para visitar o comércio em busca de trabalho. “Quem mora longe sofre mais com esse tipo de aumento. Infelizmente não vou poder me deslocar como antes, até que eu consiga um emprego”, lamentou.

Praticado em R$ 3,25, o valor da passagem de ônibus de Porto Alegre passa a valer a partir do mês de março R$ 3,75, em linhas urbanas e coletivos de integração entre os bairros da cidade. O aumento faz parte da nova licitação do transporte público de POA. O documento também garante a renovação de 296 coletivos e prevê tarifas maiores em lotações, saindo de R$ 4,85 para R$ 5,60. O aumento é correspondente a mais de 15% do valor atual, sobe cálculo acrescido pela inflação (IPCA) dos últimos sete meses e do dissídio dos rodoviários – a categoria recebeu aumento salarial de mais de 11% – o maior entre todas as capitais do Brasil.

Passagem de ônibus de Maceió é a 3ª mais cara do Nordeste

Maceio - ALO último reajuste no preço das passagens de ônibus de Maceió, praticado no início de janeiro, colocou a capital de Alagoas entre as três mais caras dos nove Estados que compõem o Nordeste Brasileiro. O valor de R$ 3,15 para viagens nos ônibus urbanos da capital só perde para as passagens de Salvador, que valem R$ 3,30 e Recife, que cobra R$ 3,35 por embarque. Do montante, São Luís do Maranhão é a capital com o valor da passagem mais acessível da região, vendendo o bilhete a R$ 2,60. Quem depende do transporte coletivo para trabalhar não gostou nem um pouco do aumento, que deixou as passagens 40 centavos mais caras. Antes vendidas por R$ 2,75, como em Teresina (PI), as passagens rodoviárias valiam R$ 5,50 entre a soma do embarque de ida e volta. Agora vai ficar quase R$ 1,00 mais caro para ir e retornar. Os usuários que utilizam o veículo em mais de duas ocasiões no mesmo dia terão um prejuízo financeiro ainda maior.

A despesa mensal de um trabalhador comum que utiliza o transporte público de segunda a sexta, deve chegar a R$ 151,2 no final do mês. O que mais preocupa é que o montante corresponde a pouco mais de 17% do valor do novo salário mínimo, que hoje é de R$ 880,00. Segundo estudos da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), o aumento no preço do diesel, combustível utilizado para abastecer os veículos rodoviários foi um dos principais fatores pelo aumento das passagens de ônibus de Maceió. Além do reajuste da tarifa, outros itens também encareceram no começo deste ano, como a energia elétrica e o combustível.

Valor dos ônibus urbanos nas capitais do Nordeste
Recife (PE) R$ 3,35
Salvador (BA) R$ 3,30
Maceió (AL) R$ 3,15
Aracaju (SE) R$ 3,10
Fortaleza (CE) R$ 2,75
Teresina (PI) R$ 2,75
João Pessoa (PB) R$ 2,70
Natal (RN) R$ 2,65
São Luís (MA) R$ 2,60

Preço de passagens de ônibus nas capitais brasileiras 2016

preço de passagens 2016São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Florianópolis e Boa Vista fazem parte do grupo de capitais que já começaram o ano liberando o reajuste no preço das passagens de ônibus rodoviários. Além delas, outras capitais também devem aumentar o valor da tarifa em breve.

Na capital mais movimentada do país, o preço para embarcar subiu mais de 8%, deixando as passagens de ônibus, do trem e do metrô 30 centavos mais caras. O valor para integração entre ônibus e trilhos também está mais caro, subindo de R$ 5,45 para R$ 5,92. O preço novo foi acordado entre a prefeitura e o governo do Estado.

Os cariocas também não têm muito do que comemorar, já que lá o valor atual de R$ 3,40 para viajar de ônibus agora custa R$ 3,80. A cidade que receberá as Olimpíadas em meados de 2016, também reajustará o preço dos trens de R$ 3,30 para R$ 3,70 e  das barcas de R$ 5,00 para R$ 5,60, até o final de fevereiro. As capitais do Acre, Sergipe, Ceará e Mato Grosso do Sul já haviam elevado o preço da passagem deste o mês passado.

Confira a lista completa dos preços das passagens rodoviárias das capitais entre janeiro de 2015 e janeiro de 2016:

Capital Preço anterior Preço atual

Aracajú

R$ 2,70

R$ 3,10 em janeiro de 2016

Belém

R$ 2,40

R$ 2,70 em maio de 2015

Belo Horizonte

R$ 3,40 / R$ 3,95

R$ 3,70 / R$ 4,45 em janeiro de 2016

Boa Vista

R$ 2,70 / R$ 2,90

R$ 2,80 / R$ 3,10 em janeiro de 2016

Brasília

R$ 2,00 / R$ 3,00

R$ 3,00 / R$ 4,00 em janeiro de 2016

Campo Grande

R$ 3,00

R$ 3,25 em novembro de 2015

Cuiabá

R$ 2,80

R$ 3,10 em fevereiro de 2015

Curitiba

R$ 2,85

R$ 3,15 / R$ 3,30 em fevereiro de 2015

Florianópolis

R$ 2,98 / R$ 3,34

R$ 3,10 / R$ 3,50 em janeiro de 2016

Fortaleza

R$ 2,20

2,75 em novembro de 2015

Goiânia

R$ 2,80

R$ 3,30 em fevereiro de 2015

João Pessoa

R$ 2,35

R$ 2,70 em julho de 2015

Macapá

R$ 2,10

R$ 2,75 em setembro de 2015

Maceió

R$ 2,75

em discussão

Manaus

R$ 2,75

R$ 3,00 em janeiro de 2015

Natal

R$ 2,35

R$ 2,65 em julho de 2015

Palmas

R$ 2,50

R$ 2,95 em maio de 2015

Porto Alegre

R$ 2,95

R$ 3,25 em fevereiro de 2015

Porto Velho

R$ 2,60

sem aumento

Recife

R$ 2,15

R$ 2,45 em janeiro de 2015

Rio Branco

R$ 2,40

R$ 2,90 em dezembro de 2015

Rio de Janeiro

R$ 3,30 / R$ 3,40 / R$ 5,00

R$ 3,70 / R$ 3,80 / R$ 5,60 em janeiro de 2016

Salvador (BA)

R$ 3,00

R$ 3,30

São Luís

R$ 2,40

R$ 2,60 em abril de 2015

São Paulo

R$ 3,50 / R$ 5,45

R$ 3,80 / R$ 5,92 em janeiro de 2016

Teresina

R$ 2,10

R$ 2,50 em janeiro de 2015

Vitória

R$ 2,45

sem aumento

Combustível encarece preço de passagem de avião no fim de ano

Sobe o preço do combustível das aeronaves.

Sobe o preço do combustível das aeronaves.

O preço das passagens aéreas para linhas nacionais não está agradando a maioria dos turistas que planejam viajar neste final de ano. Boa parte das rotas reservadas nas duas últimas semanas de dezembro promete salgar o bolso de quem dispensar o trajeto por terra para chegar ao destino mais rapidamente. Apesar do tempo da viagem ser reduzido, o valor pago para decolar tem prejudicado e muito no planejamento da viagem. E o principal motivo, sabe qual é? É o querosene utilizado nas aeronaves, conhecido como QAV, o combustível corresponde a mais de 35% do custo operacional das empresas de avião do Brasil, por isso, quando sobe, os preços das passagens também ficam mais caros.

Ele também é um dos culpados pelas passagens nacionais custarem mais caro do que alguns trechos internacionais, já que o valor do combustível praticado no país é mais elevado do que no exterior. Segundo a CNT (Confederação Nacional do Transporte), a diferença por litro pode ser de mais de R$ 1,15 para voos com saída do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, com destino para cidades brasileiras e roteiros para fora do Brasil. As viagens aéreas com saída do Aeroporto Santos Dummont, no Rio de Janeiro, por exemplo, geram um custo de R$ 3,81 por cada litro do querosene utilizado em trajetos nacionais, já para as viagens internacionais, o preço é um pouco mais barato, cerca de R$0,50 a menos.

Quem determina a diferença entre esses indicativos é a política de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). A cobrança dos impostos pode divergir entre taxas de 11% a 25% de acordo com o Estado, além do que já é reajustado conforme o aumento dos fornecedores. Os gastos com arrendamento, manutenção e seguro dos aviões representam 17% de tudo que é gasto pelas companhias aéreas ao longo do ano. O valor restante do que é cobrado no preço das passagens, conta com 9,6% dos custos gerados pela própria tripulação.

Crise pode antecipar aumento das passagens neste fim de ano

Preço de passagens de fim de ano.

Preço de passagens de fim de ano.

O momento de instabilidade financeira vivido pelo país pode antecipar o reajuste de passagens rodoviárias em diversos estados do Brasil. Pelo menos é isso que está acontecendo em algumas capitais brasileiras. Com o preço do combustível mais caro, e os impostos acompanhando a inflação, a ordem é ajustar o “caixa”. Muitas empresas rodoviárias garantem que não terão recurso suficiente para operar nos mesmos modais, até o começo do ano que vem, quando os custos são recalculados.

Campo Grande
O transporte coletivo de Campo Grande foi um desses exemplos. Por lá, o preço da passagem rodoviária já está 16.6% mais caro. O bilhete rodoviário subiu de R$ 3 para R$ 3,50. A empresa de ônibus que atua em linhas municipais disse que a redução no número de passageiros pagantes e o aumento de mais de 14% sobe o preço do óleo diesel, tem impactado no reajuste precoce das passagens. O aumento é superior à inflação acumulada nos últimos 12 meses, 9,82%, segundo o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) calculado pela Nepes da Uniderp.

Belo Horizonte
Na capital mineira, os passageiros de ônibus também receberam o presente de Natal mais cedo, este ano. O valor da passagem de R$ 3,10 passa a ficar 0,30 mais caro. O preço da tarifa das linhas circulares e alimentadoras (ônibus na cor amarela) saem de R$ 2,20 para R$ 2,45; de vilas e favelas (micro-ônibus na cor amarela) de R$ 0,70 para RS 0,75; as executivas linhas longas de R$ 5,80 para R$ 6,40; e as executivas linhas curtas de R$ 4,65 para R$ 5,15. Já os ônibus suplementares terão passagens nos valores de R$ 2,45, R$ 2,75 e R$ 3,40. Até o táxi-lotação sofreu aumento de R$ 3,40 para R$ 3,75.

Fato interessante
Apesar de algumas cidades registrarem queda no número de passageiros pagantes, é inegável que a procura pelo serviço rodoviário tenha sido positiva na última década. Só em Campo Grande, dos últimos 10 anos, o número de embarques cresceu 9,27%, saltando de 197,5 mil para 215,8 mil viagens. No entanto, deve se destacar que o serviço de transporte público registrou neste ano uma queda de 1,1% no volume total de passageiros transportados – o número significa cerca de 3 mil embarques.

Copyright © Preço de passagens de ônibus
CENTRAL DE PASSAGENS RODOVIÁRIAS

Built on Notes Blog Core
Powered by WordPress